Clube de Leitura Virtual” do Areeiro

Em que cada um partilha o que anda a ler nestes dias “covidianos”.
Recomendações de Participação:
1. publique um post por cada livro que lê: comente o post com citações e comentários
2. o livro é lido no Areeiro ou foi comprado o livro no Areeiro
3. o livro foi comprado para ser lido durante a duração desta crise sanitária
4. no fim da leitura: escreva a sua recomendação de leitura (ou não)

Participe em
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/2404766889836104/

“Grupos de entreajuda distribuem comida e medicamentos a quem não pode sair de casa” [TSF]

“Com o isolamento social recomendado pelo Governo, há muita gente que não pode ou receia sair de casa. Para ajudar quem não pode sair, têm surgido vários grupos informais de vizinhos que se disponibilizam a ir comprar o que for necessário.

Os idosos são um dos grupos de risco e foram aconselhados a ficar em casa
Os idosos são um dos grupos de risco e foram aconselhados a ficar em casa© Epa

PorSara de Melo Rocha com Catarina Maldonado Vasconcelos16 Março, 2020 • 09:40

Ocuidado (com os outros) em tempos de pandemia. Nem o isolamento social imposto pela chegada da Covid-19 a Portugal acabou com o sentido de comunidade em localidades de todo o país.

Ouça a reportagem da jornalista Sara de Melo Rocha.00:0002:09

A ideia de uma rede comunitária para, à escala de cada bairro, levar aos que não podem sair de casa os bens essenciais de que necessitam nasceu em 2009. A ameaça era, nessa altura, a gripe A, e Graça Margarido sentiu-se então inspirada para começar a ajudar. “Eu tive gripe A e o meu marido também; os meus filhos eram pequeninos nessa altura”, lembra.

“Ficámos sem pasta de dentes, e foi uma vizinha que nós não conhecíamos que nos ajudou e levou os miúdos à escola, porque eles não estavam doentes.” Assim germinou a ideia. Graça Margarido divulgou então a disponibilidade num grupo de Facebook dirigido aos vizinhos do Areeiro, em Lisboa.

SUBSCREVER NEWSLETTER

Subscreva a nossa newsletter e tenha as notícias no seu e-mail todos os diasSUBSCREVER

A resposta foi imediata: “Eu não sou muito ativa no Facebook. Nunca na vida tinha tido nada com tanto impacto.” E o resultado foi exatamente o que esperava e “era necessário, que era chamar a atenção para o facto de todos precisarmos uns dos outros”.

Agora, com uma nova quarentena estendida a todo o país, são muitos os grupos informais que começam surgir para dar resposta à Covid-19, para o caso de ser “preciso que alguém vá levar compras ou medicação – claro que não é para entrar na casa de ninguém, há de ser para deixar na porta, por exemplo” -, explica Graça Margarido à TSF.

“Alguém vai à rua hoje? Será que me podem trazer aquilo de que preciso?” Foi para dar resposta a estas perguntas que Graziela Sousa, residente no bairro de Santa Engrácia, criou um formulário online que pode ser preenchido por quem precisa de ajuda. “Se alguém quiser inscrever o seu nome, o bairro e a morada – só para eu ver -, eu posso depois organizar por bairros”, acrescenta.

Além de disponibilizar a rede de distribuição informal de alimentos e fármacos, a iniciativa vem também, nem que seja por momentos, contrariar a sensação de isolamento social. “Penso que esta questão do isolamento é muito forte e muito premente. Nem toda a gente tem amigos cá, nem pessoas a telefonar todos os dias, mas, se eu souber que as cinco pessoas do meu bairro estão bem, eu também fico descansada.”

