“VIZINHOS DO AREEIRO QUEREM ENTREGAS AO DOMICÍLIO” [Olhares de Lisboa]

“Um grupo de cidadãos do Areeiro decidiu pedir apoio à Junta de Freguesia para se implementar um sistema de entregas ao domicílio que evita a deslocação dos residentes a lojas, mercearias e supermercados.Como forma de minimizar os riscos de contágio do Covid-19, os «Vizinhos do Areeiro» querem evitar a deslocação dos residentes aos estabelecimentos comerciais e, por isso, propõem à Junta de Freguesia que ajude a «organizar e implementar um sistema de entregas ao domicílio que possa ser utilizado pelo comércio local do Areeiro».

Segundo esse grupo de cidadãos, este apoio poderá «ajudar a manter os laços comerciais de vizinhança, a prestar um serviço útil a todos e a mitigar algum do prejuízo que esta situação irá criar».

Os «Vizinhos do Areeiro» salientam que, «neste contexto especial da pandemia Covid-19», deveriam ser tomadas medidas que também defendam o comércio local. Assim, enquanto moradores, os Vizinhos do Areeiro querem «ter Comércio Local porque o Comércio Local representa vida, alternativas, emprego e desenvolvimento para a economia local».

Desta forma, esse grupo de cidadãos propõem que «o IMI em lojas vazias há mais de 1 ano seja agravado por forma a estimular o seu regresso ao mercado e pelo aumento da oferta pressionar os preços» e que o IRS de lojas arrendadas a longa duração (mais de 3 anos) seja reduzido.

Por outro lado, esses cidadãos pretendem que sejam anuladas as taxas pagas por comerciantes à Câmara de Lisboa e à Junta de Freguesia.

Mais de Vizinhos do Areeiro: 

Se tiver algum dos sintomas ou se encontrar num grupo de risco https://covid19.min-saude.pt/ e se precisar que alguém lhe leve algo a casa:
Envie mensagem privada para 
https://www.facebook.com/Vizinhos.do.Areeiro/
e um Vizinho do Areeiro irá em sua ajuda!

Senhor comerciante:

Tem um serviço de entregas ao domicílio?
Envie mensagem para 
https://www.facebook.com/Vizinhos.do.Areeiro/ para que o mesmo seja adicionado a
https://www.facebook.com/notes/vizinhos-do-areeiro/com%C3%A9rcio-do-areeiro-com-entregas-ao-domic%C3%ADlio/2401687910144002/

https://olharesdelisboa.pt/vizinhos-do-areeiro-querem-entregas-ao-domicilio/

“Estudante de Gondomar oferece ajuda a idosos nas compras. E não é o único Vizinhos estão a oferecer-se para ajudar os mais idosos durante o período de quarentena” [Diário de Notícias]

“Um estudante universitário de Gondomar disponibilizou-se para fazer as compras de supermercado, gratuitamente, a quem necessitar durante o período de quarentena provocada pela covid-19 depois de se ter colocado “no lugar da avó, octogenária, e constatado as dificuldades”.

Francisco Teixeira tem 20 anos, frequenta o terceiro ano da licenciatura de Gestão de Marketing no Instituto Português de Administração de Marketing (IPAM) do Porto e, relatou à agência Lusa, apesar de remetido a “quarentena obrigatória” quer ajudar as pessoas mais necessitadas.

“Meti-me no lugar da minha avó, que é octogenária, vive sozinha e, como tantos outros, precisa que a ajudem e pensei que o poderia fazer, sem problema nenhum”, contou o jovem residente em Baguim do Monte, no concelho de Gondomar.

O passo seguinte, disse, foi na sexta-feira à noite colocar um anúncio nas redes sociais Facebook e Instagram com a seguinte mensagem: “Disponibilizo-me gratuitamente a ir ao supermercado e entregar em casa bens essenciais durante o período de quarentena a todos aqueles que não tenham essa possibilidade”, texto depois afixado “à porta do prédio” onde reside e onde “também habitam pessoas idosas”.

“É também meu objetivo que isto possa ter um efeito catalisador e que mais pessoas o façam, pois há muitas pessoas a precisar de ajuda e nós podemos fazê-lo”, disse.

Não é caso único

O caso de Francisco Teixeira não é único. O humorista Luís Filipe Borges partilhou no Instagram a mensagem que uma vizinha, Inês, colou à entrada do prédio.

“Tendo em conta a situação complicada que todos vivemos, aos vizinhos que, pela idade, ou complicações de saúde, estejam neste momento com receio de se deslocarem à rua, disponibilizo-me para ajudar com coisas simples como ir ao supermercado ou à farmácia, ou outra necessidade que considerem mesmo importante”, escreveu na nota. “Ninguém é uma ilha”, acrescentou.

No Facebook, Bruno Freitas partilhou a mesma informação que colocou no seu prédio, sendo que já foi partilhada mais de 1300 vezes.

