Recuperação e relocalização das “Três Graças” na Praça de Londres

Os Subscritores requerem à CML que proceda à reparação da estátua das “Três Graças” (faltam as mãos sendo que estas já haviam desaparecido uma vez) e a sua transferência para o jardim central da Praça de Londres, na ponta oposta à estátua de Guerra Junqueiro no mesmo local onde estava a magnólia que morreu há uns anos.
Ficaria virada para a Av de Roma e permitiria enriquecer, sem grande custo nem projecto uma parte nobre na freguesia que está desfeada pelo grande painel luminoso da ATL.
De recordar que no Jardim onde está actualmente esta estátua já existe o conjunto escultórico do antigo cinema Monumental.

Subscrevem:
133 cidadãos em
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/2522717888041003/

CTT: Reclamação Colectiva

Com o Irá processo nº ROR00000000000891516.

Os Vizinhos do Areeiro (www.vizinhosdoareeiro.org) – núcleo local da associação Vizinhos em Lisboa – enviaram à ANACOM (via Livro de Reclamações) a seguinte queixa relativa à fraca qualidade global do serviço dos CTT na freguesia do Areeiro:

1
“Eu aqui ainda aguardo pela conta da EDP, já decerto bem fora de prazo. Sei de vizinhos daqui que receberam a carta no dia a seguir ao fim do período de pagamento.”

2
“Eu também aguardo pela factura da EDP de junho e da autoridade tributária igualmente de junho, e agora quem paga o prejuízo se houver.”

3
“É péssimo todos os dias há cartas trocadas, basta o carteiro ir de férias ou colocarem outro (não percebo o motivo de tantas trocas) para aparecerem cartas de outras moradas.”

4
“Comigo, nem assumem a responsabilidade, chegam ao absurdo de insinuar que a entrega da correspondência seria da responsabilidade de outra empresa. A correspondência de uma seguradora já vem registada, mesmo a mais comum, porque de outra forma não sabem quando e se é entregue.”

5
“Ainda à espera de uma ventoinha de laptop que mandei vir da china e entrou em Portugal há um mês…”

6
“Todos os meses, nos últimos 4 meses, pelo menos, várias contas chegaram já depois de terminados os prazos de pagamento. Houve várias semanas em que nem houve distribuição. Quem depende dos CTT para receber as suas contas ( outras coisas importantes), está em maus lençóis.”

7
“a minha nota de cobrança do Imi nunca apareceu, já é a segunda vez que aconteceu”

8
“Demoras,enganos na colocação de correspondência,tanto faz ser o número 34,36,38. Há dias fui entregar uma carta da Caixa Nacional de Pensões,a uma vizinha que mora 2 números antes do meu prédio.”

9
“Por aqui, até já cartas endereçadas para a zona de Telheiras apareceram…”

10
“Tive de reclamar 3 vezes e depois de cada reclamação lá foram entregando cartas em atraso”

11
“Aqui até às cartas das finanças não têm sido entregues…”

12
“Comigo foi a EPAL, chegou no dia do prazo limite”

13
“Cheguei a abrir a porta ao carteiro e quando fui à caixa do correio no dia seguinte tinha um aviso a dizer que não estava em casa. Aconteceu 3 vezes. À 3ª (sou muito paciente) disse na estação que para a próxima apresentava queixa. Mudaram o carteiro.”

14
“A minha experiência tem sido péssima, infelizmente. Cartas registadas não entregues, letras de carteiro ilegíveis, Queixas por escrito que nem resposta recebem”

15
“O horário é pouco adequado, saio antes de abrir e chego do trabalho depois de fechar. Nunca consigo receber as encomendas (que já quase não mando para a minha morada – mas o correio oficial tem que vir). As alternativas a voltar a receber em 2ª oportunidade não são viáveis.”

16
“Um encomenda vinda da China comprada online a 20 de Fevereiro, recebi o dinheiro do seguro por extravio ( Paypal) e acabei por receber o artigo 23 de junho…”

17
“todos os dias a fila da estação da Av de Roma tem entre 15 a 30 mns de duração…”

18
“Continuo à espera de duas encomendas da China feitas no início de abril”

19
“CTT – Deixei de usar simplesmente porque não funciona. Já recebi uma liquidação de IRS três dias depois do prazo para pagar, com as consequências associadas a essa incapacidade e incompetência.”

20
“Recebi cartas de fornecimento de luz ou gás fora de prazo, já com ameaça de corte. Fiz queixa no livro de reclamações, não serviu para nada”

21
“Ainda ontem reclamei sobre encomenda que veio da Holanda e está parada em Lisboa no centro de distribuição desde 24 Junho. Responderam que vai demorar no mínimo 15 dias úteis. A última que veio de Inglaterra chegou a Portugal a 25 de Maio e nunca apareceu ,já me devolveram o dinheiro.”

22
“As contas têm chegado sempre após o prazo terminar, incluindo o IMI.”

23
“Temos assinaturas de Revistas semanais e frequentemente recebemo-las com atraso e por vezes nem sequer as recebemos.”

24
“Tenho correio perdido há 3 meses…”

25
“No domingo, vindo de férias tirei tudo o que havia na caixa do correio, no dia seguinte tinha um aviso para levantar uma encomenda onde o carteiro anotou a data de sábado…”

26
“Péssimo serviço. Quase todos os dias recebemos correspondência endereçada a outros prédios; aqui por vezes falham contas.”

