“HOSPITAL SÃO JOSÉ PRECISA DE CADEIRAS” (Olhares de Lisboa)

Por incrível que pareça, o Hospital São José, em Lisboa, precisa de cadeiras para as pessoas que visitam os doentes internados. Para colmatar essa falha, os Vizinhos de Lisboa avançaram com uma campanha para angariação desse equipamento.

O Núcleo do Areeiro da Associação Vizinhos de Lisboa lançou uma campanha de angariação de cadeiras para o Hospital São José, apelando aos lisboetas que os «ajudem a colmatar essa falha detetada nessa unidade hospitalar».

Os Vizinhos de Lisboa recordam que, «o hospital que serve, por zona e proximidade, o Areeiro é o Hospital de S. José», salientando que, para além de várias carências que se registam neste hospital há uma em particular que os Vizinhos do Areeiro podem ajudar a suprir pela sua simplicidade e utilidade: faltam cadeiras para as visitas aos internados neste hospital».

No entanto, por razões de segurança e higiene, nem todas as cadeiras servem. Por isso, os Vizinhos de Lisboa querem uma cadeira especifica (ver foto) que corresponda às necessidades deste hospital central de Lisboa. Assim, quem queira doar ou comprar cadeiras deste tipo deve informar a sua disponibilidade através da caixa do mail para geral@vizinhosdoareeiro.org

https://olharesdelisboa.pt/hospital-sao-jose-precisa-de-cadeiras/

Partilhar isto:

Propostas para a CML sobre respostas às “Ondas de Calor”

Porque as “ondas de calor” constituem perigo para a vida, subscreva.
Resultado directo das alterações climáticas e consideradas na carta de “Lisboa Verde 2020”, iniciativa da Câmara Municipal de Lisboa, solicita-se apoio para as medidas abaixo descritas com vista à instituição de um “sistemas de sombras”.
Em 2003, apenas dois fenómenos contribuíram com mais de 34.802 mortes prematuras, França (14.802) e Itália (+20.000).
À consideração da CML e Ministério do Ambiente:

