Semáforos em situação ilegal na Freguesia do Areeiro [Actualização]

screen-shot-01-23-17-at-01-19-pm

Tendo em conta que o ponto 1.6.4.2 do Anexo ao Decreto-Lei nº 163/2006 prescreve que, em todos os semáforos, o sinal verde para peões deve estar aberto o tempo suficiente para permitir o atravessamento a uma velocidade de 0,4 metros por segundo e que várias vias da freguesia do Areeiro não respeitam esta regra os moradores apelam à Junta de Freguesia do Areeiro que identifique junto da Câmara Municipal de Lisboa todos os semáforos que estão ilegais e que proceda por forma a garantir uma resposta eficaz e em tempo útil por parte desta autarquia.

Em particular, identificamos nesta situação:
Avenida de Roma junto à Av São João de Deus
Avenida de Roma junto a Rua João Villaret
Primeiro semáforo da Av. de Roma quem vem da Praça de Londres, junto ao Ministério da Solidariedade Social
Rua Augusto Gil para a Av. João XXI
Avenida João XXI junto ao cruzamento com a Avenida de Roma
Avenida Manuel da Maia junto à Alameda Afonso Henriques
Avenida Almirante Reis junto à Avenida de Paris
Avenida Afonso Costa junto à DGA
Avenida Almirante Gago Coutinho junto à BP

Numa faixa de rodagem com 10 metros de largura a luz verde para peões tem que estar aberta pelo menos durante 25 segundos. Ora, a regra, nestes locais de atravessamento (e sem contar com as ilhas nos separadores centrais!) é de 15 segundos, ou seja 10 segundos a menos que – num atropelamento – podem fazer a diferença entre a vida e a morte!

Subscrevem:
Rui Martins
Luis Seguro
Maria Cortez Caetano
Carmosinda Veloso
Luz Cano Pinto Santos
Mónica Janelas
Fernanda Cunha
Gabriel Osório de Barros
Pedro Gomez
Filipa Ramalho Rickens
Maria Julieta Mendes Martins
Pedro Pinto
Raquel Leite
Clara Ribeiro
Elisabete Carvalho
Anabela Nunes
Vasco Ribeiro
Hugo Fiuza
José João Leiria-Ralha
José Vieira Mesquita
Teresa Raposo
Qju Nunes
Joao Miranda
Cátia Mendes
Nitucha Jacques
Rui M. Sousa
Isabel Tomas Rodrigo
Jacinto Manuel Apostolo
Manuela Melo
Belicha Geraldes
Dina Correia
Maria Georgina Carreira Reis
Margarida Braz Pinto Coimbra
Carlos Augusto
Maria João Morgado
Renata Chaleira
Clara Melo
Mafalda Antunes
Maria Palma
Teresa Silva
André Carvalho
Rosa Branca Graça
Susana De Brito Dias
Pedro André
Rahyara De Sousa
John Burney
Isabel Barreto
Nelson Guimarães
Lucilia Guimaraes
Margarida Paiva
Dina Lopes

 

Actualização de 27.04.2017:

A 23 de janeiro 2017 questionámos a Junta de Freguesia do Areeiro se poderia pressionar a CML sobre os semáforos com temporizações aparentemente ilegais na Av. de Roma
A 27 de abril a Junta respondeu que “foi avisada na altura a CML. Atualmente apresentámos uma reclamação sobre os semáforos da praça Francisco Sá Carneiro”

 

Transferência do terminal de veículos pesados de transporte de passageiros situado na Avenida Padre Manuel da Nóbrega [Actualizado]

screen-shot-01-12-17-at-01-16-pm
Os subscritores desta mensagem apelam à Câmara Municipal de Lisboa que equacione a transferência do terminal de veículos pesados de transporte de passageiros situado na Avenida Padre Manuel da Nóbrega.
Não faz sentido a existência de uma tal estrutura dentro de uma zona residencial, com rotas que atravessam ruas interiores (como a Vítor Hugo), tendo em conta o ruído que provocam, a degradação do piso e a poluição que trazem a esta comunidade.
Já existem em Lisboa três grande terminais de autocarros (Praça de Espanha, Campo Grande e Gare do Oriente). Tendo em conta que a maioria destas carreiras seguem pela Av. Calouste Gulbenkian, através de um percurso urbano denso (mais típico de uma Carris) até à Pc. Espanha/Sete Rios, zonas essas já servidas por metro e comboio respectivamente sugerimos a transferência para os terminais da Pc Espanha e Sete Rios. Contudo, as carreiras que seguem para norte, poderiam beneficiar de uma transferência para a Estação do Oriente

