Parque de estacionamento da Alameda (explorado pela Empark): Abusos dos lugares de estacionamento reservados para cidadãos com mobilidade reduzida [Parcialmente resolvida]

screen-shot-01-24-17-at-01-14-pm

Enviada a 2 de Novembro à Empark “No parque de estacionamento da Alameda (explorado pela Empark) os abusos dos lugares de estacionamento reservados para cidadãos com mobilidade reduzida são constantes.
A Empark Aparcamientos y Servicios S.A. tem conhecimento destes abusos? Conta proceder a alguma iniciativa por forma a impedir os mesmos?”

Resposta de 23 de Janeiro de 2017:
Acusamos a receção da exposição apresentada por V. Exas. no mail de 02 de Novembro, apresentando desde já as nossas desculpas pela demora na resposta.
Relativamente ao assunto abordado na prezada exposição, vimos transmitir o seguinte:
Decorrentes do DL 81/2006 de 20 de Abril, os lugares anteriormente reservados exclusivamente a pessoas de mobilidade condicionada, foram alargados à utilização por parte de grávidas e acompanhantes de crianças de colo, sendo que nestes dois últimos casos não é necessário o uso de dístico.
Esta realidade tem contribuído amiúde para que estes lugares se encontrem quase sempre ocupados.
Há, no entanto, situações que extravasam a nossa capacidade de atuação e que nem sempre é fácil de contestar face à falta de razoabilidade e civismo de alguns cidadãos, tornando-se assim difícil de controlar a ocupação legítima destes lugares. Quando assim acontece os funcionários têm instruções para apelarem  ao bom senso dos clientes e alertarem para a situação de estacionamento abusivo.
Não é, contudo, o exemplo do parque da Alameda, já que temos verificado que a maioria das pessoas que aí estacionam as suas viaturas são pessoas com mobilidade reduzida efetivamente, ainda que se enquadrem no grupo que não carece do uso de dístico na viatura.
Neste parque, por exemplo, já por várias vezes os funcionários chegaram à conversa com condutores que utilizaram esses lugares, aparentemente indevidamente, mas que afinal se verificou terem direito por lei.
Não obstante o exposto, a direção do parque teve em conta a observação feita por V. Exas. e por isso deu instruções ao pessoal do parque para serem ainda mais diligentes neste controlo. O resultado até então tem sido positivo, na medida em que a ocupação destes lugares tem sido feita por pessoas com mobilidade condicionada/reduzida”

Estacionamento Selvagem no Logradouro da Escola Luís de Camões [Parcialmente Resolvido]

screen-shot-01-24-17-at-12-36-pm

Resposta do RSB à nossa mensagem confirmando a “impossibilidade da passagem de viaturas de emergência” e instando a Polícia Municipal a agir:
Mensagem de de 4 de Novembro dos Vizinhos do Areeiro:
“Tendo em conta as situações documentadas pelas fotografias em anexo, a situação de impunidade de estacionamento (EMEL e PM) e, sobretudo, os riscos que estes estacionamentos irregulares representam para a passagem e circulação de veículos de emergência do RSB alguns moradores e residentes das ruas adjacentes gostariam de pedir a estas entidades que procurassem o que pode ser feito por forma a impedir esta situação, recorrente há vários anos e que pode ser comprovada – in loco – praticamente todos os dias”
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/1701712673474866/
(Logradouro da Escola Luís de Camões (Areeiro)

Transferência do terminal de veículos pesados de transporte de passageiros situado na Avenida Padre Manuel da Nóbrega [Actualizado]

screen-shot-01-12-17-at-01-16-pm
Os subscritores desta mensagem apelam à Câmara Municipal de Lisboa que equacione a transferência do terminal de veículos pesados de transporte de passageiros situado na Avenida Padre Manuel da Nóbrega.
Não faz sentido a existência de uma tal estrutura dentro de uma zona residencial, com rotas que atravessam ruas interiores (como a Vítor Hugo), tendo em conta o ruído que provocam, a degradação do piso e a poluição que trazem a esta comunidade.
Já existem em Lisboa três grande terminais de autocarros (Praça de Espanha, Campo Grande e Gare do Oriente). Tendo em conta que a maioria destas carreiras seguem pela Av. Calouste Gulbenkian, através de um percurso urbano denso (mais típico de uma Carris) até à Pc. Espanha/Sete Rios, zonas essas já servidas por metro e comboio respectivamente sugerimos a transferência para os terminais da Pc Espanha e Sete Rios. Contudo, as carreiras que seguem para norte, poderiam beneficiar de uma transferência para a Estação do Oriente