O apoio entre vizinhos tem vindo a surgir naturalmente um pouco por todo o lado: seja através de um papel na parede do prédio ou
de um alerta num grupo de Facebook. Tudo para que o país não mergulhe numa quarentena absoluta e para que o sentido de comunidade se mantenha.”

https://www.tsf.pt/portugal/sociedade/grupos-de-entreajuda-distribuem-comida-e-medicamentos-a-quem-nao-pode-sair-de-casa-11934616.html

“VIZINHOS DO AREEIRO QUEREM ENTREGAS AO DOMICÍLIO” [Olhares de Lisboa]

“Um grupo de cidadãos do Areeiro decidiu pedir apoio à Junta de Freguesia para se implementar um sistema de entregas ao domicílio que evita a deslocação dos residentes a lojas, mercearias e supermercados.Como forma de minimizar os riscos de contágio do Covid-19, os «Vizinhos do Areeiro» querem evitar a deslocação dos residentes aos estabelecimentos comerciais e, por isso, propõem à Junta de Freguesia que ajude a «organizar e implementar um sistema de entregas ao domicílio que possa ser utilizado pelo comércio local do Areeiro».

Segundo esse grupo de cidadãos, este apoio poderá «ajudar a manter os laços comerciais de vizinhança, a prestar um serviço útil a todos e a mitigar algum do prejuízo que esta situação irá criar».

Os «Vizinhos do Areeiro» salientam que, «neste contexto especial da pandemia Covid-19», deveriam ser tomadas medidas que também defendam o comércio local. Assim, enquanto moradores, os Vizinhos do Areeiro querem «ter Comércio Local porque o Comércio Local representa vida, alternativas, emprego e desenvolvimento para a economia local».

Desta forma, esse grupo de cidadãos propõem que «o IMI em lojas vazias há mais de 1 ano seja agravado por forma a estimular o seu regresso ao mercado e pelo aumento da oferta pressionar os preços» e que o IRS de lojas arrendadas a longa duração (mais de 3 anos) seja reduzido.

Por outro lado, esses cidadãos pretendem que sejam anuladas as taxas pagas por comerciantes à Câmara de Lisboa e à Junta de Freguesia.

Mais de Vizinhos do Areeiro: 

Se tiver algum dos sintomas ou se encontrar num grupo de risco https://covid19.min-saude.pt/ e se precisar que alguém lhe leve algo a casa:
Envie mensagem privada para 
https://www.facebook.com/Vizinhos.do.Areeiro/
e um Vizinho do Areeiro irá em sua ajuda!

Senhor comerciante:

Tem um serviço de entregas ao domicílio?
Envie mensagem para 
https://www.facebook.com/Vizinhos.do.Areeiro/ para que o mesmo seja adicionado a
https://www.facebook.com/notes/vizinhos-do-areeiro/com%C3%A9rcio-do-areeiro-com-entregas-ao-domic%C3%ADlio/2401687910144002/

https://olharesdelisboa.pt/vizinhos-do-areeiro-querem-entregas-ao-domicilio/

COVID-19: Propostas à EMEL e Higiene Urbana: Suspensão da cobrança de títulos e reforço dos ciclos de higiene urbana

Os Vizinhos do Areeiro propõe:

à EMEL (CML):Sugerimos à EMEL que enquanto durar esta crise sanitária suspenda as cobranças de títulos de estacionamento à semelhança do que já se faz em algumas cidades italianas por forma a que mais cidadãos possam usar o seu transporte individual durante este excepcional período de emergência.
Como compensação pela perda de lugares aos moradores apelamos à EMEL que abra aos moradores com títulos de residência o acesso provisório aos seus parques (nomeadamente na Gago Coutinho, Margarida de Abreu e Casal Vistoso)

à CML (Higiene Urbana):
Que reforce os ciclos de recolha de resíduos urbanos: designadamente nas zonas mais comerciais da freguesia.