Sem mais e apelando à melhor compreensão da autarquia:

Subcrevem:
Rui Martins
Mira de Lacerda
Luisa Pico Costa
Ines Domingos
Cátia Mendes
Luis Seguro
José Vieira Mesquita
Qju Nunes
Vasco Ribeiro
Fernando Borges
Claudia Arriegas
Maria Lourdes Alves Gouveia
Rita Costa
Joao Paulo Trindade
Filipa Ramalho Rickens
Jorge Oliveira
Teresa Raposo
Manuela Melo
Maria Cortez Caetano
André Figueiredo
Almeida Serra
Filipa Antunes
Isabel Barreto
André Carvalho
Isabel O. Sousa
Laura Maia E Silva
Margarida Paiva
Fernando Mora de Oliveira
Ana Monteiro
Isabel Athayde E Mello
John Burney
José Pedro S. Carvalho
Anabela Lança
1 amigo em comum
Rahyara De Sousa
Rosa Branca Graça
Susana Beirão
Pedro Correia
Nuno Fox
Fernando Simoes
Maria Susana Beirão
Alexandre Cardoso
Maria Nicolau de Almeida
Marta Campos
Isabel Primoroso
Filipa Fernandes Figueiredo
Mary Millicent

Actualização de 15.02.2017:
“Encarrega-me o Senhor Vereador, Arq. Manuel Salgado de acusar a recepção do e-mail mencionado em epígrafe e informar que o assunto foi encaminhado para Direcção Municipal de Mobilidade e Transportes”

Actualização de 24.04.2017:
“Exmo. Senhores
Vizinhos dos Areeiros,
Na sequência do V. e-mail, sobre o assunto acima mencionado, informo que a Direção Municipal de Mobilidade e Transportes está a estudar a estratégia da rede de interfaces de Lisboa, no âmbito da reestruturação da rede de carreiras suburbanas da Área Metropolitana de Lisboa – AML, de acordo com a Lei nº 52/2015 de 9 de junho.
No âmbito destes estudos, que carecem de articulação entre a AML e os operadores, está a ser equacionada a possibilidade de desativação do terminal de Roma/Areeiro com a concentração destes terminais noutros interfaces de transportes públicos da cidade. Porém de momento, ainda não é possível uma decisão definitiva.
Agradecemos a exposição dos moradores sobre este assunto, que será tida em consideração e ponderada no decorrer do desenvolvimento deste trabalho.
Sem outro assunto de momento, apresento os meus melhores cumprimentos,
Manuel Salgado
Vereador”

Areeiro sem beatas: Sugestões à Junta de Freguesia do Areeiro

screen-shot-01-04-17-at-12-47-pm

Os subscritores desta sugestão à Junta de Freguesia e aos Comerciantes da freguesia do Areeiro propõem que:
1) Na medida do possível os espaços comerciais, empresas e entidades públicas com instalações na freguesia do Areeiro coloquem cinzeiros à porta das suas instalações e que
2) sensibilizem os seus frequentadores e colaboradores para os usarem e não deitarem beatas para o chão (o que, aliás, leva a multas em algumas autarquias, como Funchal e Oeiras)
3) Que a Junta distribua cinzeiros portáteis (seguindo o exemplo de Oeiras) numa campanha de sensibilização que alerte os fumadores para a necessidade de se habituarem a deitar as suas beatas para o lixo. Que a Junta siga o exemplo de Arroios e instale cinzeiros (mobiliário urbano) de grande capacidade nos jardins (espaços de encontro e convívio) da freguesia.
4) No termo desta campanha, a autarquia procure reforçar a fiscalização junto das autoridades competentes (CML e Polícia Municipal)

As ruas, espaços verdes e jardins do Areeiro não podem continuar a ser autênticos “cinzeiros urbanos”. O material do qual são compostos os filtros – à base de fibras de acetato de celulose – é considerado tóxico e um risco para o meio ambiente quando descartado e representa um pesado encargos para os serviços de limpeza.