27
“Continuo a espera da factura da NOS do mês de Junho”

28
“Dia 6 de Maio enviei uma carta registada para Macau. Passado um mês soube que ainda não tinha chegado e que não havia problema com os correios de lá. No fim de Junho fiz reclamação para os ctt e obtive resposta, pedindo-me vários dados de referência e prometendo averiguar. Nova reclamação a 10 de Julho e, finalmente, soube , por Macau, que a carta tinha acabado de chegar”

29
“Há dias fiz uma queixa no Portal da Queixa para investigarem se o problema do atraso sistemático das contas e da EDP, da companhia que usam como distribuidor (PGM) ou dos CTT. Contudo a EDP recusou-se a responder pois segundo eles nao posso fazer a reclamação sem que a minha mãe de 84 anos, titular da conta me passe uma proclamação. Ou seja nao quiseram responder, pelo que talvez mais gente que seja titular de contas os possa obrigar a investigar devidamente esta situação.”

30
“Eu também aguardo pela factura da EDP de junho e da autoridade tributária igualmente de junho, e agora quem paga o prejuízo se houver.”

31
“É péssimo todos os dias há cartas trocadas, basta o carteiro ir de férias ou colocarem outro (não percebo o motivo de tantas trocas) para aparecerem cartas de outras moradas.”

32
“Desde dia 24 de Junho que possuo um envelope para entrega em Lisboa estando ainda sem a sua recepção. Este tipo de situações têm ocorrido constantemente com outros envelopes não registados, mas este podemos bem documentar o que se passa nestas entregas.”

33
“Nos últimos meses também as facturas das contas EDP e EPAL, bem como os respectivos avisos de corte, têm vindo também consecutivamente fora de prazo, tendo hoje dia 27, por exemplo, recebido uma factura enviada a dia 07 e com data limite de pagamento a dia 19.”

34
“no começo de agosto tinha umas 6 cartas do número 33 da João Villaret colocadas no 31, depois lá fui eu entregar o correio”


Onde estão os azulejos do edifício da Rua Abade Faria?

Recentemente registámos que nas intervenção reconstrutiva ocorrida no prédio sito no número 16 da Rua Abade Faria (Bairro dos Actores) e aprovado em junho de 2017 os azulejos de começos do século XX que existiam no nível térreo do dito edifício e que eram únicos no Bairro e raros em toda a freguesia do Areeiro foram removidos e substituídos por azulejos brancos.
Ora se o projecto foi aprovado depois da lei de 2012 isso obrigava o construtor a repor os azulejos originais e a reparar as falhas que – antes da obra – estes já apresentavam.
Apelamos assim ao Exmo. Sr. Vereador Ricardo Veludo com conhecimento da Assembleia Municipal de Lisboa que intervenham no sentido de repor os azulejos originais.

Obrigado

Enviado a Vereador Ricardo Veludo com CC da AML

Resposta da CML a 28.05.2020:
“ENT/353/GVRV/CML/2020
Encarrega-me o Senhor Vereador Ricardo Veludo de acusar a receção do e-mail abaixo, que desde já agradecemos e que mereceu a nossa melhor atenção.
Atendendo ao assunto em causa, foi a mesma encaminhada para o Departamento de Apoio à Gestão Urbanística (Tel. 21798 8403 /9112 /8983; e-mail: dmu.dagu@cm-lisboa.pt), para verificação/fiscalização, e resposta”

Propostas à CML para o Parque Urbano do Vale da Montanha: Cuidadores, Cobertura Verde e Rede de Parcerias

Enviada a 18 de Maio de 2020:

Propostas à Direcção de Espaços Verdes da CML: Cuidadores, Cobertura Verde e Rede de Parcerias

Gostaríamos de solicitar o apoio da Direção de Espaços Verdes (DEV) da CML para as seguintes áreas de atuação:

  • apoio na dinamização de um grupo de moradores do Areeiro que se interesse por cuidar dos Espaços Verdes da Freguesia nomeadamente das diversas árvores recém-plantadas no novo Parque Urbano do Vale da Montanha,
  • agilização do processo de replantação de árvores em caldeiras que se encontram desocupadas nas nossas ruas, existindo para tal um meio próprio para contacto de forma a evitar a demora que se tem verificado
  • definição conjunta (com a DEV) de manuais de “boas práticas” para cuidar dos Espaços Verdes e que poderá ser utilizado pelos moradores, mas também pelos funcionários da CML e das Juntas de Freguesia e pelas empresas contratadas pela CML
  • alguns exemplos de boas práticas poderão ser a utilização de “cobertura verde” (“mulching”) junto às árvores recém-plantadas, a rega de algumas árvores e o ser seletivo em relação ao corte das ervas do parque (por exemplo, procurar deixar ficar as plantas com bastantes flores)
  • vigilância de alguns aspectos de tutoragem a precisar de manutenção e pedindo a respectiva intervenção;
  • poder-se-á também pedir o apoio de algumas Universidades e empresas de consultadoria (em agricultura biológica, permacultura, etc) para dar algum apoio na elaboração dos manuais de “boas práticas” e, também, para realizar alguns ensaios científicos, por forma a compreender melhor quais as práticas mais eficazes (ou seja, que produzem melhores resultados).

