Bairro da GNR: A maior concentração de devolutos (do Estado!) da Freguesia do Areeiro – Pedido de Intervenção ao Governo e CML [Em Resolução]

Habitação Perguntas à CML Resolvido

Screen Shot 10-05-17 at 09.25 PM

Enviada a 05.10.2017:

“O dito “Bairro da GNR” (com vários prédios da década de 1940 entre a Barão de Sabrosa e a Afonso Costa) apresenta a maior concentração de habitações e prédios devolutos de toda a freguesia do Areeiro. De facto, existe aqui, até uma rua inteira, a Domingos Reis Quita com 6 prédios, de vários andares, totalmente devolutos.
Todo este Bairro pertence, segundo foi possível apurar, ao Ministério da Administração Interna (MAI) e alberga antigos militantes desta força de segurança e seus familiares directos.
Resulta chocante que numa freguesia muito pressionada pelo aumento brutal dos preços da habitação o Estado central vote ao abandono tantas possíveis habitações, deixe degradar os edifícios para além do admissível e não promova a recuperação e reabitação das fracções devolutas.
Os Subscritores apelam assim ao MAI no sentido de recuperar estas habitações recolocando-as, a preços acessíveis, no mercado da habitação ou que, eventualmente e por protocolo a transformem num Bairro Municipal, or forma a assim contribuir para a contenção dos preços que, nesta freguesia, subiram mais de 20% no último ano”

Subscrevem:
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/1829934697319329/

Actualização de 18.12.2017
Resposta da Secretaria de Estado da Habitação:
A exposição foi encaminhada para averiguar a inclusão destes edifícios no Fundo Nacional de Recuperação do Edificado.

Enviada a 21.01.2018:
“Algum desenvolvimento quanto a esta questão?
Segundo confirmámos hoje mesmo com diversos moradores, a GNR está a enviar cartas actualizando as rendas (até 2020) em aumentos muito superiores à inflação (há relatos de aumentos de mais de 30%)
De salientar que, desde a década de 1970, que não se fazem aqui qualquer tipo de obras e que este bairro é – de longe – a maior concentração de devolutos da freguesia do Areeiro.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *