Posição Coletiva dos VA quanto à Ciclovia na Almirante Reis (Areeiro)

Elaborado a partir de 171 respostas de moradores este inquérito permitiu definir qual é a posição colectiva dos Vizinhos do Areeiro quanto à nova ciclovia que a CML planeia instalar em breve na Avenida Almirante Reis. Esta votação esteve disponível para todos os membros dos Vizinhos do Areeiro pelo prazo de 10 dias através do seu email registado.

Vias partilhadas ascendentes e descendentes da Almirante Reis com velocidade máxima 30 em faixa partilhada

Sim 77

Não 94

Vias partilhadas nas laterais do Bairro dos Actores (Carlos Mardel descendente e ascendente na Isidoro)

Sim 85

Não 86


Faixa ascendente ou descendente na faixa central (ciclovia dedicada)

Sim 52

Não 119


Faixa ascendente ou descendente lateral (ciclovia dedicada)

Sim 47

Não 124


Sobre o separador central (ciclovia dedicada)

Sim 43

Não 128


Rua lateral à Almirante Reis (I)

Sim 44

Não 127


Rua lateral à Almirante Reis (II) (via Alameda e virar à esq. na Actor Isidoro) e regresso à Almirante Reis

Sim 47

Não 124

Este inquérito define assim a posição colectiva em que os Vizinhos do Areeiro, núcleo local da Associação Vizinhos em Lisboa:

  1. Discordam da instalação de ciclovias partilhadas na Av Almirante Reis
  2. São neutros (diferença marginal de um voto) quanto à criação de ciclovias partilhadas nas laterais do Bairro dos Actores
  3. Discordam da instalação de ciclovias dedicadas, em qualquer modelo, na Av Almirante Reis

Relacionado:

Calçada Artística desaparecida nas obras da Praça Francisco Sá Carneiro

Tendo em conta que:

  1. A Praça Francisco Sá Carneiro, também conhecida como Praça do Areeiro, é uma das mais nobres da Cidade;
  2. a Praça Francisco Sá Carneiro estava rodeada de calçada artística de 1940s e que esta continua a existir nos quarteirões nascente e poente;
  3. o arranjo de superfície feito pelo Metropolitano de Lisboa, em lajes de cimento é árido, visualmente desinteressante e que contribuiu para o aquecimento e impermeabilização do solo;
  4. a zona pedonal da praça é plana e não tem árvores que possam deformar o chão;
  5. uma calçada bem aplicada pode durar anos com pouca manutenção;
  6. se trata de uma valorização artística, histórica e turística da zona.
    Os subscritores apelam a que a CML avalie uma opção mista com calçada acessível nas zonas de passagem das pessoas e artística onde ela existia em 1940.

Subscrevem 256 moradores em
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/2544876472491811/


Resposta da CML de 05.11.2020

“Relativamente à reclamação apresentada por V. Exas., sobre o assunte em epígrafe, cumpre informar o seguinte:

 1. A Praça Dr. Francisco Sá Carneiro tem um carácter de interface rodoviário, o que provoca uma intensa circulação pedonal diária, pelo que, na execução do projeto, foi considerado prioritário o conforto e a segurança dos peões. Efetivamente, esta Praça é muito relevante no tecido urbano da cidade de Lisboa, argumento referido no email, com o qual concordamos totalmente, razão pela qual o projeto contemplou a utilização de um material nobre no pavimento, ou seja, lajes de pedra Azulino de Cascais, não lajes de betão, como é sugerido na reclamação. Este pavimento, apesar de não ser contínuo, promove a circulação pedonal mais confortável pelas grandes dimensões das lajes e o seu acabamento, semi bujardado, diminui os riscos de escorregar.

2. Outro factor que pesou na utilização do Azulino de Cascais, foi o facto de ser uma pedra calcária, natural da zona de Lisboa, resistente e por ser cinzento azulada, proporciona um maior conforto à circulação pedonal, tanto em termos térmicos como de índice de reflexão do que a calçada de vidraço, e sendo uma praça muito exposta e por não ser possível introduzir mais árvores, devido à ocupação do subsolo.

3. Mais se informa que o subsolo da praça está quase todo ocupado por infraestruturas, razão pela qual a base do pavimento tem de ser reforçada, situação que também ocorreria, caso se optasse por calçada, pelo que a infiltração de águas no solo não é possível, a não ser nas áreas de canteiros adjacentes e mesmo assim apenas em alguns pontos.

4. Apesar de pertinente a reclamação em causa e a Calçada Portuguesa ser sem dúvida um fator patrimonial a preservar, foi considerado que nesta Praça, pelas razões anteriormente referidas e por não se localizar no Centro Histórico, se deveria privilegiar a segurança e o conforto da circulação pedonal, adotando-se um material que, não sendo a calçada, pudesse dignificar este espaço de referência da cidade e ao mesmo tempo conjugar um elemento nobre como a pedra com a formalidade conceptual expressa em toda a praça, tanto em termos de edificado como da escultura do Dr. Francisco Sá Carneiro.