Proposta elaborada a partir de sugestão de um residente do Areeiro e frequentador regular do Parque do Vale da Montanha

Subscrevem este pedido de reunião:
Rui Martins
Ilda Cruz
Stela Correia
Nico Lion
Aruna Nathoo
Maria Helena Rino Moraes
Cristina Azambuja
Zélia Pereira
Marilia Pedro
Duarte Silva Manuel
Amélia Maria Ribeiro
Sandra Henriques
Isabel Gameiro
Teresa Correia
Carmen Padrão
Maria Saraiva
Adelina Bibe
Jorge Oliveira
Maria Saramago
David Greer
Manuela Melo
Ana Costa
Madalena Matambo Natividade
Pedro André
Isabel Petronilho Almeida
Teresa Raposo
Lina Nathoo
Jorge Zúniga Almeida Santo
Gonçalo Peres
Sofia Carvalho Coelho
Elvina Maria Reis Rosa
Carla Camara
Anabela Nunes
Patricia Saldanha da Gama
Teresa De Almeida Pires
Sousa Ilda
Margarida Boto
Teresa Sarmento
João Firmino

Propostas em defesa da Saúde Pública e Segurança no Areeiro (Lisboa)

Os vizinhos têm registado um aumento de cidadãos, aparentemente sem-abrigo, a mendigar ou a consumir droga – condições não cumulativas ou associadas -, conforme documentado pelas publicações e comentários no grupo “Vizinhos do Areeiro”, com maior incidência nas Olaias e as proximidades do Pavilhão do Casal Vistoso. No seguimento das iniciativas anteriores, os subscritores solicitam ao:

– Comando da PSP de Lisboa;

– Presidente da CML; e

– Presidente da JFA.

Atenção para os seguintes pontos:

PSP

1. Aumentar o patrulhamento de proximidade.

JFA:

1. Reforçar a Higiene Urbana em meios e frequência das limpezas nas áreas circundantes ao Pavilhão; e,

2. Contratar um Serviço de Guarda Noturno, com base nos excedentes orçamentais, até que haja efetivo reforço dos meios de policiamento conforme recomendação votada em Assembleia de Freguesia.

CML:

1. Destacar um posto móvel de consumos assistidos, atenuando o consumo livre (conforme registado no grupo);

2. Avaliar a vedação dos locais de consumo frequente, ex. Parque do Vale da Montanha (sob os viadutos do metropolitano), Av. Carlos Pinhão e escadas junto aos Serviços Sociais da Av. Afonso Costa;

3. Destacar elementos da Polícia Municipal (PM) para as Olaias e, sobretudo, imediações do Jardim Tristão da Silva;

4. Gerir o corpo da PM adstrito ao “policiamento turístico”, redirecionando-o para áreas residenciais com aumento de crime e/ou vandalismo;

5. Apostar numa rede de infraestrutura para o acolhimento de cidadãos sem-abrigo;

6. Instituir uma rede com locais e profissionais especializados para apoio aos cidadãos toxicodependentes e/ou com distúrbios mentais, junto das áreas de maior incidência.

Subscrevem:

Rui Martins
Elsa Pinto
Wheelie Miyagi
Eduardo Sousa
Felipe Ferreira
Maria Epifanio
Sofia Rodrigues
Manuela Manon
Ilda Cruz
Alexandra Pjn
Ricardo de Almeida
Maria Jerónimo Costa Zita
Stela Correia
Patricia Alves
Fernando Anjos
Cristina Azambuja
Mendes Garcia
Zélia Pereira
Maria Helena Veiga
Maria Luísa Lanita
Beca Guedes Da Silva
Maria Fernanda Ribeiro Lopes
Helena Amaral
Ana Martins da Cruz
Duarte Silva Manuel
Teresa Aroso
Naide Azevedo
Luis Filipe Ferreira
Maria Jesus Pereira Gambino
Ana Paula Pimenta
Maria Cortez Caetano
Teresa LC
Isabel Tomas Rodrigo
Teresa Correia
Virginio António Briote
Carmen Padrão
Catarina Caetano
Jorge Oliveira
Maria Palma
Alexandre Ferreira Lima Bastos
Ana Freitas
Susana Xana
Jacinto Manuel Apostolo
João Pedro Araújo
Eugenia Maria Sobreiro
Madalena Morais Martins
Joao Figueiredo
Maria Helena Palhano
Maria Fernanda
Lourdes Walk
Anabela Nunes
Cláudia Casquilho
Patrícia Matos Palma
Nuno Dinis Cortiços
Ana Cardoso Santos
Elvina Maria Reis Rosa
Teresa Raposo
Nuno Miguel Cabeçadas
Fátima Mayor
Elisabete Carvalho
Francisco Tellechea
Maria João Morgado
Inês Santos
Manuela Melo
Carla Caló
Fatima Aparicio
Isabel Casquilho
Ana Sampedro
António Madeira Santos
Ana Margarida Carvalho
Paulo Silva
Marta Gaspar
Ricardo Lima
Madalena Matambo Natividade
Cristina Mota Capitão
Rafael Pereira
José Maia de Loureiro
Isabel Martins
Sara Gonçalves Caria
Maria Luisa Ferreira
Fátima Cònim
Jorge Zúniga Almeida Santo
Maria Concepcion
Zelinda Marouço
Teresa Peixoto
Rúben Pereira
Maria Lemos E Sousa
Ana Amaro Fernandes
Rita Luis
Alexandra Costa
Carla Camara
Marta Cabral Morgado
Tita Almeida
Sofia Vale
Margarida Fernandes
Isabel Castelo Branco
Belicha Geraldes
Palmira Reis Rocha
Raquel Soares
Mário Jorge Ramos
Lina Fernandes
Joana Maria
Paula Morais
Susana Carmona
Fatima Lammar
Gonçalo Pousão
Maria Gabriel
Mónica Pimentel Santos
Pedro Paulouro
Joana Alves de Sousa
João Firmino
Vanessa Correia Marques
Teresa Basto
Carolina Cardoso
Rosário Belmar da Costa
Isabel Costa Cabral
Maria João Duarte
Ana Martins


Propostas para a CML sobre respostas às “Ondas de Calor”

Porque as “ondas de calor” constituem perigo para a vida, subscreva.
Resultado directo das alterações climáticas e consideradas na carta de “Lisboa Verde 2020”, iniciativa da Câmara Municipal de Lisboa, solicita-se apoio para as medidas abaixo descritas com vista à instituição de um “sistemas de sombras”.
Em 2003, apenas dois fenómenos contribuíram com mais de 34.802 mortes prematuras, França (14.802) e Itália (+20.000).
À consideração da CML e Ministério do Ambiente:

