Reclamação Colectiva à EMEL enviada para Livro de Reclamações e com o registo ROR00000000000880060.

1
Crescem os relatos de moradores com dísticos EMEL que não conseguem renovar os mesmos: Indiferentes à situação os fiscais continuam a autuar os veículos. Quando confrontados com os problemas na renovação respondem (por vezes) para “colocar uma impressão do mail no carro (com o formulário juntamente com o dístico expirado)” apesar dessa indicação a multa continua e nada garante que não seja renovada.

2
A EMEL parou de enviar avisos alertando para a expiração dos dísticos: Contactada sobre a situação alegou que “é uma cortesia e não são obrigados a isso”. Como consequência, muitos moradores que se habituaram a receberem os avisos não vão renovar o dístico e serão multados. Há dúvidas quanto à legalidade desta suspensão de alertas.
Outros moradores, contudo, estão a receber estes alertas: não é claro porque há esta diferença de critérios.

3
Não está a haver atendimento presencial sem marcação e muitas mensagens enviadas para agendamentos@emel.pt não estão a ter qualquer resposta.

4
Há moradores que receberam marcação de agendamento para dia 22 e que haveria um contacto dentro de 72 Horas mas 8 dias volvidos não houve esse contacto e os dísticos entretando expiraram.

5
A EMEL parece estar a enviar os alertas para renovação (os que são enviados) para o carro “ principal “ os secundários ou de empresa tem que se agendara com antecedência.

6
Estão a ser reportados grandes atrasos no envio dos dísticos após pagamento: alguns estão a ser recepcionados quase no dia do prazo ou já mesmo depois dele.

7
Há carros a serem rebocados por causa do dístico expirado: num contexto de dificuldades de serviço e de prazos ultrapassados não faz sentido.

Apelo dos Vizinhos do Areeiro aos operadores com Lojas Online: Origem dos Produtos

s subscritores acreditam que, em resultado da crise COVID-19, foram adoptadas novas práticas a que a maior parte da população ainda não tinha aderido, nomeadamente a realização de compras de supermercado através da Internet.

No entanto, verificámos que nos sites dos diversos operadores (Continente, Pingo Doce, Auchan, Lidl, etc), não se encontra facilmente a proveniência dos produtos, não sendo claro se são nacionais ou de outros países.

Assim sendo, os subscritores propõem aos operadores com lojas online que:

  1. Adicionem de forma clara e visível a origem dos seus produtos;
  2. Promovam a visibilidade e a venda de produtos de origem nacional, nomeadamente nos frescos (vegetais, carne e peixe), em mercearia, de higiene e limpeza, de vestuário ou produtos para o lar.

Subscrevem:

Rui Martins
Ilda Cruz
Teresa Antunes
Rahyara De Sousa
Eduardo Júlio
Stela Correia
Henrique Ferro
Rui Ferreira Lopes
Rui Bras
Teresa Sotto Mayor Carvalho
Rita Pontes
Alexandra Dias
Maria Teresa Inglês Agostinho
Cristina Azambuja
Zélia Pereira
Duarte Silva Manuel
Zita Rosado Costa
Maria Claro Ribeiro
Teresa Correia
Carmen Padrão
Margarida Rodrigues
Teresa Clara Durão
Catarina Caetano
Jorge Oliveira
Pedro Marques
Eugenia Maria Sobreiro
Maria Martins da Silva
Anabela Matos
Valter Martins
Margarida Agostinho
Ana Costa
Madalena Matambo Natividade
Pedro André
Rodolfo Franco
Lina Nathoo
Marisa Macedo
Nuno Dinis Cortiços
Julieta Martins
Cláudia Casquilho
Sami Capela
Teresa Peixoto
Paula Saragoça
Ana Amaro Fernandes
Rita Luis
Maria Duarte Silva
Anabela Nunes
Danuia Pereira Leite
Belicha Geraldes
Carmosinda Veloso
Vanessa Correia Marques
Susana Carmona
Ruy Redin
Sílvia Regina DiMarzio
Leonor Santa Bárbara
Mariana Bettencourt
António Gonçalves da Silva
Mário Jorge Ramos
Fatima Lammar
Antonio Luis da Bernarda
Antonieta Soares Ribeiro
Rute Pereira
Francisco Lopes da Fonseca
Eunice Sousa Patrício
Rita Dias Costa
Maria João Duarte