  1. Instalação de reservatórios subterrâneos de águas pluviais: para lavagem urbana, rega, repuxos e aspersores. Sistemas que contribuem para a atenuação das temperaturas elevadas em espaço público através da humidificação do ar – recurso há muito presente em cidades do sul da Europa – Sevilha (Expo), Valeta, Atenas, e até no Campo Pequeno, “jogo de água”, entretanto abandonado por razão desconhecida.
  2. Introdução de espécies de árvores resilientes aos períodos de seca, incentivar o plantio através de convite à participação dos mais próximos usufrutuários, na garantia da defesa das daquelas e suas caldeiras, onde tantas vezes servem para depositar lixo, nomeadamente, nas artérias de maior actividade comercial. Estabelecer a continuidade arbórea/“corredores verdes”.
  3. Promover pérgolas com trepadeiras de baixo consumo de água e folha caduca, localizadas em arruamentos e jardins (ex. Avenidas, Jardim F. Pessa, Irmã Lúcia, laterais da Alameda): articulados com ilhas de bancos para estadia e descanso, estrategicamente, colocados à sombra nas horas de maior calor durante o verão.
  4. Instalação de estruturas com recurso a perfilados de alumínio ou outros materiais de baixa degradação e manutenção com lâminas posicionadas para deflectir a radiação solar por forma permitir sombras e reduzir o efeito provocado pelas “ilhas de calor”.
  5. Termómetros de rua em candeeiros com partilha das leituras para instituírem um sistema de alerta do calor em espaço urbano, em tempo real; aos quais se poderiam adicionar medidores da qualidade do ar (humidade, partículas leves, etc).
  6. Gestão de arvoredo em regime de cuidados partilhados, por residentes (regime de voluntariado ou contrato social): de momento, em curso na Xavier Cordeiro, Nunes Claro e Vítor Hugo. Os moradores das ruas são contactados porta-a-porta pela divisão de espaços verdes da CML e subscrevem um “contrato” em que assumem a manutenção de uma caldeira de árvore perto de sua residência, onde poderão plantar espécies de pequeno porte e dimensão, com formação e apoio da CML. Avaliar a possibilidade de apoio/patrocínio de entidades privadas, tipo, “Hortos do Campo Grande” ou outros fora do ramo, em troca de publicidade, “esta sombra tem o patrocínio da X”.
  7. Substituição dos limitadores e pilaretes por floreiras com espécies de baixo consumo de água, p.ex. tradicionais chorões, importantes para a atenuação térmica local, promovida sob o efeito evotranspiração (transporte de água das raízes para a folhagem), p.ex. Bº do Arco do Cego, onde a “floresta” de pilaretes deu lugar a floreiras, também na Almirante Reis ou Manuel da Maia.
  8. Transformar todas as zonas expectantes (p.ex. na Sarmento de Beires) em “plantação de transição” com plantio de baixo consumo (lúdico ou agrícola) com a possibilidade de transferências para outros locais em iguais condições, p.ex. floreiras “Arco do Cego”.
  9. Promoção de coberturas verdes para retenção das águas pluviais (humidificação do ar), oxigenação, atenuação térmica e ruído, absorção da radiação solar, redução do consumo energético, contribuição para a diversidade de vistas, tão características de Lisboa e valorização da propriedade, p.ex., em equipamentos inicialmente em edifícios camarários (começando p.ex. no Pavilhão do Casal Vistoso) ou como “muros verdes” favorecidos pelo declives da cidade. Considerar a aplicação da medida a edifícios existentes com recurso a fórmula de cálculo para avaliação dos custos/benefícios, casa a caso.
  10. Planear o plantio arbóreo para reduzir o efeito de massa térmica/libertação de calor em períodos nocturno, bermas das grandes vias, p.ex., Av. Gago Coutinho. Considerar um sistema de intensidade variável, através de sensor de movimento, para ajustar a iluminação de rua.
  11. Estudar a introdução de vegetação sobre as coberturas de pequenos equipamentos, p.ex., paragens de autocarro, introduzido pela Holanda, com espécies ajustada à pluviosidade.
    Algumas destas propostas tem por base a “Cool Neighborhoods, New York”,
    https://www1.nyc.gov/assets/orr/pdf/Cool_Neighborhoods_NYC_Report_FINAL.pdf

Subscrevem:

Nuno Dinis Cortiços
Paula Borges
Rodolfo Franco
Jorge Oliveira
Manuel Jesus
Ilda Cruz
Elvina Maria Reis Rosa
Maria Teresa Rodrigues
Stela Correia
Madalena Matambo Natividade
Zélia Pereira
Anabela Nunes
Ana Costa
Luisa Teresa
Maria Teresa Inglês Agostinho
Irene Coelho
Teresa Aroso
Duarte Amado
Alexandra Rg
José João Leiria-Ralha
Anabela Gouveia
Márcia Salgueiro
Fatima Lammar
Ana Judite Peres
Belicha Geraldes
Rui Martins
Manuel Amaral
Catarina Syder Fontinha
Maria Jerónimo Costa Zita
Maria Silva
Alberta Lopes
Francisco Pedroso
Anibal Santos
Maria Luísa Lanita
Lezíria Couchinho
Helena Amaral
Maria Adelaide Nogueira
Maria Joao Gouveia
Virginio António Briote
Maria Helena Sacadura Simoes
Maria Manuela Nobre
António Pires Sargento
Maria Cristina Lacerda
Eduardo Duarte Coelho
Pedro André
Rafael Pereira
Sandra Simas
Joana Santos Patrocinio
Jorge Zúniga Almeida Santo
Gonçalo Peres
Ana Azevedo
Rita Luis
Maria Duarte Silva
Sofia Correia
Leonilde Ferreira Viegas
Patricia Saldanha da Gama
Maria Yañez
Fátima Silva
Maria Da Conceição Abreu
Anita Patrício
Cristina Manuela Silva
Teresa Maria Braga Abecasis
Maria Da Conceiçao Batista
Margarida Caldeira da Silva
Ana Filipa Gonçalves
João Firmino
Antonio Sequeira
Selita Maria
Cristina Leal
Eva Monteiro
Paula Veiga
Rui Coimbra
Filipe Brandão
Sofia Pinheiro

“Moradores do Areeiro preocupados com vaga de assaltos e vandalismo” [Público]

Moradores do Areeiro preocupados com vaga de assaltos e vandalismo
Na passada quinta-feira foi detido um homem de 31 anos suspeito de ter levado a cabo sete furtos em estabelecimentos das freguesias dos Anjos, Alvalade, Arroios e Areeiro. Moradores pedem mais policiamento, sobretudo a pé e à noite.

Cristiana Faria Moreira e Xavier Costa 13 de Janeiro de 2020, 20:17

Nos primeiros dias de Janeiro, na Avenida Sacadura Cabral, foram assaltados um restaurante, uma loja de antiguidades e um café e foi vandalizado um carro. Na Rua Egas Moniz, uma loja foi assaltada durante a noite.

ler mais
https://www.publico.pt/2020/01/13/local/noticia/moradores-areeiro-preocupados-vaga-assaltos-vandalismo-1900202

Insegurança no Areeiro

Dada a actual onda de criminalidade que assola o Areeiro, com dezenas de carros vandalizados e de lojas assaltadas entre 24 e 3 de Janeiro e de ontem um assalto a uma farmácia na João XXI os Subscritores apelam:
à PSP que responda:
1. Ao pedido de aumento de meios humanos na PSP Lisboa:
https://vizinhosdoareeiro.org/intervencao-da-cml-na-alameda-aumento-de-vigilancia-e-de-meios-para-a-psp-lisboa/
2. à aceitação do veículo eléctrico:
https://vizinhosdoareeiro.org/apelo-a-psp-aceitacao-do-veiculo-electrico-disponibilizado-pela-junta-de-freguesia-do-areeiro/
3. que mantenham a Esquadra das Olaias com os meios humanos suficientes por forma a garantir que não fecha de noite:
https://vizinhosdoareeiro.org/nao-ao-fecho-nocturno-da-esquadra-das-olaias-e-pela-construcao-de-um-edificio-multiusos-para-policia-bombeiros-e-inem/
recordamos que a PSP não está isenta do cumprimento dos prazos de resposta aos cidadãos prescritos no Código do Procedimento Administrativo
à CML que responda:
1. à sugestão de construção de um novo edifício multiusos para a PSP e outras entidades:
https://vizinhosdoareeiro.org/nao-ao-fecho-nocturno-da-esquadra-das-olaias-e-pela-construcao-de-um-edificio-multiusos-para-policia-bombeiros-e-inem/
2. Que permita que a PSP Olaias possa mudar para algumas salas nos Serviços Sociais da CML:
https://vizinhosdoareeiro.org/proposta-de-avaliacao-da-mudanca-da-esquadra-das-olaias-para-a-afonso-costa/
à Junta de Freguesia do Areeiro:
1. Que responda à sugestão feita em Assembleia de Freguesia de 5 de Dezembro:
Conhecendo a existência de um excedente financeiro nas contas da Junta de Freguesia e a grande carestia de meios na Esquadra da PSP das Olaias esta autarquia poderia entrar em diálogo com esta força de segurança no sentido de identificar doações de equipamento (tais como coletes, tasers ou de outro tipo)?

2. Tendo em que esta autarquia todos os anos substitui equipamento informático será que este (estando em boas condições e se útil) poderia ser doado a esta esquadra da PSP?