  1. Instalação de reservatórios subterrâneos de águas pluviais: para lavagem urbana, rega, repuxos e aspersores. Sistemas que contribuem para a atenuação das temperaturas elevadas em espaço público através da humidificação do ar – recurso há muito presente em cidades do sul da Europa – Sevilha (Expo), Valeta, Atenas, e até no Campo Pequeno, “jogo de água”, entretanto abandonado por razão desconhecida.
  2. Introdução de espécies de árvores resilientes aos períodos de seca, incentivar o plantio através de convite à participação dos mais próximos usufrutuários, na garantia da defesa das daquelas e suas caldeiras, onde tantas vezes servem para depositar lixo, nomeadamente, nas artérias de maior actividade comercial. Estabelecer a continuidade arbórea/“corredores verdes”.
  3. Promover pérgolas com trepadeiras de baixo consumo de água e folha caduca, localizadas em arruamentos e jardins (ex. Avenidas, Jardim F. Pessa, Irmã Lúcia, laterais da Alameda): articulados com ilhas de bancos para estadia e descanso, estrategicamente, colocados à sombra nas horas de maior calor durante o verão.
  4. Instalação de estruturas com recurso a perfilados de alumínio ou outros materiais de baixa degradação e manutenção com lâminas posicionadas para deflectir a radiação solar por forma permitir sombras e reduzir o efeito provocado pelas “ilhas de calor”.
  5. Termómetros de rua em candeeiros com partilha das leituras para instituírem um sistema de alerta do calor em espaço urbano, em tempo real; aos quais se poderiam adicionar medidores da qualidade do ar (humidade, partículas leves, etc).
  6. Gestão de arvoredo em regime de cuidados partilhados, por residentes (regime de voluntariado ou contrato social): de momento, em curso na Xavier Cordeiro, Nunes Claro e Vítor Hugo. Os moradores das ruas são contactados porta-a-porta pela divisão de espaços verdes da CML e subscrevem um “contrato” em que assumem a manutenção de uma caldeira de árvore perto de sua residência, onde poderão plantar espécies de pequeno porte e dimensão, com formação e apoio da CML. Avaliar a possibilidade de apoio/patrocínio de entidades privadas, tipo, “Hortos do Campo Grande” ou outros fora do ramo, em troca de publicidade, “esta sombra tem o patrocínio da X”.
  7. Substituição dos limitadores e pilaretes por floreiras com espécies de baixo consumo de água, p.ex. tradicionais chorões, importantes para a atenuação térmica local, promovida sob o efeito evotranspiração (transporte de água das raízes para a folhagem), p.ex. Bº do Arco do Cego, onde a “floresta” de pilaretes deu lugar a floreiras, também na Almirante Reis ou Manuel da Maia.
  8. Transformar todas as zonas expectantes (p.ex. na Sarmento de Beires) em “plantação de transição” com plantio de baixo consumo (lúdico ou agrícola) com a possibilidade de transferências para outros locais em iguais condições, p.ex. floreiras “Arco do Cego”.
  9. Promoção de coberturas verdes para retenção das águas pluviais (humidificação do ar), oxigenação, atenuação térmica e ruído, absorção da radiação solar, redução do consumo energético, contribuição para a diversidade de vistas, tão características de Lisboa e valorização da propriedade, p.ex., em equipamentos inicialmente em edifícios camarários (começando p.ex. no Pavilhão do Casal Vistoso) ou como “muros verdes” favorecidos pelo declives da cidade. Considerar a aplicação da medida a edifícios existentes com recurso a fórmula de cálculo para avaliação dos custos/benefícios, casa a caso.
  10. Planear o plantio arbóreo para reduzir o efeito de massa térmica/libertação de calor em períodos nocturno, bermas das grandes vias, p.ex., Av. Gago Coutinho. Considerar um sistema de intensidade variável, através de sensor de movimento, para ajustar a iluminação de rua.
  11. Estudar a introdução de vegetação sobre as coberturas de pequenos equipamentos, p.ex., paragens de autocarro, introduzido pela Holanda, com espécies ajustada à pluviosidade.
    Algumas destas propostas tem por base a “Cool Neighborhoods, New York”,
    https://www1.nyc.gov/assets/orr/pdf/Cool_Neighborhoods_NYC_Report_FINAL.pdf

Subscrevem:

Nuno Dinis Cortiços
Paula Borges
Rodolfo Franco
Jorge Oliveira
Manuel Jesus
Ilda Cruz
Elvina Maria Reis Rosa
Maria Teresa Rodrigues
Stela Correia
Madalena Matambo Natividade
Zélia Pereira
Anabela Nunes
Ana Costa
Luisa Teresa
Maria Teresa Inglês Agostinho
Irene Coelho
Teresa Aroso
Duarte Amado
Alexandra Rg
José João Leiria-Ralha
Anabela Gouveia
Márcia Salgueiro
Fatima Lammar
Ana Judite Peres
Belicha Geraldes
Rui Martins
Manuel Amaral
Catarina Syder Fontinha
Maria Jerónimo Costa Zita
Maria Silva
Alberta Lopes
Francisco Pedroso
Anibal Santos
Maria Luísa Lanita
Lezíria Couchinho
Helena Amaral
Maria Adelaide Nogueira
Maria Joao Gouveia
Virginio António Briote
Maria Helena Sacadura Simoes
Maria Manuela Nobre
António Pires Sargento
Maria Cristina Lacerda
Eduardo Duarte Coelho
Pedro André
Rafael Pereira
Sandra Simas
Joana Santos Patrocinio
Jorge Zúniga Almeida Santo
Gonçalo Peres
Ana Azevedo
Rita Luis
Maria Duarte Silva
Sofia Correia
Leonilde Ferreira Viegas
Patricia Saldanha da Gama
Maria Yañez
Fátima Silva
Maria Da Conceição Abreu
Anita Patrício
Cristina Manuela Silva
Teresa Maria Braga Abecasis
Maria Da Conceiçao Batista
Margarida Caldeira da Silva
Ana Filipa Gonçalves
João Firmino
Antonio Sequeira
Selita Maria
Cristina Leal
Eva Monteiro
Paula Veiga
Rui Coimbra
Filipe Brandão
Sofia Pinheiro