Sem mais e apelando à melhor compreensão da autarquia:

Subcrevem:
Rui Martins
Mira de Lacerda
Luisa Pico Costa
Ines Domingos
Cátia Mendes
Luis Seguro
José Vieira Mesquita
Qju Nunes
Vasco Ribeiro
Fernando Borges
Claudia Arriegas
Maria Lourdes Alves Gouveia
Rita Costa
Joao Paulo Trindade
Filipa Ramalho Rickens
Jorge Oliveira
Teresa Raposo
Manuela Melo
Maria Cortez Caetano
André Figueiredo
Almeida Serra
Filipa Antunes
Isabel Barreto
André Carvalho
Isabel O. Sousa
Laura Maia E Silva
Margarida Paiva
Fernando Mora de Oliveira
Ana Monteiro
Isabel Athayde E Mello
John Burney
José Pedro S. Carvalho
Anabela Lança
1 amigo em comum
Rahyara De Sousa
Rosa Branca Graça
Susana Beirão
Pedro Correia
Nuno Fox
Fernando Simoes
Maria Susana Beirão
Alexandre Cardoso
Maria Nicolau de Almeida
Marta Campos
Isabel Primoroso
Filipa Fernandes Figueiredo
Mary Millicent

Actualização de 15.02.2017:
“Encarrega-me o Senhor Vereador, Arq. Manuel Salgado de acusar a recepção do e-mail mencionado em epígrafe e informar que o assunto foi encaminhado para Direcção Municipal de Mobilidade e Transportes”

Actualização de 24.04.2017:
“Exmo. Senhores
Vizinhos dos Areeiros,
Na sequência do V. e-mail, sobre o assunto acima mencionado, informo que a Direção Municipal de Mobilidade e Transportes está a estudar a estratégia da rede de interfaces de Lisboa, no âmbito da reestruturação da rede de carreiras suburbanas da Área Metropolitana de Lisboa – AML, de acordo com a Lei nº 52/2015 de 9 de junho.
No âmbito destes estudos, que carecem de articulação entre a AML e os operadores, está a ser equacionada a possibilidade de desativação do terminal de Roma/Areeiro com a concentração destes terminais noutros interfaces de transportes públicos da cidade. Porém de momento, ainda não é possível uma decisão definitiva.
Agradecemos a exposição dos moradores sobre este assunto, que será tida em consideração e ponderada no decorrer do desenvolvimento deste trabalho.
Sem outro assunto de momento, apresento os meus melhores cumprimentos,
Manuel Salgado
Vereador”

Estacionamento nas ruas adjacentes ao Pavilhão do Casal Vistoso [Respondida]

screen-shot-12-12-16-at-01-53-pm

O estacionamento nas ruas que rodeiam o Pavilhão é caótico, desregulado e cada vez mais difícil para os moradores. Apelamos, assim, à CML para que:
1. Instale rapidamente parquímetros EMEL
2. Promova o aumento dos lugares/recortes de estacionamento na zona
3. Pavimentação urgente da saída da rua do Pavilhão com imposição dum sentido único
4. Celebração de acordos com o Complexo Desportivo para utilização de Parque de estacionamento e/ou garagens por parte dos utentes e atendentes dos eventos
5. Usar parte das áreas descampadas por trás do edifício do pavilhão e transformá-las num parque de estacionamento.

Que, enquanto, as propostas acima não são atendidas que se permita – provisoriamente – o estacionamento no Parque EMEL do Pavilhão, aos residentes, pelo menos enquanto as propostas 1 e 2 não são atendidas.

Subscrevem:
Rui Martins
Anabela Nunes
Vasco Ribeiro
José João Leiria-Ralha
Luis Seguro
Mira de Lacerda
Ana Mónica
Madalena Matambo Natividade
Elisabete Carvalho
Manuela Melo
Ivo Gama
Ana Paula Araujo
José Vieira Mesquita
Ines Domingos
Filipa Ramalho Rickens
Teresa Raposo
Maria João Morgado
Cátia Mendes
Jorge Oliveira
Qju Nunes
Nuno Almeida Horta
Clara Ribeiro
Claudia Arriegas
Susana Beirão
John Burney

Actualização
A zona do Casal Vistoso será (como pedimos) concessionada em breve à EMEL com reperfilamento do estacionamento e com integração no Programa “Uma Praça em cada Bairro” da CML (com execução pela Junta) sendo aqui incluído o Largo do Casal Vistoso, a Sarmento Beires e a Arantes de Oliveira (entre outras). A obra deverá estar concluída durante o primeiro semestre de 2017)

Resposta da EMEL de 10.10.2017
Em resposta ao vosso email sobre “Pedido de Esclarecimento do Pavilhão do Casal Vistoso e Bairro Portugal Novo” endereçado ao Gabinete do Vereador Manuel Salgado, cumpre-me em nome da EMEL informar que:

  1. A zona envolvente do Pavilhão do Casal Vistoso será, caso a proposta da EMEL seja aprovada pela Junta de Freguesia e pela CML, a zona 04D.
  2. A proposta já passou a fase de consulta pública, estando o projeto pendente da aprovação da Junta de Freguesia do Areeiro e do executivo da Câmara Municipal de Lisboa.
  3. Visto tratar-se de uma zona nova, os residentes serão avisados em tempo oportuno dos prazos para pedido de dístico, havendo ainda um período de fiscalização pedagógica, entre 15 e 30 dias, que servirá para adaptação às novas práticas.
  4. Os moradores que tenham já dístico emitido para zonas adjacentes e queiram alterar a segunda zona do dístico para a nova zona 04D poderão fazê-lo num Ponto de Atendimento EMEL, desde que levem consigo o dístico antigo. Haverá lugar ao pagamento de emolumentos.
  5. O parque de estacionamento EMEL do Casal Vistoso tem já condições preferenciais para residentes (assinatura 24 horas por 50€ mês)
  6. O parque de estacionamento da Rua Américo Durão não está previsto ser aberto ao público.”

Proposta à CML de revisão dos contratos com a Empark

14_nac_abertura_parque_estacionamento_alves_redol_net

Tendo em conta que a taxa de ocupação dos parques de estacionamento de Lisboa que estão concessionados à Empark é – segundo diversos relatos indirectos já que a empresa se recusa a divulgar estes números – inferior a 50% e que isto resulta dos preços excessivos e que tal desperdício leva a um incumprimento fundamental do contrato de concessão assinado pela Câmara Municipal de Lisboa (devido à ineficiência do serviço prestado) o Movimento de Cidadãos Vizinhos do Areeiro convida a autarquia lisboeta a determinar mecanismos que reduzam os preços e aumentem as taxas de ocupação destes parques e, em particular, os que serve a freguesia do Areeiro (Alameda, Praça de Londres e Avenida de Roma).

Parques Empark que servem a Freguesia do Areeiro:
Campo Pequeno
1ºs 15 minutos 0.40 euros
1ª hora 1.3 euros
máx. dia 7 euros
lugares 391

Avenida de Roma
1ºs 15 minutos 0.40 euros
1ª hora 1.6 euros
máx. dia 9.9 euros
lugares 336

Praça de Londres
1ºs 15 minutos 0.50 euros
1ª hora 1.7 euros
máx. dia 9 euros
lugares 195

Alameda
1ºs 15 minutos 0.45 euros
1ª hora 1.8 euros
máx. dia 8 euros
lugares 498

Avença Nocturna
27 euros
mas só das 18:00 às 09:00

Subscrevem:

Rui Martins

Ana Paula Araujo

Maria Saraiva

Ana Flor

Margarida Braz Pinto Coimbra

Miguel Felner Paula

Vasco Ribeiro

Pedro Silva

Maria João Morgado

Luz Cano

José João Leiria-Ralha

Jorge Oliveira

Maria Cortez Caetano

Maria Julieta Mendes Martins

Cátia Mendes

Elisabete Carvalho

Ines Domingos

Luis Seguro

Qju Nunes

Andreia Graça

José Vieira Mesquita

Anabela Nunes

Teresa Raposo

Margarida Soares

Suzete Reis

Belicha Geraldes

Joao Paulo Trindade

Gabriel Henrique de Carvalho

Mafalda Costa Macedo

Marta Campos

Celestina Costa

Patricia Curto de Sousa

Luis Pinheiro

Susana Beirão

Diogo Martins de Carvalho

Pedro Dias

Maria DM

John Burney

Isabel Athayde E Mello

Maria Georgina Carreira Reis

Carlos Fernandes Carlos

Fernanda Maria Gouveia

Filipa Ramalho Rickens

Reservas de Estacionamento na Rua Vítor Hugo [Actualização]

screen-shot-12-05-16-at-07-29-pm
Enviada à Polícia Municipal e à Junta de Freguesia do Areeiro:
“Não é a primeira vez que os “Vizinhos do Areeiro” se pronunciam e pedem a intervenção das autoridades sobre o estacionamento da Rua Vítor Hugo:
https://vizinhosdoareeiro.wordpress.com/…/redistribuicao-d…/. Infelizmente, os abusos de estacionamento prosseguem e foram recentemente reforçados pela afixação de cartazes ilegais e pinos vermelhos que pretendem privatizar o espaço de estacionamento junto às “falsas” garagens (hoje lojas comerciais).
Tratando-se de uma reserva abusiva do espaço público, reforçamos o pedido à Junta de Freguesia para que disponha os pilaretes ao longo de todo o passeio desta rua e à Polícia Municipal que contacte os proprietários destas lojas por forma a não utilizarem meios ilegais de reserva de estacionamento. Se reiterarem, pedimos à Polícia Municipal que aplique as devidas coimas.”

Subscrevem:

Rui Martins
Jorge Oliveira
José B. Leal
Luis Seguro
Luz Cano
Marta Arnaut Pombeiro
Ana Paula Araujo
Hugo Fiuza
Pedro Stichini Vilela
Vasco Ribeiro
Virginia Pato
Rui Plácido
Teresa Raposo
Nicholas Ratcliffe
Ines Domingos
Rui Pedro Barbosa
Anabela Nunes
Ana Flor
Cátia Mendes
Luisa Pico Costa
Filipe Ruivo
João Cardoso
Fernando Faria
Ana Teresa Mota
Joana Duarte
Cristina Azambuja
Filipa Ramalho Rickens
João Marques
Filipa Leitão de Aguiar
Jacinto Manuel Apostolo
Isaias Santos
Mafalda Alegria
Joao Paulo Trindade
Isabel Athayde E Mello
John Burney
Carla Sofia Duarte

Dina Lopes

Actualização de 18.01.2017

Recentemente, demos voz a alguns moradores que requeriam às autarquias (Polícia Municipal de Lisboa e Junta de Freguesia do Areeiro) uma reorganização dos pilaretes na Rua Vítor Hugo.
Alguma coisa foi feita nos últimos dias para dando resposta a parte deste pedido.
É pouco e, logo, insuficiente, mas um primeiro passo no bom sentido.
Muito Bem, JFA
(a seguir)

Pedido de recuperação de estacionamentos no Bairro do Arco do Cego

Screen Shot 11-28-16 at 01.26 PM.PNG

Enviada ao Vereador Manuel Salgado e à EMEL:
“O Movimento de Cidadãos “Vizinhos do Areeiro” sugere que, por forma, a recuperar (com custos mínimos) alguns dos 50 lugares de estacionamento perdidos pelos moradores nas recentes obras passem a estacionamento em espinha (com marcações no solo e sinalização vertical) nas traseiras da Igreja São Joao de Deus, estimando uma recuperação de 6 lugares, na Rua Desidério Beça, com uma recuperação estimada de 10 lugares, na Bernardo de Passos de outros 10. No total, com esta simples operação poder-se-iam recuperar 26 dos 50 lugares perdidos, sem uma redução significativa do passeio público ou da circulação rodoviária nessas vias.”

Subscrevem:
Rui Martins
Ana Mónica
Tito Ferreira de Carvalho
Jorge Oliveira
Anabela Nunes
Luz Cano
Ines Domingos
Maria João Morgado
Maria Saraiva
Filipe Do Paulo
Luis Seguro
Pedro Stichini Vilela
Luisa Pico Costa
Teresa Mtv
Luisa Galvão
Clara Ribeiro
John Burney
Luis Pontes
Sílvia Baptista
Isabel Athayde E Mello
Luciano Jesus
João Silva
Mafalda Alegria
Tiago Ascensão
Catarina Coelho
Elisabete Henriques
Vasco Ribeiro
Marta Campos
Fernanda Cunha
Manuela Melo
Miguel Peixoto
Carolina Veloso
Rosario Barata
Ruy Redin
Teresa Raposo
Isabel Casquilho
Belicha Geraldes
Nitucha Jacques
Elisabete Carvalho
Suzete Reis
Marina Chambel
Carla Sofia Duarte
Pedro Pinto
Ana Paula Araújo