Acrescenta-se ainda que este projeto, desde que foi executado em 2004, foi objeto de várias apreciações públicas e aprovado tanto pelo Dr. Santana Lopes como pelo Dr. António Costa, na qualidade de presidentes da Câmara Municipal de Lisboa. “

Recuperação e relocalização das “Três Graças” na Praça de Londres

Os Subscritores requerem à CML que proceda à reparação da estátua das “Três Graças” (faltam as mãos sendo que estas já haviam desaparecido uma vez) e a sua transferência para o jardim central da Praça de Londres, na ponta oposta à estátua de Guerra Junqueiro no mesmo local onde estava a magnólia que morreu há uns anos.
Ficaria virada para a Av de Roma e permitiria enriquecer, sem grande custo nem projecto uma parte nobre na freguesia que está desfeada pelo grande painel luminoso da ATL.
De recordar que no Jardim onde está actualmente esta estátua já existe o conjunto escultórico do antigo cinema Monumental.

Subscrevem:
133 cidadãos em
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/2522717888041003/

Onde estão os azulejos do edifício da Rua Abade Faria?

Recentemente registámos que nas intervenção reconstrutiva ocorrida no prédio sito no número 16 da Rua Abade Faria (Bairro dos Actores) e aprovado em junho de 2017 os azulejos de começos do século XX que existiam no nível térreo do dito edifício e que eram únicos no Bairro e raros em toda a freguesia do Areeiro foram removidos e substituídos por azulejos brancos.
Ora se o projecto foi aprovado depois da lei de 2012 isso obrigava o construtor a repor os azulejos originais e a reparar as falhas que – antes da obra – estes já apresentavam.
Apelamos assim ao Exmo. Sr. Vereador Ricardo Veludo com conhecimento da Assembleia Municipal de Lisboa que intervenham no sentido de repor os azulejos originais.

Obrigado

Enviado a Vereador Ricardo Veludo com CC da AML

Resposta da CML a 28.05.2020:
“ENT/353/GVRV/CML/2020
Encarrega-me o Senhor Vereador Ricardo Veludo de acusar a receção do e-mail abaixo, que desde já agradecemos e que mereceu a nossa melhor atenção.
Atendendo ao assunto em causa, foi a mesma encaminhada para o Departamento de Apoio à Gestão Urbanística (Tel. 21798 8403 /9112 /8983; e-mail: dmu.dagu@cm-lisboa.pt), para verificação/fiscalização, e resposta”

Propostas à CML para o Parque Urbano do Vale da Montanha: Cuidadores, Cobertura Verde e Rede de Parcerias

Enviada a 18 de Maio de 2020:

Propostas à Direcção de Espaços Verdes da CML: Cuidadores, Cobertura Verde e Rede de Parcerias

Gostaríamos de solicitar o apoio da Direção de Espaços Verdes (DEV) da CML para as seguintes áreas de atuação:

  • apoio na dinamização de um grupo de moradores do Areeiro que se interesse por cuidar dos Espaços Verdes da Freguesia nomeadamente das diversas árvores recém-plantadas no novo Parque Urbano do Vale da Montanha,
  • agilização do processo de replantação de árvores em caldeiras que se encontram desocupadas nas nossas ruas, existindo para tal um meio próprio para contacto de forma a evitar a demora que se tem verificado
  • definição conjunta (com a DEV) de manuais de “boas práticas” para cuidar dos Espaços Verdes e que poderá ser utilizado pelos moradores, mas também pelos funcionários da CML e das Juntas de Freguesia e pelas empresas contratadas pela CML
  • alguns exemplos de boas práticas poderão ser a utilização de “cobertura verde” (“mulching”) junto às árvores recém-plantadas, a rega de algumas árvores e o ser seletivo em relação ao corte das ervas do parque (por exemplo, procurar deixar ficar as plantas com bastantes flores)
  • vigilância de alguns aspectos de tutoragem a precisar de manutenção e pedindo a respectiva intervenção;
  • poder-se-á também pedir o apoio de algumas Universidades e empresas de consultadoria (em agricultura biológica, permacultura, etc) para dar algum apoio na elaboração dos manuais de “boas práticas” e, também, para realizar alguns ensaios científicos, por forma a compreender melhor quais as práticas mais eficazes (ou seja, que produzem melhores resultados).

Proposta elaborada a partir de sugestão de um residente do Areeiro e frequentador regular do Parque do Vale da Montanha

Subscrevem este pedido de reunião:
Rui Martins
Ilda Cruz
Stela Correia
Nico Lion
Aruna Nathoo
Maria Helena Rino Moraes
Cristina Azambuja
Zélia Pereira
Marilia Pedro
Duarte Silva Manuel
Amélia Maria Ribeiro
Sandra Henriques
Isabel Gameiro
Teresa Correia
Carmen Padrão
Maria Saraiva
Adelina Bibe
Jorge Oliveira
Maria Saramago
David Greer
Manuela Melo
Ana Costa
Madalena Matambo Natividade
Pedro André
Isabel Petronilho Almeida
Teresa Raposo
Lina Nathoo
Jorge Zúniga Almeida Santo
Gonçalo Peres
Sofia Carvalho Coelho
Elvina Maria Reis Rosa
Carla Camara
Anabela Nunes
Patricia Saldanha da Gama
Teresa De Almeida Pires
Sousa Ilda
Margarida Boto
Teresa Sarmento
João Firmino

Propostas em defesa da Saúde Pública e Segurança no Areeiro (Lisboa)

Os vizinhos têm registado um aumento de cidadãos, aparentemente sem-abrigo, a mendigar ou a consumir droga – condições não cumulativas ou associadas -, conforme documentado pelas publicações e comentários no grupo “Vizinhos do Areeiro”, com maior incidência nas Olaias e as proximidades do Pavilhão do Casal Vistoso. No seguimento das iniciativas anteriores, os subscritores solicitam ao:

– Comando da PSP de Lisboa;

– Presidente da CML; e

– Presidente da JFA.

Atenção para os seguintes pontos:

PSP

1. Aumentar o patrulhamento de proximidade.

JFA:

1. Reforçar a Higiene Urbana em meios e frequência das limpezas nas áreas circundantes ao Pavilhão; e,

2. Contratar um Serviço de Guarda Noturno, com base nos excedentes orçamentais, até que haja efetivo reforço dos meios de policiamento conforme recomendação votada em Assembleia de Freguesia.

CML:

1. Destacar um posto móvel de consumos assistidos, atenuando o consumo livre (conforme registado no grupo);

2. Avaliar a vedação dos locais de consumo frequente, ex. Parque do Vale da Montanha (sob os viadutos do metropolitano), Av. Carlos Pinhão e escadas junto aos Serviços Sociais da Av. Afonso Costa;

3. Destacar elementos da Polícia Municipal (PM) para as Olaias e, sobretudo, imediações do Jardim Tristão da Silva;

4. Gerir o corpo da PM adstrito ao “policiamento turístico”, redirecionando-o para áreas residenciais com aumento de crime e/ou vandalismo;

5. Apostar numa rede de infraestrutura para o acolhimento de cidadãos sem-abrigo;

6. Instituir uma rede com locais e profissionais especializados para apoio aos cidadãos toxicodependentes e/ou com distúrbios mentais, junto das áreas de maior incidência.

Subscrevem:

Rui Martins
Elsa Pinto
Wheelie Miyagi
Eduardo Sousa
Felipe Ferreira
Maria Epifanio
Sofia Rodrigues
Manuela Manon
Ilda Cruz
Alexandra Pjn
Ricardo de Almeida
Maria Jerónimo Costa Zita
Stela Correia
Patricia Alves
Fernando Anjos
Cristina Azambuja
Mendes Garcia
Zélia Pereira
Maria Helena Veiga
Maria Luísa Lanita
Beca Guedes Da Silva
Maria Fernanda Ribeiro Lopes
Helena Amaral
Ana Martins da Cruz
Duarte Silva Manuel
Teresa Aroso
Naide Azevedo
Luis Filipe Ferreira
Maria Jesus Pereira Gambino
Ana Paula Pimenta
Maria Cortez Caetano
Teresa LC
Isabel Tomas Rodrigo
Teresa Correia
Virginio António Briote
Carmen Padrão
Catarina Caetano
Jorge Oliveira
Maria Palma
Alexandre Ferreira Lima Bastos
Ana Freitas
Susana Xana
Jacinto Manuel Apostolo
João Pedro Araújo
Eugenia Maria Sobreiro
Madalena Morais Martins
Joao Figueiredo
Maria Helena Palhano
Maria Fernanda
Lourdes Walk
Anabela Nunes
Cláudia Casquilho
Patrícia Matos Palma
Nuno Dinis Cortiços
Ana Cardoso Santos
Elvina Maria Reis Rosa
Teresa Raposo
Nuno Miguel Cabeçadas
Fátima Mayor
Elisabete Carvalho
Francisco Tellechea
Maria João Morgado
Inês Santos
Manuela Melo
Carla Caló
Fatima Aparicio
Isabel Casquilho
Ana Sampedro
António Madeira Santos
Ana Margarida Carvalho
Paulo Silva
Marta Gaspar
Ricardo Lima
Madalena Matambo Natividade
Cristina Mota Capitão
Rafael Pereira
José Maia de Loureiro
Isabel Martins
Sara Gonçalves Caria
Maria Luisa Ferreira
Fátima Cònim
Jorge Zúniga Almeida Santo
Maria Concepcion
Zelinda Marouço
Teresa Peixoto
Rúben Pereira
Maria Lemos E Sousa
Ana Amaro Fernandes
Rita Luis
Alexandra Costa
Carla Camara
Marta Cabral Morgado
Tita Almeida
Sofia Vale
Margarida Fernandes
Isabel Castelo Branco
Belicha Geraldes
Palmira Reis Rocha
Raquel Soares
Mário Jorge Ramos
Lina Fernandes
Joana Maria
Paula Morais
Susana Carmona
Fatima Lammar
Gonçalo Pousão
Maria Gabriel
Mónica Pimentel Santos
Pedro Paulouro
Joana Alves de Sousa
João Firmino
Vanessa Correia Marques
Teresa Basto
Carolina Cardoso
Rosário Belmar da Costa
Isabel Costa Cabral
Maria João Duarte
Ana Martins


Propostas sobre a vaga de criminalidade e vandalismo no Areeiro (Março/Abril de 2020)

Tendo em conta que vivemos hoje um pico de criminalidade inédito desde que, em Novembro de 2017, os Vizinhos do Areeiro começaram a registar a criminalidade nesta freguesia, e que na actual circunstância de Estado de Emergência as ruas estão mais desertas do que nunca, e ainda que o fecho dos estabelecimentos comerciais os tornou mais vulneráveis e diminuiu também a circulação pedonal, os subscritores:

1
pedem – à semelhança do que fizemos em http://vizinhosdoareeiro.org/intervencao-da-cml-na-alameda-aumento-de-vigilancia-e-de-meios-para-a-psp-lisboa/ – que sejam reforçados os meios da PSP e que, desta forma, se contribua para reduzir o sentimento de insegurança que atualmente se vive na freguesia.

2
Os subscritores pedem igualmente ao Executivo da Junta de Freguesia do Areeiro que execute o compromisso eleitoral de dotar a freguesia de guarda nocturno (financiado pela autarquia) que complete ou antecipe este reforço de meios da PSP.

3
Aguardamos ainda a resposta da PSP à oferta, por parte da Junta de Freguesia, de um carro eléctrico para patrulhar a área da freguesia do Areeiro.