Insegurança no Areeiro

Dada a actual onda de criminalidade que assola o Areeiro, com dezenas de carros vandalizados e de lojas assaltadas entre 24 e 3 de Janeiro e de ontem um assalto a uma farmácia na João XXI os Subscritores apelam:
à PSP que responda:
1. Ao pedido de aumento de meios humanos na PSP Lisboa:
https://vizinhosdoareeiro.org/intervencao-da-cml-na-alameda-aumento-de-vigilancia-e-de-meios-para-a-psp-lisboa/
2. à aceitação do veículo eléctrico:
https://vizinhosdoareeiro.org/apelo-a-psp-aceitacao-do-veiculo-electrico-disponibilizado-pela-junta-de-freguesia-do-areeiro/
3. que mantenham a Esquadra das Olaias com os meios humanos suficientes por forma a garantir que não fecha de noite:
https://vizinhosdoareeiro.org/nao-ao-fecho-nocturno-da-esquadra-das-olaias-e-pela-construcao-de-um-edificio-multiusos-para-policia-bombeiros-e-inem/
recordamos que a PSP não está isenta do cumprimento dos prazos de resposta aos cidadãos prescritos no Código do Procedimento Administrativo
à CML que responda:
1. à sugestão de construção de um novo edifício multiusos para a PSP e outras entidades:
https://vizinhosdoareeiro.org/nao-ao-fecho-nocturno-da-esquadra-das-olaias-e-pela-construcao-de-um-edificio-multiusos-para-policia-bombeiros-e-inem/
2. Que permita que a PSP Olaias possa mudar para algumas salas nos Serviços Sociais da CML:
https://vizinhosdoareeiro.org/proposta-de-avaliacao-da-mudanca-da-esquadra-das-olaias-para-a-afonso-costa/
à Junta de Freguesia do Areeiro:
1. Que responda à sugestão feita em Assembleia de Freguesia de 5 de Dezembro:
Conhecendo a existência de um excedente financeiro nas contas da Junta de Freguesia e a grande carestia de meios na Esquadra da PSP das Olaias esta autarquia poderia entrar em diálogo com esta força de segurança no sentido de identificar doações de equipamento (tais como coletes, tasers ou de outro tipo)?

2. Tendo em que esta autarquia todos os anos substitui equipamento informático será que este (estando em boas condições e se útil) poderia ser doado a esta esquadra da PSP?