Subscrevem:
Rui Pedro Martins
Cláudia Casquilho
Anabela Nunes
Stela Correia
Ilda Cruz
Zélia Pereira
Elvina Maria Reis Rosa
Teresa Aroso
Maria Teresa Inglês Agostinho
Teresa Raposo
Maria Delfina Vasconcelos
Eduardo Pessoa Santos
Tania Silva Pinto
Fernando Anjos
Francisco Tellechea
Margarida Moreira
Margarida Botelho
Dulce Marques Ferreira
Fátima Mayor
Ana Sampedro
Rita Sommer
Fatima Lammar
Ellie Zephyra
Carla Sousa
João Daniel
Guida Costa
Maria Gameiro
Catarina Syder Fontinha
Mary John
Hugo Sousa
Maria Jerónimo Costa Zita
Maria Do Carmo Batalha
Ana Castro
Carlos Alberto Vieira
Dina Gomes
Carlos Pinheiro
Alexandra Dias
Maria Luísa Lanita
Lezíria Couchinho
Manuel Góis
Margarida Seguro
Maria João
Paula Oliveira
Yolanda Palma
João Sousa Lima
Valentina Crisostomo Teixeira
Mário Baptista
Aurélia Constantino
Maria Helena Morais
Ricardo Quintão
Vera Levy Gomes
Eva Tavares
Teresa Lourenco
Maria Fernanda
Rosângela Herdy Givisiez
Catarina Fg
Margarida Graça
Pedro André
Eva Ligthart da Costa
Rafael Pereira
Pedro Morgado
Sandra Simas
Sandra Jacob
Cristina Salvador
Rui Agostinho
Maria Concepcion
Teresa Peixoto
Paula Saragoça
Claudia Arriegas
Ana Vieira Almeida
Sara Gao
Antónia Peças
Ana Marques Gastão
Ana Cristina Martins
Antonieta Jacinto
Vera Fernandes
Cátia Pedro
Nicole Ferreira
Maria Da Conceição Abreu
Margarida Duarte Vinhas
Anita Patrício
Patricia Roby Gonçalves
2 amigos em comum
Genoveva Rebordão de Sousa
Antonieta Soares Ribeiro
Porfírio Sampaio
Vanessa Correia Marques
Maria João Rico
Tiago Rosado
Maria Cabral de Azevedo
Carol Costa
Marta Fonseca
Vítor Frade
Anette Paulette
Tania Blanc
Rita Martins Pereira
João Camilo Martins
Denise Viana
Ruy Redin
Elisabete Figueiredo Pedro
Ivo Castro
Miguel Góis
Tiago Gaio

COVID-19: Sistema de entregas ao domicílio pela Junta de Freguesia do Areeiro

Solicita-se à JFA que ajude a organizar e implementar um sistema de entregas ao domicílio que possa ser utilizado pelo comércio local do Areeiro. Consideramos que este apoio poderá ajudar a manter os laços comerciais de vizinhança, a prestar um serviço útil a todos e a mitigar algum do prejuízo que esta situação irá criar.

Solicita-se à JFA que ajude a organizar e implementar um sistema de entregas ao domicílio que possa ser utilizado pelo comércio local do Areeiro. Consideramos que este apoio poderá ajudar a manter os laços comerciais de vizinhança, a prestar um serviço útil a todos e a mitigar algum do prejuízo que esta situação irá criar.

Subscrevem:
Rui Pedro Martins
Cláudia Casquilho
Anabela Nunes
Stela Correia
Ilda Cruz
Zélia Pereira
Elvina Maria Reis Rosa
Teresa Aroso
Maria Teresa Inglês Agostinho
Teresa Raposo
Maria Delfina Vasconcelos
Eduardo Pessoa Santos
Tania Silva Pinto
Fernando Anjos
Francisco Tellechea
Margarida Moreira
Margarida Botelho
Dulce Marques Ferreira
Fátima Mayor
Ana Sampedro
Rita Sommer
Fatima Lammar
Ellie Zephyra
Carla Sousa
João Daniel
Guida Costa
Maria Gameiro
Catarina Syder Fontinha
Mary John
Hugo Sousa
Maria Jerónimo Costa Zita
Maria Do Carmo Batalha
Ana Castro
Carlos Alberto Vieira
Dina Gomes
Carlos Pinheiro
Alexandra Dias
Maria Luísa Lanita
Lezíria Couchinho
Manuel Góis
Margarida Seguro
Maria João
Paula Oliveira
Yolanda Palma
João Sousa Lima
Valentina Crisostomo Teixeira
Mário Baptista
Aurélia Constantino
Maria Helena Morais
Ricardo Quintão
Vera Levy Gomes
Eva Tavares
Teresa Lourenco
Maria Fernanda
Rosângela Herdy Givisiez
Catarina Fg
Margarida Graça
Pedro André
Eva Ligthart da Costa
Rafael Pereira
Pedro Morgado
Sandra Simas
Sandra Jacob
Cristina Salvador
Rui Agostinho
Maria Concepcion
Teresa Peixoto
Paula Saragoça
Claudia Arriegas
Ana Vieira Almeida
Sara Gao
Antónia Peças
Ana Marques Gastão
Ana Cristina Martins
Antonieta Jacinto
Vera Fernandes
Cátia Pedro
Nicole Ferreira
Maria Da Conceição Abreu
Margarida Duarte Vinhas
Anita Patrício
Patricia Roby Gonçalves
2 amigos em comum
Genoveva Rebordão de Sousa
Antonieta Soares Ribeiro
Porfírio Sampaio
Vanessa Correia Marques
Maria João Rico
Tiago Rosado
Maria Cabral de Azevedo
Carol Costa
Marta Fonseca
Vítor Frade
Anette Paulette
Tania Blanc
Rita Martins Pereira
João Camilo Martins
Denise Viana
Ruy Redin
Elisabete Figueiredo Pedro
Ivo Castro
Miguel Góis
Tiago Gaio

