Lixo (garrafas e copos de plástico) no Jardim dos Cavaleiros (CGD: Bairro do Arco do Cego): Desenvolvimentos

20171118_183914

Alguns comentários e correcções ao Artigo “Consumo de álcool na rua e ajuntamentos estão a irritar vizinhança no Arco do Cego” de Samuel Alemão, no “O Corvo”
1. É de saudar a reportagem que vem chamar a atenção para um problema que, devido à insalubridade e ruído que provoca quase todos os dias nos prédios contíguos das freguesias das Avenidas Novas, merece maior destaque do que aquele que tem recebido da comunicação social.
2. O texto do Abaixo-Assinado (que pode ser lido em https://vizinhosdoareeiro.wordpress.com/2017/11/18/abaixo-assinado-de-moradores-sobre-jardim-dos-cavaleiros-anfiteatro-exterior-da-sede-da-cgd/ foi redigido por moradores dos colectivos Vizinhos das Avenidas Novas e Vizinhos do Areeiro.
3. Na recolha de assinaturas, realizada porta-a-porta, participaram elementos destes dois colectivos de moradores e apenas destes.
4. Um destes moradores entregou, na Sessão da AML sobre Segurança e Ruído, no passado dia 5 de Dezembro, em mãos à Presidente da AML Helena Roseta este abaixo-assinado.
5. Em consequência ao Abaixo-Assinado a CGD já reforçou muito a limpeza regular do Jardim dos Cavaleiros.
6. O fecho do Oh Pereira às 23:00 (por confirmar) resulta, também, da iniciativa destes dois colectivos de Vizinhos não da iniciativa do proprietário.
7. Ao contrário do que se diz não foram “os protestos de moradores” que levaram há 2 anos ao encerramento, mas problemas de outro foro com o anterior proprietário.
8. Ao contrário do que é citado não vislumbramos “consciência com os níveis de ruído” por parte do proprietário, muito pelo contrário, conforme comprovámos falando com vários moradores dos prédios em redor durante a recolha de assinaturas para o Abaixo-Assinado.
9. Discordamos da afirmação do Presidente da Junta de Freguesia do Areeiro “Todos, enquanto jovens, gostávamos de nos divertir e beber uns copos”: nem todos os fizemos nem fazemos, nem essa é, aliás, a raíz do problema mas os comportamentos pouco civícos que decorrem dessa actividade na via púbica.
10. Saudamos o pedido feito pela Junta à CML: “Fernando Braancamp Freire propôs à Câmara Municipal de Lisboa uma redução de ambos os comércios, “para que não aconteça aquilo que tem vindo suceder, que é fazer-se do espaço público o prolongamento dos estabelecimentos”.
11. Quando o gerente do Oh Pereira garante que “Fazemos questão de apanhar os copos de plástico que ficam no chão e de limpar o espaço público em redor da nossa casa” garante mal… Basta passar pelo Jardim dos Cavaleios (CGD) para ver, pela quantidade de copos de plástico (que nos arredores apenas este estabelecimento disponibiliza), que não é isso que acontece.

12. Diz ainda o gerente, sem direito de resposta, que os colectivos de moradores das Avenidas Novas e Areeiro tiveram “duplicidade de avaliação estender-se-á também à forma como o grupo de cidadãos que apresentou a petição olha para a realidade: “Acho que exageram manifestamente. Se virem uma saco do McDonald’s no chão, acham que a culpa é do cliente, mas se virem copos de plástico aqui na zona a culpa já é nossa”. Os copos de plástico não são da GALP. As garrafas de vidro, são. O Abaixo-Assinado (que o gerente leu) menciona as duas entidades, par a par, sem excluir nenhuma. Mas deixa claro quem fornece os copos de plástico que, todas as noites são abandonados no chão e no jardim às centenas: o Oh Pereira. Este mesmo gerente não responde nem comenta nenhuma das propostas construtivas que os moradores deixaram. O que é de destacar.

Nota:
Esta foi uma iniciativa conjunta dos
https://www.facebook.com/groups/vizinhos.das.avenidas.novas/
e dos
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/

Em suma e para já:
1. A CGD está a limpar com maior frequência o jardim
2. O Oh Pereira vai fechar às 23:00
3. O abaixo-assinado baixou a uma comissão da Assembleia Municipal de Lisboa:
http://www.am-lisboa.pt/401500/1/008489,000383/index.htm

Actualização de 04.01.2018
Informação deixada pelo Oh Pereira na Página dos “Vizinhos do Areeiro”:
“Tiago Pereira Como gerente do Oh Pereira tenho a responder o seguinte.

Sobre o ponto 6.
Vamos encerrar as 23h de segunda a quinta.
Sexta, sábado e vésperas de feriado vamos continuar a encerrar as 24h.
Esta situação foi acordada entre nós e a CML através do assessor do senhor Duarte Cordeiro. Até agora, a única pessoa que veio até nós.”