Os subscritores requerem também à Câmara Municipal de Lisboa que trabalhe no sentido de desenvolver um dos vários sistemas de processamento e reciclagem destes filtros: http://ionline.sapo.pt/277492

Proposta de alteração no cruzamento entre a Praça de Londres e a Avenida de Paris

screen-shot-12-23-16-at-06-07-pm

No cruzamento na Praça de Londres com a Avenida de Paris existe uma estrutura com balizadores (pilaretes plásticos) que é difícil de manter e que é, frequentemente, substituída devido a danos provocados por veículos.
Os subscritores desta mensagem gostariam de propor à CML a remoção desta estrutura – esteticamente desagradável, financeiramente dispendiosa e que retira o espaço demarcado à cidade – e a sua substituição por calçada portuguesa, incluindo um banco e uma pequena área verde.
Sugerimos igualmente a deslocação da passadeira para a placa central da praça (jardim) por forma a reduzir o risco de atropelamento.

Enviada à CML

Subscrevem:
Rui Martins
Anabela Nunes
José João Leiria-Ralha
Raquel Leite
Elisabete Carvalho
Cláudia Casquilho
Maria João Morgado
Teresa Raposo
Olga Lomba Correia Guedes
Carlos Augusto
Fernando Borges
Paula Amoroso
Rui Pedro Barbosa
Jorge Azevedo Correia
Ines Domingos
Patrícia Tavares Rocha
Maria Nunes
Luis Seguro
Maria Cortez Caetano
Virginia Pato
Luisa Pico Costa
Cátia Mendes
Jorge Oliveira
Pedro Tito de Morais
Vasco Ribeiro
Filipe Guedes Ramos
Qju Nunes
Manuela Melo
Tomaz Alves Oliveira
Carlos Gaspar
Maria DM
Fatima Lammar
Ana Fernandes
Antonio Coelho
Joana Duarte
José Filipe Toga Soares
Susana Beirão
Pedro Costa Pinto
Isaias Santos
Isabel Athayde E Mello
John Burney
Rui Santos
Filipa Fernandes Figueiredo
Isabel Primoroso
Joao Paulo Trindade
André Figueiredo

Sugestão à CML para Sistema de Recolha de Resíduos Urbanos

 

O sistema de recolha de resíduos urbanos “Recolha Seletiva Porta a Porta” embora funcione na maioria dos casos não responde às necessidades dos moradores com dificuldades de locomoção e, consequentemente, acaba sendo a origem do fenómeno “saco de lixo em candeeiro e nas caldeiras de árvores” que se começa a generalizar em alguns arruamentos lisboetas e, em particular, na Avenida de Roma e na Avenida João XXI, com impacto para a Saúde Pública, ineficiência nos sistemas de recolha de resíduos das Juntas e da CML e uma degradação da qualidade da vivência e usufruto do espaço público.

Apelamos assim a que a CML determine um sistema alternativo de recolha capaz de integrar estes cidadãos no “Recolha Seletiva Porta a Porta”, quer através da instalação de contentores com separação de lixo mas de reduzidas dimensões na residência dos cidadãos que façam prova das suas dificuldades de locomoção, quer através do estabelecimento de parcerias com entidades externas (ONGs, Associações, Empresas e Condomínios) que cumpram este propósito através de formas alternativas.”

Subscrevem:
Rui Martins
Clara Ribeiro
Ana Mónica
José Vieira Mesquita
Jorge Oliveira
Manuela Melo
Maria Georgina Carreira Reis
Ines Domingos
Teresa Raposo
Luis Seguro
Vasco Ribeiro
Ana Monteiro
Fernanda Maria Gouveia
José B. Leal
Filipa Ramalho Rickens
Luz Cano Pinto Santos
Isabel Duarte Ferreira

Proposta: Areeiro: Freguesia Livre de Lixo

1. Sensibilização
.Campanha de sensibilização, porta a porta, especialmente focada nos cidadãos séniores, com número verde de apoio
.Campanha de informação na rua, especialmente dirigida a jovens e consumidores de álcool em ambiente de rua
.Campanha de informação dirigida a estabelecimentos comerciais (cafés, restaurantes e minimercado) procurando dissuadir a venda de copos de plástico e o consumo externo de álcool
.Campanha de informação dos fregueses quanto aos limites e fronteiras de competências de limpeza de lixos urbanos (muitos cidadãos não sabem a quem compete limpar o quê)

2. Fiscalização:
.Identificar os pontos recorrentes de deposição de lixo em via: a partir daqui contactar os moradores dos prédios circundantes e recolher elementos de prova (facturas, nomes e moradas)
.Dado que a fiscalização por parte da Policia Municipal é insuficiente reforçar a mesma com elementos dos serviços de limpeza urbana da freguesia do Areeiro
.Sensibilização dos donos de animais responsáveis por dejectos caninos na via pública