Subscrevem
Paula Borges
Rodolfo Franco
Jorge Oliveira
Cláudia Casquilho
Ilda Cruz
Patrícia Matos Palma
Elvina Maria Reis Rosa
Cristina Azambuja
Gabriel Osório de Barros
Teresa Sarmento
Maria Teresa Rodrigues
Ana Benavente
Stela Correia
Rui M. Sousa
Zélia Pereira
Sofia Carvalho Coelho
Pedro Gaurim Fernandes
Anabela Nunes
Ana Costa
Gabriela Lago
Maria Cortez Caetano
Luisa Teresa
Ana Coelho
Maria Teresa Inglês Agostinho
Irene Coelho
Teresa Aroso
José Maia de Loureiro
Pedro Correia
Margarida Magalhães
Maria João Morgado
Leonilde Ferreira Viegas
Sandra João Borges
Ruy Redin
Teresa Lourenco
Susana Maria
Duarte Amado
Gonçalo Pousão
Antonio Sequeira
Luisa Castro Correia
Luis Barata
Mafalda Mendonca
Jorge Santos Silva
Manuela Bastos
Emanuel Genovevo Costa
Eduardo Duarte Coelho
Maria Helena Palhano
Fátima Apolinario Monteiro
Antonio Viegas
Rosário Puga
Joana Santos Patrocinio
Luiza Cadaval de Sousa
Diogo Santos
Márcia Salgueiro
Zélia Brito
Vanessa Correia Marques
Margarida Moreira
Bruno Beja Fonseca
Paula Mendes
Fernando Anjos
Fatima Aparicio
Maria Manuela Nobre
Rui Bras
Vítor Frade
Eugenia Maria Sobreiro
Isabel Tomás
Sofia Silva
Dulce Amaral
Rita Santos Vieira
Maria Jerónimo Costa Zita
Maria Luísa Lanita
Pedro Santos
Teresa Capela
Fatima Lammar
Valentina Crisostomo Teixeira
Marta Filipe
João Maria Vilar
Lezíria Couchinho
João Silva
Rui Martins
André Brandão de Almeida
João Pina
Maria Odete Morais
Ana Cortes
Rui Costa
Maria Bárbara
Manuel Amaral
Carolina Ferreira
Paola Guanca
Joao Girbal Girbal
Filipa Macedo
João Ferreira
Patrícia Garcia
Adélia Gaspar
Maria Helena Rino Moraes
Sílvia Caçador
Ticiana Labate Calcagniti
Rui Ferreira Lopes
Rita Agostinho de Sousa
Ana Castro
Rute Rodrigues
Jaime Correia Rêgo
Dhiana Paciência
Nitucha Jacques
Cristina Cardoso
Pedro Almeida
Anibal Santos
Luis Balão
Maria Teixeira
Rosa Branca Graça
Antonio De Carvalho
Luisa Valente
Rita Costa
Manuela Carvalho
Carlos Gonçalves
Maria Do Rosário Araújo
Maria Fernanda Ribeiro Lopes
Bia Cabral
Margarida Sousa E Silva
Helena Amaral
Sara Anjos
Manuel Góis
Isabel Correia
Paula M Martins Almeida
Elisabete Henriques
Pedro Alves
Ana Veiga
Maria João
Conceição Costa Coelho
Tomaz Alves Oliveira
Maria Jesus Pereira Gambino
Maria Joao Gouveia
Francisco Dias
Zita Rosado Costa
Soledade Veronica
Joana Durão
Ana Paula Pimenta
Leandro Monteiro
Maria Claro Ribeiro
Margarida Maria
Bruno Costa
Maria Gaspar
Isabel Tomas Rodrigo
Carlos Vida
Paulo Puga
Virginio António Briote
Nuno Duarte
Marina Daniela
Teresa Clara Durão
Fran Marques Cuiça
Ana Teresa Santos
Nuno Vicente
Andreia Sousa
Claudia Mendes
Carlos Correia
Telma Moreira
Catarina Coelho
Ana Freitas
Candida Pinto
Joana Ju
Graça Margarido Mick Greer
Tiago Medroa
Marta Ferreira
Susana Duarte Queiroz
António Carlos Teixeira Duarte
Filomena Melro
Ceu Maria Vieira
João Pedro Araújo
Tavi Meister
Catarina Coelho
Maria Dulce Sousa
Suzana Duarte
Teresa Martins
José Rocha
Paula Cardoso
Regina Vaz de Carvalho
Patricia Matos
Valter Martins
Ruben F. Cardoso
Margarida Agostinho
Catarina Marcelino
Ricardo Lima
Mariana Sá Couto
Flavia Cunha Lima
Marta Durão
Andreia Leiria
Pedro André
Francisco Beja da Costa
Sílvia Baptista
Alexandra André
Hugo Gregório