Marta Cerqueira partilhou também no grupo de Vizinhos do Areeiro, no Facebook, o aviso que afixou no seu prédio, com várias pessoas a comentar que iriam seguir o seu exemplo.”

https://www.dn.pt/pais/estudante-de-gondomar-oferece-ajuda-a-idosos-nas-compras-e-nao-e-o-unico-11930073.html

“HOSPITAL SÃO JOSÉ PRECISA DE CADEIRAS” (Olhares de Lisboa)

Por incrível que pareça, o Hospital São José, em Lisboa, precisa de cadeiras para as pessoas que visitam os doentes internados. Para colmatar essa falha, os Vizinhos de Lisboa avançaram com uma campanha para angariação desse equipamento.

O Núcleo do Areeiro da Associação Vizinhos de Lisboa lançou uma campanha de angariação de cadeiras para o Hospital São José, apelando aos lisboetas que os «ajudem a colmatar essa falha detetada nessa unidade hospitalar».

Os Vizinhos de Lisboa recordam que, «o hospital que serve, por zona e proximidade, o Areeiro é o Hospital de S. José», salientando que, para além de várias carências que se registam neste hospital há uma em particular que os Vizinhos do Areeiro podem ajudar a suprir pela sua simplicidade e utilidade: faltam cadeiras para as visitas aos internados neste hospital».

No entanto, por razões de segurança e higiene, nem todas as cadeiras servem. Por isso, os Vizinhos de Lisboa querem uma cadeira especifica (ver foto) que corresponda às necessidades deste hospital central de Lisboa. Assim, quem queira doar ou comprar cadeiras deste tipo deve informar a sua disponibilidade através da caixa do mail para geral@vizinhosdoareeiro.org

https://olharesdelisboa.pt/hospital-sao-jose-precisa-de-cadeiras/

Partilhar isto:

“Moradores do Areeiro preocupados com vaga de assaltos e vandalismo” [Público]

Moradores do Areeiro preocupados com vaga de assaltos e vandalismo
Na passada quinta-feira foi detido um homem de 31 anos suspeito de ter levado a cabo sete furtos em estabelecimentos das freguesias dos Anjos, Alvalade, Arroios e Areeiro. Moradores pedem mais policiamento, sobretudo a pé e à noite.

Cristiana Faria Moreira e Xavier Costa 13 de Janeiro de 2020, 20:17

Nos primeiros dias de Janeiro, na Avenida Sacadura Cabral, foram assaltados um restaurante, uma loja de antiguidades e um café e foi vandalizado um carro. Na Rua Egas Moniz, uma loja foi assaltada durante a noite.

ler mais
https://www.publico.pt/2020/01/13/local/noticia/moradores-areeiro-preocupados-vaga-assaltos-vandalismo-1900202

Vaga de Insegurança no Areeiro

https://sicnoticias.pt/pais/2020-01-16-Assaltos-e-episodios-de-vandalismo-cada-vez-mais-frequentes-no-Areeiro-Lisboa

https://www.rtp.pt/play/p5286/e439787/portugal-em-direto/784299

https://www.tsf.pt/portugal/sociedade/psp-de-lisboa-nao-responde-ha-dois-anos-a-oferta-de-veiculo-da-junta-do-areeiro-11713133.html?fbclid=IwAR1SuUIu6XZ8jvY2K3uSK9KWULYirP7uEAFpLrNtVZC3URDZEkMBuGrb50U

“Em exibição nas montras do Areeiro: “Por favor, apanhe o cocó do seu cão” [Sol]

“Uma criança de sete anos, que vive em Lisboa, decidiu lançar um alerta, na sua área de residência, no combate à sujidade das ruas. Carolina desenhou um cocó, um cão e uma mulher com um saco na mão numa simples folha de papel, de forma a exemplificar que esta iria apanhar as necessidades do animal. No desenho, pode ler-se o alerta: “Por favor, apanhe o cocó do seu cão”.

De forma a consciencializar os donos dos animais que vivem na sua área de residência, a criança e os pais dirigiram-se à Junta de Freguesia do Areeiro para deixar o primeiro desenho.

No Facebook, o pai explicou como tudo o ‘projeto’ ganhou vida pelas ruas da zona. “Lançou o desafio aos pais, tirámos fotocópias e, com a ajuda da irmã de 5 anos e a preciosa colaboração dos donos de muitas lojas, temos afixado o ‘cartaz’ em algumas montras da freguesia do Areeiro”, escreveu.

Paulo Farinha explicou ainda que, apesar de não saber se os ‘cartazes’ terão efeito nas ruas, espera que a ideia inspire as pessoas. “Se quiserem desenhar outros ou sugerir aos vossos filhos e netos que o façam, fica a ideia”, explicou na página Vizinhos do Areeiro.”

https://sol.sapo.pt/artigo/682172/em-exibicao-nas-montras-do-areeiro-por-favor-apanhe-o-coco-do-seu-cao