Subscrevem
Paula Borges
Rodolfo Franco
Jorge Oliveira
Cláudia Casquilho
Ilda Cruz
Patrícia Matos Palma
Elvina Maria Reis Rosa
Cristina Azambuja
Gabriel Osório de Barros
Teresa Sarmento
Maria Teresa Rodrigues
Ana Benavente
Stela Correia
Rui M. Sousa
Zélia Pereira
Sofia Carvalho Coelho
Pedro Gaurim Fernandes
Anabela Nunes
Ana Costa
Gabriela Lago
Maria Cortez Caetano
Luisa Teresa
Ana Coelho
Maria Teresa Inglês Agostinho
Irene Coelho
Teresa Aroso
José Maia de Loureiro
Pedro Correia
Margarida Magalhães
Maria João Morgado
Leonilde Ferreira Viegas
Sandra João Borges
Ruy Redin
Teresa Lourenco
Susana Maria
Duarte Amado
Gonçalo Pousão
Antonio Sequeira
Luisa Castro Correia
Luis Barata
Mafalda Mendonca
Jorge Santos Silva
Manuela Bastos
Emanuel Genovevo Costa
Eduardo Duarte Coelho
Maria Helena Palhano
Fátima Apolinario Monteiro
Antonio Viegas
Rosário Puga
Joana Santos Patrocinio
Luiza Cadaval de Sousa
Diogo Santos
Márcia Salgueiro
Zélia Brito
Vanessa Correia Marques
Margarida Moreira
Bruno Beja Fonseca
Paula Mendes
Fernando Anjos
Fatima Aparicio
Maria Manuela Nobre
Rui Bras
Vítor Frade
Eugenia Maria Sobreiro
Isabel Tomás
Sofia Silva
Dulce Amaral
Rita Santos Vieira
Maria Jerónimo Costa Zita
Maria Luísa Lanita
Pedro Santos
Teresa Capela
Fatima Lammar
Valentina Crisostomo Teixeira
Marta Filipe
João Maria Vilar
Lezíria Couchinho
João Silva
Rui Martins
André Brandão de Almeida
João Pina
Maria Odete Morais
Ana Cortes
Rui Costa
Maria Bárbara
Manuel Amaral
Carolina Ferreira
Paola Guanca
Joao Girbal Girbal
Filipa Macedo
João Ferreira
Patrícia Garcia
Adélia Gaspar
Maria Helena Rino Moraes
Sílvia Caçador
Ticiana Labate Calcagniti
Rui Ferreira Lopes
Rita Agostinho de Sousa
Ana Castro
Rute Rodrigues
Jaime Correia Rêgo
Dhiana Paciência
Nitucha Jacques
Cristina Cardoso
Pedro Almeida
Anibal Santos
Luis Balão
Maria Teixeira
Rosa Branca Graça
Antonio De Carvalho
Luisa Valente
Rita Costa
Manuela Carvalho
Carlos Gonçalves
Maria Do Rosário Araújo
Maria Fernanda Ribeiro Lopes
Bia Cabral
Margarida Sousa E Silva
Helena Amaral
Sara Anjos
Manuel Góis
Isabel Correia
Paula M Martins Almeida
Elisabete Henriques
Pedro Alves
Ana Veiga
Maria João
Conceição Costa Coelho
Tomaz Alves Oliveira
Maria Jesus Pereira Gambino
Maria Joao Gouveia
Francisco Dias
Zita Rosado Costa
Soledade Veronica
Joana Durão
Ana Paula Pimenta
Leandro Monteiro
Maria Claro Ribeiro
Margarida Maria
Bruno Costa
Maria Gaspar
Isabel Tomas Rodrigo
Carlos Vida
Paulo Puga
Virginio António Briote
Nuno Duarte
Marina Daniela
Teresa Clara Durão
Fran Marques Cuiça
Ana Teresa Santos
Nuno Vicente
Andreia Sousa
Claudia Mendes
Carlos Correia
Telma Moreira
Catarina Coelho
Ana Freitas
Candida Pinto
Joana Ju
Graça Margarido Mick Greer
Tiago Medroa
Marta Ferreira
Susana Duarte Queiroz
António Carlos Teixeira Duarte
Filomena Melro
Ceu Maria Vieira
João Pedro Araújo
Tavi Meister
Catarina Coelho
Maria Dulce Sousa
Suzana Duarte
Teresa Martins
José Rocha
Paula Cardoso
Regina Vaz de Carvalho
Patricia Matos
Valter Martins
Ruben F. Cardoso
Margarida Agostinho
Catarina Marcelino
Ricardo Lima
Mariana Sá Couto
Flavia Cunha Lima
Marta Durão
Andreia Leiria
Pedro André
Francisco Beja da Costa
Sílvia Baptista
Alexandra André
Hugo Gregório
Sonia Adonis
Diogo Mendonça
Isabel Freitas
Susana De Brito Dias
Patricia Mamede
Vânia Sousa
Pedro Morgado
Joana Monteiro
Erika Bayan
Catarina Girão
Sandra Simas
Alexandra Lança de Morais
Miguel Guerreiro
Cristina Casaleiro
Isabel Martins
Cristiana Coelho
Cristina Inacio
Alexsandra Almeida
Tomás d’Almeida Lima
Ana Miguel Choupana
Rui Dias
Marisa Fortes
César Ramalho
Cláudia Cardoso
Carolina Rebelo
Teresa Alves
Diana Fernandes
Joana Rocha
Sandra Jacob
Francisco Barreto Caldeira
Manuela Carvalho
Cristina Salvador
Francisco Lerias
Rui Agostinho
Maria Concepcion
Carolina Mesquita
Amélia Marcos
Rui Martins
Lucilia Guimaraes
Ana Vicente
Elsa Portugal
Teresa Carrilho
Tuti Andrade Rocha
Paula Saragoça
Andreia Cunha Dias
Ana Azevedo
Tiago Durão
Susana Reis
Elsa Santos Alípio
Ana Paula Bárcia
Rita Luis
Gonçalo Leitão
Maria Ofélia Rodrigues
Maria Anabela Melo Egídio
Sofia Correia
Patrícia Lopes
Francisco Martins
Alexandra Costa
Vitória Pinheiro
Margarida Serra
Carla Camara
Filipa Duarte
Rita Costa
Cristina Gomes da Cunha
Mickael Gonçalves
Filipa Ramalho Rickens
Dora Santos Silva
Tiago Miranda
Soledade Maria Rodrigues
Eduardo Pires
Teresa Fonseca Sobral
Graça Aníbal
Joana Fernandes
Maria João Gouveia
Belicha Geraldes
Fátima Paiva
Carla Caló
Bárbara d’Azevedo
Mafalda Teixeira
Fernanda Maria Gouveia
Leonor Santa Bárbara
Mafalda Sequeira
Sofia Pimentel
Teresa Menezes
Ana Filipe
Rita Martinez
Rui Castelo
Cátia Pedro
Fernanda Cunha
Mariana Bettencourt
Cláudia Borges
Fernando Mora de Oliveira
Raquel Soares
Beatriz Afonso
Mafalda Alegria
Hélder Cotrim
Maria Helena Ferro
Diogo Campos Lopes
Célia Lopes
Andreia Andrés Forte
Nanda Ruaz
Ana Sofia Lobato
Gonçalo Vitorino
Luis Chastre
Paulo Almeida Fernandes
Luis Padinha
Rui Pedro Henriques
Inês Martinho
Inês Teixeira
Pedro Mendes Pinto
Susanna Pinto
Cristina Manuela Silva
Teresa Maria Braga Abecasis
Didi Ramos
Ines Guimaraes
João Colucas
Gil Salema da Costa
Tania M Cunha
Susana Carmona
Rui Martinho
Carla Carvalhal
Sofia Pereira
Ana Assunção
Ana Paula Costa
Goncalo Ramalho
Cristina Alexandre
Ana Filipa Gonçalves
Gerson Antunes Costa
Magda Bragança Rubio
Antonieta Soares Ribeiro
Rita Mathias
Maria Graça
Rui Pedro da Ponte
Porfírio Sampaio
Filipe Ruivo
Teresa Lume
Rita Dias Costa
João Firmino
Daniela Bonança
Nathalie Chatelain Antunes-Ferreira
Maria João Rico
Tania Silva Pinto
Andreia Gouveia
Carolina Nascimento
Catarina Caldas
Dinashvari Lacmane
Isabela Correia e Brito
Marisa Costa
Pedro Costa Pinto
Carlos De Sá Aparício
Rita Martins
Carla Marcedo
Sérgio Pereira
Beatriz Maia
Ines Nascimento
Vanessa Santos
Bernardo Horta E Costa
Nathalie Dos Santos Antunes
Andrea Guimarães
Marta Fonseca
Nuno Maldonado Tuna
Manel Barroca
Paula Veiga
Luis Rebordao Sampaio
Cristina Matos
Rita Martins Pereira
Ricardo Costa
Ricardo Chambel Esteves
Helder Miranda
Inês Costa
Bruno Silva
Maria Moura Fonseca
Maria Boavida
Liliana Costa
Marta Onofre
Filipe Brandão
Maria Conceição Pereira Figueiredo
Hugo Pereira
Miguel Bettencourt
Ivo Castro
Isabel Martins
João Machado
Andreia Vicente
Gonçalo Magalhães Carvalho
Maggie Jacinto
Sofia Pinheiro
Raquel Vieira
Pedro Chaves Ferreira
João Carvalho
Elisa Cluny Summavielle
Rogério Costa
Paulo Oliveira