“Estudante de Gondomar oferece ajuda a idosos nas compras. E não é o único Vizinhos estão a oferecer-se para ajudar os mais idosos durante o período de quarentena” [Diário de Notícias]

“Um estudante universitário de Gondomar disponibilizou-se para fazer as compras de supermercado, gratuitamente, a quem necessitar durante o período de quarentena provocada pela covid-19 depois de se ter colocado “no lugar da avó, octogenária, e constatado as dificuldades”.

Francisco Teixeira tem 20 anos, frequenta o terceiro ano da licenciatura de Gestão de Marketing no Instituto Português de Administração de Marketing (IPAM) do Porto e, relatou à agência Lusa, apesar de remetido a “quarentena obrigatória” quer ajudar as pessoas mais necessitadas.

“Meti-me no lugar da minha avó, que é octogenária, vive sozinha e, como tantos outros, precisa que a ajudem e pensei que o poderia fazer, sem problema nenhum”, contou o jovem residente em Baguim do Monte, no concelho de Gondomar.

O passo seguinte, disse, foi na sexta-feira à noite colocar um anúncio nas redes sociais Facebook e Instagram com a seguinte mensagem: “Disponibilizo-me gratuitamente a ir ao supermercado e entregar em casa bens essenciais durante o período de quarentena a todos aqueles que não tenham essa possibilidade”, texto depois afixado “à porta do prédio” onde reside e onde “também habitam pessoas idosas”.

“É também meu objetivo que isto possa ter um efeito catalisador e que mais pessoas o façam, pois há muitas pessoas a precisar de ajuda e nós podemos fazê-lo”, disse.

Não é caso único

O caso de Francisco Teixeira não é único. O humorista Luís Filipe Borges partilhou no Instagram a mensagem que uma vizinha, Inês, colou à entrada do prédio.

“Tendo em conta a situação complicada que todos vivemos, aos vizinhos que, pela idade, ou complicações de saúde, estejam neste momento com receio de se deslocarem à rua, disponibilizo-me para ajudar com coisas simples como ir ao supermercado ou à farmácia, ou outra necessidade que considerem mesmo importante”, escreveu na nota. “Ninguém é uma ilha”, acrescentou.

No Facebook, Bruno Freitas partilhou a mesma informação que colocou no seu prédio, sendo que já foi partilhada mais de 1300 vezes.

Marta Cerqueira partilhou também no grupo de Vizinhos do Areeiro, no Facebook, o aviso que afixou no seu prédio, com várias pessoas a comentar que iriam seguir o seu exemplo.”

https://www.dn.pt/pais/estudante-de-gondomar-oferece-ajuda-a-idosos-nas-compras-e-nao-e-o-unico-11930073.html

COVID-19: Propostas à CML para criar melhores condições para o Comércio no Areeiro

Enquanto moradores queremos ter Comércio Local porque o Comércio Local representa vida, alternativas, emprego e desenvolvimento para a economia local mas algumas das intervenções recentes na Av de Paris, Pç de Londres e Guerra Junqueiro vieram reforçar uma crise que já vinha de trás a explosão de preços no arrendamento urbano veio agravar.

