Bancos no Areeiro: Reparar e Não Substituir! (Pedido à Junta de Freguesia) [Resolvido]

screen-shot-02-13-17-at-12-16-pm

Tendo em conta que a Junta de Freguesia do Areeiro tem agendada para a Primavera (?) a “substituição/requalificação” de muitos bancos já sinalizados na freguesia como estando danificados (p.ex. na Avenida João XXI e Roma) os subscritores desta mensagem apelam à autarquia que se preservem os bancos já existentes e que não se proceda à sua substituição massiva por um novo modelo.
Por princípio a opção de reparação deve prevalecer sempre sobre a substituição por novo mobiliário urbano por forma a que não se repitam os erros que levaram à destruição dos candeeiros de marmorite da Cavan (década de 1940/50) e sua substituição candeeiros de ferro que hoje exibem diversos graus de corrosão na Avenida de Roma.
Substituir implicaria criar uma cacofonia de modelos já que actualmente existe uma coerência deste tipo de mobiliário urbano entre a Avenida de Roma, Praça de Londres, Guerra Junqueiro, Marconi, Manuel da Maia, João XXI (p.ex.)

Subscrevem:
Rui Martins
Fernando Seabra
Mira de Lacerda
José Vieira Mesquita
Jorge Pedroso
Maria Palma
Vasco Ribeiro
Teresa Sarmento
Elisabete Carvalho
Teresa Raposo
Filipa Ramalho Rickens
Manuela Melo
Nitucha Jacques
Rosa Branca Graça
Ana Paula Cadete
Cris Milagre
Bárbara Fachada
John Burney
Rodrigo Querido Miguel Lena

Actualização de 14.02.2017:
Numa ocorrência recentemente encerrada pela Junta podemos ler: “O banco sinalizado já se encontra no nosso mapa de execução para requalificação. Todos os bancos serão alvo de requalificação até ao final do primeiro semestre de 2017, só em caso de impossibilidade de serem requalificados serão substituídos por modelo semelhante”
Depreende-se assim que o pedido dos subscritores desta mensagem foi atendido. Obrigado.

Sugestão de campanha de Sensibilização “Sacos do Lixo” para a Junta de Freguesia do Areeiro

20161021_195048

Tendo em conta que o Exemplo da impunidade tende a espalhar-se.
Tendo em conta que actualmente não há controlo do fenómeno dos “sacos do lixo” (em caldeiras de árvores ou junto a semáforos e colunas de iluminação)
Tendo em conta que não existe fiscalização adequada por parte da Polícia Municipal
Tendo em conta que a recolha deste lixo pode levar a multas de 768 euros (mínimo) e de que a recolha deste lixo leva ao desperdício de recursos humanos e técnicos que poderiam ser usados de forma mais eficiente.
O Movimento de Cidadãos “Vizinhos do Areeiro” propõe à Junta de Freguesia do Areeiro que inicie uma campanha de sensibilização porta-a-porta, com contactos pessoais e distribuição de folhetos informativos aos prédios frente aos quais ocorre mais frequentemente esta expressão de má conduta cívica.
Nomeadamente:
Avenida de Roma 2, 5, 7, 21, 24, e 27
Avenida João XXI 4, 6, 12, 18 e 26
Avenida de Madrid 22
Rua Edison 4
Avenida de Paris, frente ao restaurante Arco de Paris
Rua Cidade Bucareste junto ao vidrão. da Oscar Monteiro Torres no cruzamento com Augusto Gil
Subscrevem:
Rui Martins
Catarina Rodrigues
Gisela Stricker
Fernando Faria
Carmosinda Veloso
Maria Saraiva
Ana Paula Araujo
Margarida Braz Pinto Coimbra
Mira de Lacerda
Cátia Mendes
Jorge Oliveira
Ines Domingos
Luis Seguro
Fernando Costa
Jorge Azevedo Correia
Clara Ribeiro
Catarina Coelho
Nitucha Jacques
Isabel Casquilho
Vasco Ribeiro
Isaias Santos
Teresa Silva
Manuela Melo
Teresa Raposo
John Burney
(enviada à Junta de Freguesia do Areeiro)
Actualização“Na João XXI e Av de Roma existem  um grande acumular de lixo, principalmente das actividades económicas que aqui se encontram. Principalmente junto às papeleiras e junto às caldeiras das árvores. É importante que haja uma maior  fiscalização dessa deposição desse lixo”

Vizinho do Areeiro Rodolfo Franco
“Temos trabalhado nestas localizações. Levantámos 19 procedimento contra-ordenacionais na área mas vamos intensificar a nossa fiscalização nas zonas que referiu”

Duarte Cordeiro, Vice-Presidente da CML

Reunião Descentralizada da CML de 07.03.2018