Não ao fecho nocturno da Esquadra das Olaias e pela Construção de um Edifício Multiusos para Polícia, Bombeiros e INEM

Os subscritores apelam às autoridades no sentido de manter a esquadra Esquadra das Olaias sempre aberta no período nocturno (ao contrário do que acontece actualmente), e travarem o encerramento definitivo da 31ª Esquadra do Rêgo (que também serve o Areeiro) com o argumento da libertação de meios humanos. O argumento da libertação de meios humanos, que tem sido invocado nos últimos anos, não se tem materializado de forma perceptível para a população nem com disponibilidade para acudir a pedidos de ajuda, nem em patrulhamento de visibilidade.

Propomos igualmente a construção no Areeiro de uma infraestrutura piloto a nível nacional que reúna no mesmo espaço Polícia, Bombeiros e INEM, num edifício multiusos partilhado (com gabinetes, ginásio, salas de conferências, refeitório, biblioteca, camaratas, etc) que além de garantir um melhor e mais próximo serviço às populações crie também condições para a presença a longo prazo desses serviços na freguesia.

Também a este propósito:
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/2313177425661718/
http://vizinhosdoareeiro.org/proposta-de-avaliacao-da-mudanca-da-esquadra-das-olaias-para-a-afonso-costa/

Subscrevem:
Jorge Oliveira
Cláudia Casquilho
Ana Cardoso Santos
Ilda Cruz
Elvina Maria Reis Rosa
Cristina Azambuja
Stela Correia
Teresa Raposo
Anabela Nunes
Pedro Pinto
Ana Costa
Luisa Teresa
Maria Teresa Inglês Agostinho
Bruno Silva
Irene Coelho
Teresa Aroso
José Maia de Loureiro
Leonilde Ferreira Viegas
Ruy Redin
Teresa Lourenco
Susana Maria
Gonçalo Pousão
Antonio Sequeira
Luisa Castro Correia
Manuela Bastos
Nico Lion
Ana Martins da Cruz
Fernando Anjos
Fatima Aparicio
Maria Manuela Nobre
Eugenia Maria Sobreiro
Eduardo Pessoa Santos
Laurinda Hormigo
Ana Sampedro
Dulce Amaral
Maria Lurdes Domingos
Nilza Caeiro
Fatima Lammar
Marta Filipe
Lezíria Couchinho
Rui Martins
Manuel Amaral
Celestina Costa
Ana Castro
Teresa Sotto Mayor Carvalho
Joao Carlos
Maria Teixeira
Antonio De Carvalho
Isabel O. Sousa
Clara Ribeiro
Dalila Soares
Helena Amaral
Maria João Carmona
Aurora Pires
Isabel Correia
Paula M Martins Almeida
Soledade Veronica
Maria Claro Ribeiro
Maria Helena Simões
Lina Duran Neves
Margarida Granjo Dos Reis
Victor M Almeida
Marta Ferreira
Lígia Graça
Alexandra Marques
Lourdes Walk
Maria De Lurdes Machado
Manuela Melo
Nuno Silva
José Vieira Mesquita
Flavia Cunha Lima
Andreia Leiria
Pedro André
Nuno Domingos
Cláudia Maria
Amália Parente
Julieta Martins
Cristina Casaleiro
Isabel Martins
César Ramalho
Sandra Jacob
Maria Concepcion
Gonçalo Peres
Maria Ofélia Rodrigues
Múri Kraft
Olga Amorim
Maria Yañez
Fátima Silva
Fernanda Maria Gouveia
Angelica Guarda
Ana Paula Magalhaes
Manuel Barata Simões
Nanda Ruaz
Gonçalo Vitorino
Cristina Manuela Silva
Teresa Maria Braga Abecasis
Ines Guimaraes
Teresa Silva
Sílvia Regina DiMarzio
Fernando Nabais
Rui Pedro da Ponte
Mafalda Toscano Rico
Luis Manso
Muriel Pato
Pedro Costa Pinto
Ricardo Santos Nogueira
Paula Veiga
Cristina Matos
Inês Costa
Liliana Costa
Ivo Castro
Ines Pintado Maury


Proposta de avaliação da mudança da Esquadra das Olaias para a Afonso Costa

” Aproveitando a mudança das instalações do Centro de Saúde da Alameda para o edifício onde funcionam os Serviços Sociais da CML os subscritores da presente mensagem sugerem ao executivo camarário que avalie igualmente – em consonância com todas as autoridades competentes – a transferência da Esquadra das PSP das Olaias (12ª Esquadra) a partir das instalações de reduzidas dimensões e em más condições onde actualmente funciona na Rua Américo Durão. “