(agora em especial contexto devido à pandemia COVID-19)

Assim sendo propomos:

1

Que a CML inste o Governo no sentido de legislar para que:

1a) o IMI em lojas vazias há mais de 1 ano seja agravado por forma a estimular o seu regresso ao mercado e pelo aumento da oferta pressionar os preços

1b) o IRS de lojas arrendadas a longa duração (mais de 3 anos) seja reduzido

2

A CML subsidiar a 100% as senhas para o parque da Empark com desconto para a 1.ª hora sendo que estas senhas seriam dadas como oferta (por escala de despesa) nas lojas nos arruamentos onde se constroem ciclovias como forma de atrair mais clientes a estas zonas.

3

Assinalar no chão, com pintura horizontal na Av. Guerra Junqueiro, a sinalização do parque da Alameda por forma a que os clientes dos espaços comerciais compreendam a facilidade de acesso ao parque a partir da Guerra Junqueiro.

4

Aumentar os lugares de cargas e descargas e permitir o estacionamento gratuito de muito curta duração (menos de 20 minutos). Ponderar a possibilidade da adição de “estacionamento exclusivo a cliente da Av Guerra Junqueiro”.

5

Anular as taxas pagas por comerciantes à CML e JFA durante um ano após o termo e durante a duração de qualquer obra: medida com efeito retroactivos

6

A CML deve avaliar propor ao Governo e à AR uma medida provisória de tecto máximo por m2 , como recentemente fez Berlim, aplicável ao arrendamento comercial.

7

Nos 15 (!) lugares de estacionamento reservados ao Ministério do Trabalho permitir o estacionamento de muito curta duração para uso pelos clientes das superfícies comerciais: sobretudo ao sábado de manhã e depois das 17 (limitando a reserva entre as 0900 e as 1700)

8

Publicidade no Metro da Alameda e em conjunto com os vários hotéis da zona direcionado para o nosso comércio: O Comércio Tradicional ConVida