Subscrevem:
Rui Martins
Bruno Caetano
Joao Silva
Joana Melo
Flávio Tavares
Elsa Pinto
Lailai Sales
Dulce Pinto Barriga
José Carlos Jorge
Margarida Sampaio
Zulmira Varela
Maria Odete Morais
Ana Fontes
Antonio Paulo
Pedro Barbosa de Barros
Beatriz Pacheco
Maria Bárbara
Ilda Cruz
Joao Girbal Girbal
Luís Caria
Elsa Venâncio G Gomes
Alexandra Pjn
Angelina Costa Pinto
Ana Ferreira
Cristina Valadas
Floriberto Lima
Eduardo Júlio
Luis Reis
Stela Correia
São Peixoto
Maria Helena Rino Moraes
Rosa Maria Troufa Real
Rui Ferreira Lopes
Rui Bras
Mafalda Veiga Alves
Ana Castro
Vice Nabais
Nitucha Jacques
Pedro Alves
Francisco Pedroso
Dina Gomes
Duarte Simões
Carlos Pinheiro
Claudina Diego
Fernando Anjos
Maria Teresa Inglês Agostinho
Luís Correia
Anibal Santos
Cristina Azambuja
Jorge Oliveira
Rodolfo Franco
Anabela Nunes
Nuno Dinis Cortiços
Cláudia Casquilho
Patrícia Matos Palma
Madalena Matambo Natividade
Ana Costa
Teresa Raposo
Teresa Aroso
Eduardo Pessoa Santos
Zélia Pereira
Pedro Pinto
Maria Yañez
Filipa Ramalho Rickens
Manuel Jesus
Tito Ferreira de Carvalho
Maria Helena Palhano
Bruno Beja Fonseca
Paula Veiga
Manuela Bastos
Sofia Carvalho Coelho
Pedro Gaurim Fernandes
Teresa Sarmento
Ana Figueiras
Inês Santos
Maria Cortez Caetano
Francisco Tellechea
Carlos Mat
Maria De Lurdes Canto
Luis Cavaleiro Madeira
Jacinto Manuel Apostolo
Ana Filipa Gonçalves
Ruy Redin
Maria João Morgado
Manel Barroca
Maria Lourdes Alves Gouveia
Lidia Monteiro
Dulce Amaral
Francisco Lopes da Fonseca
Margarida Reis
Teresa LC
Elisabete Carvalho
Leonor Santa Bárbara
Gonçalo Pousão
Susana Carmona
Olinda Gonçalves
Mendes Garcia
Madalena Saias
Victor M Almeida
Maria Luísa Lanita
Filomena Valente
Ana Nóbrega
Carlos Gaspar
Manuela Carvalho
Maria Fernanda Ribeiro Lopes
Gabriela Candeias de Matos
Clara Ribeiro
Martins Vieira
Inês Cotrim
Lena Batista
Duarte Silva Manuel
Grata Sombreireiro MC
Dina Santos
Margarida Seguro
Ana Veiga
Ana E Filipe Torres
Maria Adelaide Nogueira
Naide Azevedo
Elisabete Ferreira
Silvana Salvi
Alexandra Cardoso
Luis Filipe Ferreira
Anabela Marçal
Pedro Moreira
Carlos Barreira Dias
Bruno Godinho
Lôpo Afonso Albuquerque
Nazare Miranda
Joaquim Barata
Mariana Costa
Fernando Magalhaes
Carlos Castelo Branco
Teresa Correia
Paulo Puga
João F. Cacais
Virginio António Briote
Ana Martins Rodrigues
Tony Morais
Maria Ferreira Pires
Ricardo Silva
Rita Apolinário
Paula Trindade
Catarina Caetano
Patrícia Alves Caetano
Maria Saramago
Teresa Capela
Luisa Cunha
Filipa Ramos
Ana Judite Peres
Rita Ribeiro
Cláudia Almeida
Fernando Lemos
Maria Helena Morais
Ricardo Quintão
Andreia Trindade
Ana Dammann
Marta Ferreira
António Carlos Teixeira Duarte
Isabel Moraes
Olinda Vieira
João Pedro Araújo
Eugenia Maria Sobreiro
Marina Vicente Cruz
Joao Figueiredo
Maria De Lurdes Machado
Anabela Matos
Maria João Coragem
António Madeira Santos
Jorge Fernandes
Paulo Silva
Valter Martins
João Miguel Gaspar
Diogo Mimoso
Sonia Adonis
Cristina Mota Capitão
Rafael Pereira
Lúcia Caetano
Vânia Sousa
Eduardo Outeiro
Cristina Neves
Nivea de Sá
Cristina Casaleiro
Isabel Martins
Ana Sampedro
Maria Luisa Ferreira
André Gomes Pereira
Catarina Borralho
Teresa Alves
Sandra Jacob
Nocas F. Costa
Ana Maria Borlido
Paulo CaféMarques
Azevedo Ana Cristina
Cristina Salvador
Daniela Aires
Maria Concepcion
Isabel Tomás
Teresa Peixoto
Francine Côrte-Real
Elena Verdasca
Ana Castilho
Maria Lemos E Sousa
Ana Fonseca Marques
Ana Macedo Azeredo
Sofia Correia
Margarida Nunes
R Alex Jesus
Francisco Martins
Carla Camara
Bruno Pardal Correia
Pedro Martins
Sérgio Manuel Cónim
Dora Nobre
Ana Marta Carreira
Tita Almeida
Carmen Domingues
Margarida Ferreira
Joana Carmo
Margarida Fernandes
Isabel Castelo Branco
Antónia Peças
Leonor Braz Teixeira
Patricia Saldanha da Gama
Belicha Geraldes
Carla Caló
Pedro Alexandre Carvalho
Fernanda Maria Gouveia
Elsa Santos
Carolina Lemos E Sousa
Paulo Baptista
Fernanda Cunha
Mariana Bettencourt
Sousa Ilda
Fernanda Ferreira
Manuel Barata Simões
Fatima Aparicio
Zé Pedro Leitão
Isabel Real
Maria Vitória Lopes
Patricia Roby Gonçalves
Maria Otilia Casquilho
Pedro Silva
Paula Emanuele Caram Poslednik
Augusto Falcão Souto
Andreia Graça
Joao Luis Canais
Pedro Gomez
Carmo Fonseca Ribeiro
João Rito
Fatima Lammar
Marta Soares
Joana Cunha
Sofia Pereira
Filipa Cabral Sacadura
Eva Falcão
Luisa Castro Correia
Rita Mathias
Fernando Nabais
Maria Graça
Rui Alexandre Silva J
Rui Pedro da Ponte
Rita Saias
Celia Botelho
Porfírio Sampaio
Rita Dias Costa
João Firmino
Cristian Sava
Vanessa Correia Marques
Luis Franco
Joao Oliveira Santos
Silvia Guedes Soares
Maria João Picoto Rodrigues
Luis Manso
Joao Rodrigues
Joana Costa
Maria Santos Pereira
Antonio Sequeira
Isabela Correia e Brito
Pedro Costa Pinto
Joana Barradas
Cuca Carvalho
Bernardo Vidal
Beatriz Maia
Ines Nascimento
Joey Guerreiro
Ricardo Santos Nogueira
Luis Miguel Gonçalves
Nathalie Dos Santos Antunes
Cristina Leal
Pedro Lagareiro
Ines Cunha Jorge
Parimal Ratilal
Emanuel Genovevo Costa
Gisela Goncalves
Lucia De Abreu
Anette Paulette
Jota Assis
Sergio Pêgo
Helder Miranda
Maggie Jacinto
Rita Torroaes Valente
Sofia Pinheiro
Raquel Vieira
Miguel Santos
João Martins
Jaime Amores
Luís Andrade

Enviada pela associação Vizinhos em Lisboa à CML a 21 Março de 2020

1
Organizar a distribuição de máscaras através das caixas de correio.

2
Sistema de distribuicção porta-a-porta de alimentos, medicamentos e outros bens essenciais a todos os lisboetas que o requeiram (as juntas focaram-se nos grupos de risco mas a quarentena aplica-se a todos)

3
criação de um fundo municipal de emergência para apoio a familias onde pelo menos um membro tenha perdido o emprego em resultado da crise da covid-19

4
Anular as taxas pagas por comerciantes à CML enquanto durar a crise sanitária

5
criar um gabinete de apoio técnico-jurídico especializado de apoio aos comerciantes nas suas requisições e inscrições aos diversos programas de apoio existentes.

6
criar uma rede de voluntários que – com autorização passada pela CML e com equipamento de protecção – possam fazer entregas a casas de idosos ou passear os seus animais de companhia

Rui Martins
presidente da Associação Vizinhos em Lisboa
https://vizinhosemlisboa.wordpress.com/

COVID-19: Propostas à CML para criar melhores condições para o Comércio no Areeiro

Enquanto moradores queremos ter Comércio Local porque o Comércio Local representa vida, alternativas, emprego e desenvolvimento para a economia local mas algumas das intervenções recentes na Av de Paris, Pç de Londres e Guerra Junqueiro vieram reforçar uma crise que já vinha de trás a explosão de preços no arrendamento urbano veio agravar.

(agora em especial contexto devido à pandemia COVID-19)

Assim sendo propomos:

1

Que a CML inste o Governo no sentido de legislar para que:

1a) o IMI em lojas vazias há mais de 1 ano seja agravado por forma a estimular o seu regresso ao mercado e pelo aumento da oferta pressionar os preços

1b) o IRS de lojas arrendadas a longa duração (mais de 3 anos) seja reduzido

2

A CML subsidiar a 100% as senhas para o parque da Empark com desconto para a 1.ª hora sendo que estas senhas seriam dadas como oferta (por escala de despesa) nas lojas nos arruamentos onde se constroem ciclovias como forma de atrair mais clientes a estas zonas.

3

Assinalar no chão, com pintura horizontal na Av. Guerra Junqueiro, a sinalização do parque da Alameda por forma a que os clientes dos espaços comerciais compreendam a facilidade de acesso ao parque a partir da Guerra Junqueiro.

4

Aumentar os lugares de cargas e descargas e permitir o estacionamento gratuito de muito curta duração (menos de 20 minutos). Ponderar a possibilidade da adição de “estacionamento exclusivo a cliente da Av Guerra Junqueiro”.

5

Anular as taxas pagas por comerciantes à CML e JFA durante um ano após o termo e durante a duração de qualquer obra: medida com efeito retroactivos

6

A CML deve avaliar propor ao Governo e à AR uma medida provisória de tecto máximo por m2 , como recentemente fez Berlim, aplicável ao arrendamento comercial.

7

Nos 15 (!) lugares de estacionamento reservados ao Ministério do Trabalho permitir o estacionamento de muito curta duração para uso pelos clientes das superfícies comerciais: sobretudo ao sábado de manhã e depois das 17 (limitando a reserva entre as 0900 e as 1700)

8

Publicidade no Metro da Alameda e em conjunto com os vários hotéis da zona direcionado para o nosso comércio: O Comércio Tradicional ConVida

Subscrevem:
Jorge Oliveira
Rodolfo Franco
Nuno Dinis Cortiços
Cláudia Casquilho
Elsa Felizardo
Ana Paula Araujo
Ilda Cruz
Patrícia Matos Palma
Madalena Matambo Natividade
Ana Costa
Stela Correia
Cristina Azambuja
Anabela Nunes
Gabriela Lago
Teresa Aroso
Ana Benavente
Maria Teresa Inglês Agostinho
Zélia Pereira
Maria Delfina Vasconcelos
Pedro Gaurim Fernandes
Anabela Gouveia
Maria João Morgado
Luisa Castro Correia
Herculano Rebordao
Cristina Milagre
Fernando Anjos
Ana Sampedro
Teresa Sotto Mayor Carvalho
Duarte Amado
Jacinto Manuel Apostolo
Dulce Amaral
Belicha Geraldes
Francisco Tellechea
Carla Caló
Carolina Veloso Martins
Bruno Beja Fonseca
Raquel Ferreira de Melo
Rui Martins
Ana Marques
Lailai Sales
Guida Costa
Dorota Lomba
Isabel Conceição
Ana Cristina Ribeiro
Augusta Presa
Jean Ricardo
Ana Marques
Maria Jerónimo Costa Zita
Eduardo Júlio
Rosa Maria Troufa Real
Rui Ferreira Lopes
Ana Castro
Carlos Alberto Vieira
Rute Rodrigues
Nitucha Jacques
Cristina Cardoso
Alberta Lopes
Maria Barbara Troni
Carlos Pinheiro
Anibal Santos
Ana Fernandes
Filomena Maria Aleixo
Sara Anjos
Grata Sombreireiro MC
Miguel André
Graciano Venâncio Morais
Alexandra Cardoso
Maria Rita Oliveira
Tomaz Alves Oliveira
Maria Jesus Pereira Gambino
Elsa Borges da Silva
Maria Odete Carmona
Maria Claro Ribeiro
Yolanda Palma
Nazare Miranda
Maria José Bernardo
Fernanda Santos
Sandra João Borges
Nuno Duarte
Ana Alcinda Lomba
Nazare Ferreira
Lidia Monteiro
Catarina Coelho
Luis Pina Amaro
Maria Margarida Silva
Maria Manuela Nobre
Maria Cristina Lacerda
Ricardo Castro
Ana Hipólito Pires
Pedro André
Alexandra André
Bruno Dias de Carvalho
Susana De Brito Dias
Joana Monteiro
Sandra Simas
Alda Salcedas
Isabel Barreto
Maria Luisa Ferreira
Cristina Inacio
Inês Luís
Joana Santos Patrocinio
Celina Gil
Ana Canha
Cristina Salvador
Maria Concepcion
Isabel Bastos
Isabel Tomás
Ana Vicente
Teresa Peixoto
Francine Côrte-Real
Teresa Braamcamp Mancellos
Andreia Cunha Dias
Maria João Serra
Sónia Maia
Maria Duarte Silva
Sofia Correia
Vera Roquette
Alexandra Costa
Maria Pissarra
Sérgio Manuel Cónim
Múri Kraft
Sofia Vale
Leonor Braz Teixeira
Graça Aníbal
Fátima Silva
Paulo Baptista
Fernando Barroso de Moura
Mariana Bettencourt
Manuela Paixão
Mafalda Alegria
Margarida Duarte Vinhas
Nanda Ruaz
Gonçalo Vitorino
Victor Ribeiro
Isabel Real
Necas Diniz
Maria João
Teresa Maria Braga Abecasis
Bruno Paradela De Oliveira
Sofia Pereira
André Quartin Santos
Ana Chau
Ana Filipa Gonçalves
Antonieta Soares Ribeiro
Francisco Lopes da Fonseca
Maria Lourdes Alves Gouveia
Rui Pedro da Ponte
Porfírio Sampaio
Vanessa Correia Marques
Antonio Sequeira
Sofia Silva
Catarina Rebelo
Luana Cunha Ferreira
Ana Sofia Freitas
Manuela Rodrigues
Helder Miranda

Resposta da CML

Exmos. Senhores

Vizinhos do Areeiro

Em resposta ao seu email de 16 de Março de 2020, somos a informar o seguinte.

De acordo com a informação disponível no sítio da Câmara Municipal de Lisboa, mais concretamente em https://www.lisboa.pt/atualidade/noticias/detalhe/pagamento-de-estacionamento-suspenso-e-e-gratuito-para-residentes-em-parques-emel, o pagamento de estacionamento na via pública está suspenso, devendo contudo ser respeitados os lugares reservados a funções específicas, tais como lugares exclusivos a residentes, lugares para operações de cargas e descargas, lugares para portadores de mobilidade reduzida, entre outros.

Assim, as equipas de fiscalização da EMEL e a divisão de trânsito da Polícia Municipal continuarão a assegurar a fiscalização do estacionamento da cidade. Os meios serão reforçados e alocados na manutenção de canais de circulação livres, incluindo veículos que limitem a circulação de outros veículos, em particular de emergência, acessos a propriedades incluindo garagens, ou qualquer infração que ponha em causa a segurança ou a livre circulação de pessoas e veículos, e zonas de estacionamento especial, como sejam locais de carga e descarga, paragens de autocarros, zonas de residentes, ou qualquer local de estacionamento privativo necessário para o normal funcionamento da entidade a que está atribuído.

Estas medidas serão monitorizadas e avaliadas em função da situação da cidade, podendo ser alteradas ou revogadas a qualquer momento, estimando-se, porém, a sua manutenção, em condições normais, até pelo menos dia 9 de abril.

Estas medidas visam reduzir as dificuldades de estacionamento para residentes em especial em zonas de maior pressão, e sobretudo melhorar a condição de quem cumpre situações de quarentena ou isolamento social, como recomendado, e de quem contribui com o seu trabalho para funções essenciais.

Com os melhores cumprimentos.

Gabinete do Vereador Miguel Gaspar

Câmara Municipal de Lisboa

Propostas para a CML sobre respostas às “Ondas de Calor”

Porque as “ondas de calor” constituem perigo para a vida, subscreva.
Resultado directo das alterações climáticas e consideradas na carta de “Lisboa Verde 2020”, iniciativa da Câmara Municipal de Lisboa, solicita-se apoio para as medidas abaixo descritas com vista à instituição de um “sistemas de sombras”.
Em 2003, apenas dois fenómenos contribuíram com mais de 34.802 mortes prematuras, França (14.802) e Itália (+20.000).
À consideração da CML e Ministério do Ambiente:

  1. Instalação de reservatórios subterrâneos de águas pluviais: para lavagem urbana, rega, repuxos e aspersores. Sistemas que contribuem para a atenuação das temperaturas elevadas em espaço público através da humidificação do ar – recurso há muito presente em cidades do sul da Europa – Sevilha (Expo), Valeta, Atenas, e até no Campo Pequeno, “jogo de água”, entretanto abandonado por razão desconhecida.
  2. Introdução de espécies de árvores resilientes aos períodos de seca, incentivar o plantio através de convite à participação dos mais próximos usufrutuários, na garantia da defesa das daquelas e suas caldeiras, onde tantas vezes servem para depositar lixo, nomeadamente, nas artérias de maior actividade comercial. Estabelecer a continuidade arbórea/“corredores verdes”.
  3. Promover pérgolas com trepadeiras de baixo consumo de água e folha caduca, localizadas em arruamentos e jardins (ex. Avenidas, Jardim F. Pessa, Irmã Lúcia, laterais da Alameda): articulados com ilhas de bancos para estadia e descanso, estrategicamente, colocados à sombra nas horas de maior calor durante o verão.
  4. Instalação de estruturas com recurso a perfilados de alumínio ou outros materiais de baixa degradação e manutenção com lâminas posicionadas para deflectir a radiação solar por forma permitir sombras e reduzir o efeito provocado pelas “ilhas de calor”.
  5. Termómetros de rua em candeeiros com partilha das leituras para instituírem um sistema de alerta do calor em espaço urbano, em tempo real; aos quais se poderiam adicionar medidores da qualidade do ar (humidade, partículas leves, etc).
  6. Gestão de arvoredo em regime de cuidados partilhados, por residentes (regime de voluntariado ou contrato social): de momento, em curso na Xavier Cordeiro, Nunes Claro e Vítor Hugo. Os moradores das ruas são contactados porta-a-porta pela divisão de espaços verdes da CML e subscrevem um “contrato” em que assumem a manutenção de uma caldeira de árvore perto de sua residência, onde poderão plantar espécies de pequeno porte e dimensão, com formação e apoio da CML. Avaliar a possibilidade de apoio/patrocínio de entidades privadas, tipo, “Hortos do Campo Grande” ou outros fora do ramo, em troca de publicidade, “esta sombra tem o patrocínio da X”.
  7. Substituição dos limitadores e pilaretes por floreiras com espécies de baixo consumo de água, p.ex. tradicionais chorões, importantes para a atenuação térmica local, promovida sob o efeito evotranspiração (transporte de água das raízes para a folhagem), p.ex. Bº do Arco do Cego, onde a “floresta” de pilaretes deu lugar a floreiras, também na Almirante Reis ou Manuel da Maia.
  8. Transformar todas as zonas expectantes (p.ex. na Sarmento de Beires) em “plantação de transição” com plantio de baixo consumo (lúdico ou agrícola) com a possibilidade de transferências para outros locais em iguais condições, p.ex. floreiras “Arco do Cego”.
  9. Promoção de coberturas verdes para retenção das águas pluviais (humidificação do ar), oxigenação, atenuação térmica e ruído, absorção da radiação solar, redução do consumo energético, contribuição para a diversidade de vistas, tão características de Lisboa e valorização da propriedade, p.ex., em equipamentos inicialmente em edifícios camarários (começando p.ex. no Pavilhão do Casal Vistoso) ou como “muros verdes” favorecidos pelo declives da cidade. Considerar a aplicação da medida a edifícios existentes com recurso a fórmula de cálculo para avaliação dos custos/benefícios, casa a caso.
  10. Planear o plantio arbóreo para reduzir o efeito de massa térmica/libertação de calor em períodos nocturno, bermas das grandes vias, p.ex., Av. Gago Coutinho. Considerar um sistema de intensidade variável, através de sensor de movimento, para ajustar a iluminação de rua.
  11. Estudar a introdução de vegetação sobre as coberturas de pequenos equipamentos, p.ex., paragens de autocarro, introduzido pela Holanda, com espécies ajustada à pluviosidade.
    Algumas destas propostas tem por base a “Cool Neighborhoods, New York”,
    https://www1.nyc.gov/assets/orr/pdf/Cool_Neighborhoods_NYC_Report_FINAL.pdf

Subscrevem:

Nuno Dinis Cortiços
Paula Borges
Rodolfo Franco
Jorge Oliveira
Manuel Jesus
Ilda Cruz
Elvina Maria Reis Rosa
Maria Teresa Rodrigues
Stela Correia
Madalena Matambo Natividade
Zélia Pereira
Anabela Nunes
Ana Costa
Luisa Teresa
Maria Teresa Inglês Agostinho
Irene Coelho
Teresa Aroso
Duarte Amado
Alexandra Rg
José João Leiria-Ralha
Anabela Gouveia
Márcia Salgueiro
Fatima Lammar
Ana Judite Peres
Belicha Geraldes
Rui Martins
Manuel Amaral
Catarina Syder Fontinha
Maria Jerónimo Costa Zita
Maria Silva
Alberta Lopes
Francisco Pedroso
Anibal Santos
Maria Luísa Lanita
Lezíria Couchinho
Helena Amaral
Maria Adelaide Nogueira
Maria Joao Gouveia
Virginio António Briote
Maria Helena Sacadura Simoes
Maria Manuela Nobre
António Pires Sargento
Maria Cristina Lacerda
Eduardo Duarte Coelho
Pedro André
Rafael Pereira
Sandra Simas
Joana Santos Patrocinio
Jorge Zúniga Almeida Santo
Gonçalo Peres
Ana Azevedo
Rita Luis
Maria Duarte Silva
Sofia Correia
Leonilde Ferreira Viegas
Patricia Saldanha da Gama
Maria Yañez
Fátima Silva
Maria Da Conceição Abreu
Anita Patrício
Cristina Manuela Silva
Teresa Maria Braga Abecasis
Maria Da Conceiçao Batista
Margarida Caldeira da Silva
Ana Filipa Gonçalves
João Firmino
Antonio Sequeira
Selita Maria
Cristina Leal
Eva Monteiro
Paula Veiga
Rui Coimbra
Filipe Brandão
Sofia Pinheiro