Subscrevem:

Rodolfo Franco
Jorge Oliveira
Patrícia Matos Palma
Gabriel Osório de Barros
Teresa Sarmento
Stela Correia
Teresa Raposo
Emilio Santos Pinto
Anabela Nunes
Pedro Pinto
Ana Costa
Irene Coelho
Elisabete Carvalho
Tito Ferreira de Carvalho
Maria João Morgado
Mariana Tavares
Antonio Viegas
Anabela Gouveia
Carlos Matias
Bruno Beja Fonseca
Fatima Aparicio
Manel Rico
Eduardo Pessoa Santos
Ana Sampedro
Dulce Amaral
Belicha Geraldes
Isabel Casquilho
Catarina Rebelo
José Vieira Mesquita
Rita Costa
Rui Martins
Maria Mar
Manuela Manon
Maria São
Heitor Pereira
Maria Jerónimo Costa Zita
Maria Lurdes Domingos
Ana Castro
Manuel Reinhardt
Carlos Alberto Vieira
Rute Rodrigues
Paula Mendes
Nitucha Jacques
Ana Paula Dias
Cristina Milagre
Estela Gaspar
Laurinda Hormigo
Lezíria Couchinho
Helena Amaral
Rui Fragoso
Bruno Silva
Maria Adelaide Nogueira
Amélia Maria Ribeiro
Alda Duarte Frias
Sara Piloto
Conceicao Vasconcelos
Lidia Monteiro
Teresa Capela
Candida Pinto
Margarida Granjo Dos Reis
Eugenia Maria Sobreiro
Maria Cristina Lacerda
Maria De Lurdes Machado
Paulo Silva
Pedro Dias
Nuno Henriques
Margarida Agostinho
Pedro André
Isabel Freitas
José Maia de Loureiro
Cláudia Maria
Celia Silva
Joana Santos Patrocinio
Celina Gil
Paula Saragoça
Ana Amaro Fernandes
David Gaivoto
Maria Duarte Silva
Sofia Correia
Alexandra Costa
Leonilde Ferreira Viegas
Cristina Gomes da Cunha
Carmen Domingues
José Biu
Jorge Almeida
Rita Correia
Gonçalo Vitorino
Luis Padinha
Antonieta Soares Ribeiro
Gonçalo Pousão
Miguel Peixoto
Rui Pedro da Ponte
Antonio Sequeira
Joana Simões Henriques
Rita Martins
Sofia Silva
Tiago Machado
Nathalie Dos Santos Antunes
Nuno Maldonado Tuna
Emanuel Genovevo Costa
Vítor Frade
Helder Miranda
Pedro de Sebastião
Marta Onofre
Ruy Redin
Diogo Santos
Sofia Pinheiro
Ana Martins

Carta Aberta à Iberdrola Portugal


Na sequência de várias campanhas de promoção dos vossos produtos que, através do método de venda directa, têm sido levadas a cabo com deslocações não-solicitadas “porta-a-porta”, vimos por este meio expor o seguinte:

  1. Os vossos colaboradores não utilizam identificação visível e imediatamente reconhecível como associada à vossa empresa
  2. É habitual introduzirem-se dentro dos prédios e patamares, gritando ambiguidades como “Electricidade!”, o que não clarifica desde o início o intuito promocional do apelo
  3. Pedem frequentemente informações de forma encapotada, utilizando tácticas que parecem visar em especial os cidadãos mais crédulos, entre as quais julgamos serem dignas de atenção da vossa parte:
    1. Sugerir que pretendem efectuar uma “redução” ou “verificação da factura”
    2. Solicitar dados pessoais sobre o agregado familiar e hipotéticos consumos energéticos
    3. Requisitar a visualização de facturas anteriores respeitantes ao serviço de electricidade
    4. Não clarificar que a aceitação de qualquer uma das alterações sugeridas pressupõe a mudança de contrato e de empresa de comercialização de energia
  4. Ao contrário de outras empresas e entidades que também levam a cabo acções “porta-a-porta”, nenhum dos vossos colaboradores se identifica imediatamente como representando a vossa empresa – prática que só encontra paralelo em acções com propósitos fraudulentos/criminais.

Assim, e considerando que

  • esta circunstância se arrasta há anos
  • os vossos colaboradores não se têm mostrado cooperantes para alterar este tipo de prática
  • o comércio “porta-a-porta” implica grande responsabilidade, pelos riscos e considerações que lhe são inerentes

Vêm os abaixo-assinados solicitar que a vossa empresa dê resposta a esta situação, visto que esta circunstância em nada contribui para o bom-nome da mesma, dá uma imagem de irresponsabilidade social, emula o comportamento habitualmente ligado a associações de pendor questionável e representa riscos vários, nomeadamente para os cidadãos mais vulneráveis.Propomos que seja criado um número de telefone e um endereço de e-mail para onde se possa prontamente denunciar esta actuação e que seja feito um esforço, na vossa empresa, para que os vossos colaboradores compreendam que este tipo de prática não é socialmente, eticamente nem comercialmente aceitável; ou que sejam alteradas as orientações superiores existentes – caso seja daí que derivam estas práticas – que os vossos colabores têm sido incentivados a seguir, porventura por não se poderem dar ao luxo de pôr em causa o seu posto de trabalho.Subscrevem esta carta-aberta os abaixo-assinados, da qual será entregue cópia à Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos e ao Ministério do Ambiente e Transição Energética.”

(fotografia: https://lojaluz.com/fornecedores/iberdrola/opinioes)