Sonia Adonis
Diogo Mendonça
Isabel Freitas
Susana De Brito Dias
Patricia Mamede
Vânia Sousa
Pedro Morgado
Joana Monteiro
Erika Bayan
Catarina Girão
Sandra Simas
Alexandra Lança de Morais
Miguel Guerreiro
Cristina Casaleiro
Isabel Martins
Cristiana Coelho
Cristina Inacio
Alexsandra Almeida
Tomás d’Almeida Lima
Ana Miguel Choupana
Rui Dias
Marisa Fortes
César Ramalho
Cláudia Cardoso
Carolina Rebelo
Teresa Alves
Diana Fernandes
Joana Rocha
Sandra Jacob
Francisco Barreto Caldeira
Manuela Carvalho
Cristina Salvador
Francisco Lerias
Rui Agostinho
Maria Concepcion
Carolina Mesquita
Amélia Marcos
Rui Martins
Lucilia Guimaraes
Ana Vicente
Elsa Portugal
Teresa Carrilho
Tuti Andrade Rocha
Paula Saragoça
Andreia Cunha Dias
Ana Azevedo
Tiago Durão
Susana Reis
Elsa Santos Alípio
Ana Paula Bárcia
Rita Luis
Gonçalo Leitão
Maria Ofélia Rodrigues
Maria Anabela Melo Egídio
Sofia Correia
Patrícia Lopes
Francisco Martins
Alexandra Costa
Vitória Pinheiro
Margarida Serra
Carla Camara
Filipa Duarte
Rita Costa
Cristina Gomes da Cunha
Mickael Gonçalves
Filipa Ramalho Rickens
Dora Santos Silva
Tiago Miranda
Soledade Maria Rodrigues
Eduardo Pires
Teresa Fonseca Sobral
Graça Aníbal
Joana Fernandes
Maria João Gouveia
Belicha Geraldes
Fátima Paiva
Carla Caló
Bárbara d’Azevedo
Mafalda Teixeira
Fernanda Maria Gouveia
Leonor Santa Bárbara
Mafalda Sequeira
Sofia Pimentel
Teresa Menezes
Ana Filipe
Rita Martinez
Rui Castelo
Cátia Pedro
Fernanda Cunha
Mariana Bettencourt
Cláudia Borges
Fernando Mora de Oliveira
Raquel Soares
Beatriz Afonso
Mafalda Alegria
Hélder Cotrim
Maria Helena Ferro
Diogo Campos Lopes
Célia Lopes
Andreia Andrés Forte
Nanda Ruaz
Ana Sofia Lobato
Gonçalo Vitorino
Luis Chastre
Paulo Almeida Fernandes
Luis Padinha
Rui Pedro Henriques
Inês Martinho
Inês Teixeira
Pedro Mendes Pinto
Susanna Pinto
Cristina Manuela Silva
Teresa Maria Braga Abecasis
Didi Ramos
Ines Guimaraes
João Colucas
Gil Salema da Costa
Tania M Cunha
Susana Carmona
Rui Martinho
Carla Carvalhal
Sofia Pereira
Ana Assunção
Ana Paula Costa
Goncalo Ramalho
Cristina Alexandre
Ana Filipa Gonçalves
Gerson Antunes Costa
Magda Bragança Rubio
Antonieta Soares Ribeiro
Rita Mathias
Maria Graça
Rui Pedro da Ponte
Porfírio Sampaio
Filipe Ruivo
Teresa Lume
Rita Dias Costa
João Firmino
Daniela Bonança
Nathalie Chatelain Antunes-Ferreira
Maria João Rico
Tania Silva Pinto
Andreia Gouveia
Carolina Nascimento
Catarina Caldas
Dinashvari Lacmane
Isabela Correia e Brito
Marisa Costa
Pedro Costa Pinto
Carlos De Sá Aparício
Rita Martins
Carla Marcedo
Sérgio Pereira
Beatriz Maia
Ines Nascimento
Vanessa Santos
Bernardo Horta E Costa
Nathalie Dos Santos Antunes
Andrea Guimarães
Marta Fonseca
Nuno Maldonado Tuna
Manel Barroca
Paula Veiga
Luis Rebordao Sampaio
Cristina Matos
Rita Martins Pereira
Ricardo Costa
Ricardo Chambel Esteves
Helder Miranda
Inês Costa
Bruno Silva
Maria Moura Fonseca
Maria Boavida
Liliana Costa
Marta Onofre
Filipe Brandão
Maria Conceição Pereira Figueiredo
Hugo Pereira
Miguel Bettencourt
Ivo Castro
Isabel Martins
João Machado
Andreia Vicente
Gonçalo Magalhães Carvalho
Maggie Jacinto
Sofia Pinheiro
Raquel Vieira
Pedro Chaves Ferreira
João Carvalho
Elisa Cluny Summavielle
Rogério Costa
Paulo Oliveira

Alertas: Falso peditório “homens do lixo” e Burlão do “vidro na sandes”

1.
Há um burlão na freguesia que já usou o mesmo esquema em pelo menos 5 cafés diferentes: pede uma sandes ou uma bifana e alega depois ter encontrando vidro no pão. Pede entre 100 a 200 euros para “pagar o dentista” e se esta verba não lhe for dada ameaça “regressar com a família”.
Se acontecer consigo: faça Participação na PSP (muito importante)
Este burlão está a usar este esquema no Areeiro (sobretudo) mas também em Telheiras e terá começado a exercer esta “actividade” em meados do ano passado e, há duas semanas na zona do Bairro dos Actores.

2.
Após alguns meses eis que regressou à actividade um indivíduo que aborda os moradores nas suas residências pedindo para os trabalhadores da Câmara que recolhem o lixo durante a noite.
Este peditório não tem qualquer legitimidade ou base real pelo que recomendamos que não ceda qualquer verba e que, claro, conserve a porta fechada e não a abra a desconhecidos.

Algumas notas do “à Conversa com Vizinhos” de 18.01.2020

Temas abordados:
1. Vaga de assaltos e vandalismos na freguesia
2. Bicicletas sobre os passeios e riscos decorrentes para os peões
3. Entrega da viatura para a PSP por parte da Junta de Freguesia do Areeiro
4. Estado (mau) geral dos passeios na freguesia
5. Os jardins da freguesia começam a ficar inseguros: fechar os jardins de noite pode ser uma opção ou a instalação, nestes locais, de câmaras de videovigilância
6. Há cada vez mais Sem Abrigo na Freguesia assim mendicidade com – aparente – destino para consumo de droga
7. Guardas Nocturnos poderiam ser uma solução para o problema da insegurança no Areeiro
8. Apesar de todas as (más) notícias viver no Areeiro continua a ser seguro
9. Os sacos de lixo na rua continuam a ser um problema no Areeiro
10. Sugestão de semáforos com temporizadores no Areeiro como já sucede, p.ex, no Parque das Nações
11. Os Cabos Selvagens de comunicações em prédios dão fealdade à freguesia