Subscrevem:
Jorge Oliveira
Rodolfo Franco
Nuno Dinis Cortiços
Cláudia Casquilho
Elsa Felizardo
Ana Paula Araujo
Ilda Cruz
Patrícia Matos Palma
Madalena Matambo Natividade
Ana Costa
Stela Correia
Cristina Azambuja
Anabela Nunes
Gabriela Lago
Teresa Aroso
Ana Benavente
Maria Teresa Inglês Agostinho
Zélia Pereira
Maria Delfina Vasconcelos
Pedro Gaurim Fernandes
Anabela Gouveia
Maria João Morgado
Luisa Castro Correia
Herculano Rebordao
Cristina Milagre
Fernando Anjos
Ana Sampedro
Teresa Sotto Mayor Carvalho
Duarte Amado
Jacinto Manuel Apostolo
Dulce Amaral
Belicha Geraldes
Francisco Tellechea
Carla Caló
Carolina Veloso Martins
Bruno Beja Fonseca
Raquel Ferreira de Melo
Rui Martins
Ana Marques
Lailai Sales
Guida Costa
Dorota Lomba
Isabel Conceição
Ana Cristina Ribeiro
Augusta Presa
Jean Ricardo
Ana Marques
Maria Jerónimo Costa Zita
Eduardo Júlio
Rosa Maria Troufa Real
Rui Ferreira Lopes
Ana Castro
Carlos Alberto Vieira
Rute Rodrigues
Nitucha Jacques
Cristina Cardoso
Alberta Lopes
Maria Barbara Troni
Carlos Pinheiro
Anibal Santos
Ana Fernandes
Filomena Maria Aleixo
Sara Anjos
Grata Sombreireiro MC
Miguel André
Graciano Venâncio Morais
Alexandra Cardoso
Maria Rita Oliveira
Tomaz Alves Oliveira
Maria Jesus Pereira Gambino
Elsa Borges da Silva
Maria Odete Carmona
Maria Claro Ribeiro
Yolanda Palma
Nazare Miranda
Maria José Bernardo
Fernanda Santos
Sandra João Borges
Nuno Duarte
Ana Alcinda Lomba
Nazare Ferreira
Lidia Monteiro
Catarina Coelho
Luis Pina Amaro
Maria Margarida Silva
Maria Manuela Nobre
Maria Cristina Lacerda
Ricardo Castro
Ana Hipólito Pires
Pedro André
Alexandra André
Bruno Dias de Carvalho
Susana De Brito Dias
Joana Monteiro
Sandra Simas
Alda Salcedas
Isabel Barreto
Maria Luisa Ferreira
Cristina Inacio
Inês Luís
Joana Santos Patrocinio
Celina Gil
Ana Canha
Cristina Salvador
Maria Concepcion
Isabel Bastos
Isabel Tomás
Ana Vicente
Teresa Peixoto
Francine Côrte-Real
Teresa Braamcamp Mancellos
Andreia Cunha Dias
Maria João Serra
Sónia Maia
Maria Duarte Silva
Sofia Correia
Vera Roquette
Alexandra Costa
Maria Pissarra
Sérgio Manuel Cónim
Múri Kraft
Sofia Vale
Leonor Braz Teixeira
Graça Aníbal
Fátima Silva
Paulo Baptista
Fernando Barroso de Moura
Mariana Bettencourt
Manuela Paixão
Mafalda Alegria
Margarida Duarte Vinhas
Nanda Ruaz
Gonçalo Vitorino
Victor Ribeiro
Isabel Real
Necas Diniz
Maria João
Teresa Maria Braga Abecasis
Bruno Paradela De Oliveira
Sofia Pereira
André Quartin Santos
Ana Chau
Ana Filipa Gonçalves
Antonieta Soares Ribeiro
Francisco Lopes da Fonseca
Maria Lourdes Alves Gouveia
Rui Pedro da Ponte
Porfírio Sampaio
Vanessa Correia Marques
Antonio Sequeira
Sofia Silva
Catarina Rebelo
Luana Cunha Ferreira
Ana Sofia Freitas
Manuela Rodrigues
Helder Miranda

Resposta da CML

Exmos. Senhores

Vizinhos do Areeiro

Em resposta ao seu email de 16 de Março de 2020, somos a informar o seguinte.

De acordo com a informação disponível no sítio da Câmara Municipal de Lisboa, mais concretamente em https://www.lisboa.pt/atualidade/noticias/detalhe/pagamento-de-estacionamento-suspenso-e-e-gratuito-para-residentes-em-parques-emel, o pagamento de estacionamento na via pública está suspenso, devendo contudo ser respeitados os lugares reservados a funções específicas, tais como lugares exclusivos a residentes, lugares para operações de cargas e descargas, lugares para portadores de mobilidade reduzida, entre outros.

Assim, as equipas de fiscalização da EMEL e a divisão de trânsito da Polícia Municipal continuarão a assegurar a fiscalização do estacionamento da cidade. Os meios serão reforçados e alocados na manutenção de canais de circulação livres, incluindo veículos que limitem a circulação de outros veículos, em particular de emergência, acessos a propriedades incluindo garagens, ou qualquer infração que ponha em causa a segurança ou a livre circulação de pessoas e veículos, e zonas de estacionamento especial, como sejam locais de carga e descarga, paragens de autocarros, zonas de residentes, ou qualquer local de estacionamento privativo necessário para o normal funcionamento da entidade a que está atribuído.

Estas medidas serão monitorizadas e avaliadas em função da situação da cidade, podendo ser alteradas ou revogadas a qualquer momento, estimando-se, porém, a sua manutenção, em condições normais, até pelo menos dia 9 de abril.

Estas medidas visam reduzir as dificuldades de estacionamento para residentes em especial em zonas de maior pressão, e sobretudo melhorar a condição de quem cumpre situações de quarentena ou isolamento social, como recomendado, e de quem contribui com o seu trabalho para funções essenciais.

Com os melhores cumprimentos.

Gabinete do Vereador Miguel Gaspar

Câmara Municipal de Lisboa