3. Recolha:
.Intensificar a recolha de lixos urbanos da competência da JFA
.Aumentar os ritmos de recolha em locais de grande concentração de pessoas (Praça Areeiro, Avenida de Roma e Guerra Junqueiro)
.Tendo em conta que lixo chama lixo ter um piquete de resposta rápida, de dois elementos, chamados aos locais, num registo 08-20 de segunda a domingo, por sms ou mail.
.Monitorizar obras em edifícios na freguesia e responsabilizar proprietários caso esta causem detritos ou criem situações de abandono e redução da qualidade do espaço público
.Identificar e tratar zonas de calçada encardida: algumas têm já alguns anos.
.Criar um programa de educação de adultos para a cidadania, porta a porta, com apoio pós-formação e eventual apoio na recolha de lixos em casos excepcionais de cidadãos idosos com dificuldades de locomoção.

4. Grafitos e Tags
.Criar uma equipa (que pode ser a mesma da reacção “rápida” ao lixo urbano, com equipamento especializado de remoção de grafitos, que funcione na base da chamada por cidadãos e da vigilância activa por forma a garantir uma resposta rápida a todos os grafitos e tags. Recolher previamente e nas propriedades particulares onde a incidência deste fenómeno é maior autorização para repintura ou remoção de grafitos e tags. Esta equipa manteria uma base de dados de autores de tags e grafitos assim como de publicidade ilegal, entregando esses elementos à Policia Municipal por forma a que esta agisse a este respeito.

5. Pressão sobre a CML:
.Aumentar o numero, capacidade e ritmos de recolha dos ecopontos
.Simplificar as recolhas tornando diárias as recolhas de lixo genérico
.Colocar na rua, numa base diária, equipas da Policia Municipal com a missão de identificar e autuar prevaricadores, particulares ou de lojas comerciais. Aumentar as coimas em caso de reincidência. Usar etiquetas, facturas e outros elementos identificadores por forma a chegar ao produtor do lixo.
.Aumentar a resposta de contenção da população de pombos por via a reduzir os seus detritos
.Em zonas de grande concentração de comercio criar recolhas especializadas e diárias de lixos recicláveis (papel e embalagens) em contentores fixos próprios e esteticamente agradáveis (Ex Av de Roma junto à Praça de Londres).
.Responsabilizar os comerciantes do ramo pelos lixos.

Subscrevem:

Rui Martins
Maria Saraiva
Ana Alves de Sousa
Luís M Matias
Maria João Morgado
Rui M. Sousa
Ana Paula Araujo
Ines Domingos
Cátia Mendes
Anabela Nunes
Teresa Raposo
Belicha Geraldes
Helena Juliao
Maria Joao Gouveia
Qju Nunes
Carlos Costa Ramalho
John Burney
Teresa Silva
Fernando Jorge Brito Ferreira
Vasco Ribeiro
Maria Graça
Manuela Melo
José Vieira Mesquita
José B. Leal
Elisabete Carvalho

Sugestão para rede WiFi aberta no espaço público da freguesia do Areeiro

15171135_10154920936194050_6043815014633167120_n

Recentemente a Junta de Freguesia de São Domingos de Benfica anunciou a intenção de instalar uma rede WiFi aberta nos espaço publico da freguesia.
Sabendo que na Freguesia do Areeiro existem já, pelo menos, três mupis da Cemusa que disponibilizam um serviço idêntico, propomos à Cemusa e à Junta de Freguesia do Areeiro que encetem contactos no sentido de estabelecerem uma parceria que possa estender a todos os mupis da Cemusa existentes na freguesia este serviço gratuito.
Subscrevem:
Rui Martins
Anabela Nunes
Rui M. Sousa
Margarida Braz Pinto Coimbra
Jorge Oliveira
Mira de Lacerda
Ana Alves de Sousa
Ângela Pirralho
Madalena Matambo Natividade
Ana Paula Araujo
Ana Teresa Mota
Luis Seguro
Tito Ferreira de Carvalho
Ines Domingos
Zé Pedro Leitão
John Burney
Qju Nunes
Isabel Casquilho
Carlos Costa Ramalho
Jp Martins
Clara Ribeiro
Joao Paulo Trindade
Manuela Paixão
Catarina Coelho
Joana Duarte
Manuela Melo
Isaias Santos
Carolina MC Saldanha
Teresa Silva
José Vieira Mesquita
Teresa Raposo
Maria Lago de Freitas
Dulce Marques Ferreira
Patrícia Matos Palma