Informações partilhadas:
1. Foi detido um dos autores (talvez o mais prolífico) de alguns dos crimes. Mas eles continuaram nos dias em que esteve detido (já deve estar livre) e noutras tipologias. O problema – apesar do reforço de policiamento – não está assim “resolvido”.
2. A construção de ciclovias dedicadas ou partilhadas nos próximos meses no Areeiro deverá diminuir a incidência deste fenómeno. De qualquer forma, e no entretanto, há que chamar a atenção dos ciclistas que têm comportamentos de risco dentro dos limites da civilidade e da tolerância. Importa também qualificar os passeios por forma a evitar que peões circulem em ciclovia.
3. A segurança e mobilidade pedonais são uma das prioridades dos Vizinhos tendo já sido lançadas várias iniciativas nesta área que terão seguimento
4. Há garantias por parte da PSP de que os meios da PSP Areeiro serão reforçados e a viatura aceite. Vamos seguir estes pontos com particular atenção assim como a sugestão de doação de equipamento à PSP por parte da Junta de Freguesia.
5. O surto de criminalidade parece ligado ao aumento do tráfico de droga no Bairro Portugal Novo desde março de 2018. A solução deste foco e problema habitacional e de qualidade de vida (para os moradores cumpridores) está na agenda da CML e na lista de intervenções do Governo. Há que seguir o tema e manter a pressão.
6. A Junta comprometeu-se a pagar a um Guarda Nocturno para vigiar a freguesia. Este compromisso, contudo, ainda não se materializou. O foco é, e deve ser, contudo, no reforço dos meios humanos e equipamentos da PSP.
7. A revisão da Carta Educativa decorre ainda… Em tese está terminada dentro do próximo ano, ano e meio.
8. O betuminoso e a ciclovia da Manuel da Maia devem estar terminados este fim-de-semana
9. A passadeira entre a Av México e a Pç de Londres será intervencionada para receber um semáforo para peões
10. A paragem de autocarro no começo da Av de Roma vai mudar para a Pç de Londres por forma ganhar aqui lugares de estacionamento
11. A obra na Pç de Londres deve terminar em finais de Fevereiro
12. Em 2017 já abordámos a CML sobre a questão dos cabos de comunicação. Houve então o compromisso de resolver o problema em 2018. Tal não aconteceu. Évora e Golegã resolveram o problema (o que prova que existem soluções: como as calhas que se vêm na Manuel da Maia, Cp Pequeno e Cervantes, p.ex.). Entretanto reportar à CML para que esta pressione os condomínios a pressionarem, por sua vez, os operadores, é uma abordagem possível (em média apenas 1 em 4 cabos está a ser usado)
13. Estamos na época da Lagarta do pinheiro: é muito venenosa e estamos na época dela: Cuidado com cães e crianças no Logradouro da Cervantes e no tabuleiro da Fonte Monumental da Alameda.
14. Iremos repetir – nos próximos meses – este “à Conversa com Vizinhos”
15.

Vaga de Insegurança no Areeiro

https://sicnoticias.pt/pais/2020-01-16-Assaltos-e-episodios-de-vandalismo-cada-vez-mais-frequentes-no-Areeiro-Lisboa

https://www.rtp.pt/play/p5286/e439787/portugal-em-direto/784299

https://www.tsf.pt/portugal/sociedade/psp-de-lisboa-nao-responde-ha-dois-anos-a-oferta-de-veiculo-da-junta-do-areeiro-11713133.html?fbclid=IwAR1SuUIu6XZ8jvY2K3uSK9KWULYirP7uEAFpLrNtVZC3URDZEkMBuGrb50U

Reunião dos Vizinhos do Areeiro com a 5ª Divisão da PSP Lisboa

A 15 de Janeiro, os Vizinhos do Areeiro tiveram uma reunião com a 5ª Divisão do Comando Territorial de Lisboa em que os temas foram aqueles que estão em subscrição pública no
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/2343008822678578/
Mais em particular, fizemos uma descrição da actual onda de vandalismo e crime no Areeiro e reforçámos a necessidade de melhorar os meios da Esquadra para que para além de um Policiamento Reactivo exista também no Areeiro um verdadeiro policiamento preventivo e de proximidade.
Ficou patente, na reunião, de que existe no Areeiro um fenómeno massivo de subparticipação de crime constando que boa parte dos crimes e situações que nos chegam, todos os dias, ao conhecimento não produzem uma participação na PSP o que explica porque é que as estatísticas oficiais apontam para uma estabilização na actividade criminosa no Areeiro (nas estatísticas oficiais do número de crimes contra propriedade existe uma manutenção com ligeira diminuição) enquanto que os números e factos que nos chegam apontam noutra direcção, especialmente neste surto anómalo que começou em novembro de 2019 e que se estendeu em janeiro e que começa, agora, a dar sinais de algum abrandamento.
Ficaram abertos canais de comunicações e haverá seguimento desta reunião.