Actualização de 15.01.2018
PARTICIPAÇÃO DO CIDADÃO

Petição 18/2017 – “Jardim dos Cavaleiros (Anfiteatro Exterior da sede da CGD”
06-12-2017

Entrada: 6 de Dezembro de 2017
Subscritores: 65 peticionários
Promotor: Moradores do Areeiro e Avenida Novas
Encaminhamento: baixou à 8ªCP com prazo de parecer até ao final de Janeiro”

 

Conselhos da PSP para a época natalícia

Screen Shot 08-18-17 at 01.27 PM

se é comerciante evite acumular grandes quantias na caixa retirando o dinheiro várias vezes ao dia para um local seguro

evite deixar as suas compras à vista no interior da sua viatura

não traga na carteira grandes somas e reparta o dinheiro por vários bolsos

quando se ausentar da sua residência verifique e feche bem as portas e janelas. Se o seu prédio está em obras e estão instalados andaimes então redobre esses cuidados.

Se for de férias e se ausentar da sua residência informe o seu vizinhos ou outra pessoa da sua confiança e peça-lhe que abra regularmente as peruanas e cortinas durante o dia e que ligue a iluminação interior à noite.

Não divulgue a estranhos que vai de férias e não deixe acumular a correspondência na sua caixa de correio pedindo a alguém que a vá recolher

guarde em lugar seguro as jóias, dinheiro e objectos de arte e os seus números de série

a instalacão de um alarme contra instrusao pode aumentar a sua segurança. Se o instalar informe a esquadra da PSP

não divulgue nas redes sociais nem publique fotografias que denunciam que se encontra fora de casa

quando atender o telefone não facilite dados pessoais e nunca diga que está sozinho em casa

na caixa Unibanco habitue-se a fazer os levantamentos durante o dia e em caixas automáticas em locais movimentados.

Intervenção na Assembleia Municipal de Lisboa no Debate sobre “Segurança e Vida Nocturna”

24825800_1755390787846863_805515695_o

Breve intervenção, hoje, na Assembleia Municipal de Lisboa, referindo alguns dos temas que aqui, nos Vizinhos do Areeiro mais têm surgido:
 
1. O Areeiro não é o foco, felizmente, da insegurança em Lisboa mas tem problemas:
1a. Um aumento recente de assaltos a casas (desde Outubro) e de furtos a bicicletas e a peças de bicicletas
1b. Vandalismo gratuito ligado ao consumo de álcool na via pública
1c. É preciso qualificar zonas como a parte superior da Fonte Luminosa e responder a este novo fenómeno do consumo de álcool em jardins e praças públicas (note-se que, apesar disso, existe um factor positivo na dinamização e ocupação desses locais que não pode ser desprezado)
 
2. A percepção de insegurança é também provocada
2a. pela presença de comunidades nómadas (romenas): um problema de solução difícil mas que merece melhor foco das autoridades
2b. Pelo aumento do número de tags: Neste respeito é importante limpar em menos de 24H mecanismo que tem dado bons resultados nos EUA
 
3. Meios PSP
3a. Multiplicam-se as notícias de faltas de meios humanos e materiais (viaturas). Há também relatos de os agentes demorarem mais de uma hora a chegarem às ocorrências e alguma confusão quanto à área que abrangem as duas esquadras que servem esta freguesia.
3b. Reiterámos o pedido que, em subscrição pública, já fizemos para o reforço do policiamento a pé da Polícia Municipal por forma a colmatar essa eventual falta de meios da PSP e a criar assim (são competências diferentes) um novo sentido de segurança na população.

Varandas e Beirais em Risco de Queda no Areeiro [Resolvido]

Screen Shot 10-05-17 at 09.25 PM

Consulte em
https://www.facebook.com/notes/vizinhos-do-areeiro/varandas-e-beirais-em-risco-de-queda-no-areeiro/1842895026023296/
Enviada à CML, Polícia Municipal, Assembleia Municipal de Lisboa e Junta de Freguesia do Areeiro a 24.11.2017

Actualização de 11.12.2017:
Em processamento pelo Serviço Municipal de Protecção Civil e pelo Regimento de Sapadores Bombeiros
Nota: Todos estes prédios são, ao que parece, de propriedade privada (com excepção dos sitos no Bairro da GNR)

Comunidade nómada na zona entre a Rua Manuel Gouveia e a Margarida de Abreu (por detrás da Gago Coutinho) – Areeiro

Screen Shot 10-27-17 at 11.46 AM

Os subscritores pedem a intervenção da CML, RSB e da Junta de Freguesia na zona entre a Rua Manuel Gouveia e a Margarida de Abreu (por detrás da Gago Coutinho). Esta zona, onde deveria ser construído um parque de estacionamento (cujas obras, entretanto, pararam), é local de permanência de um grupo de migrantes dos Balcãs.
No concreto, os moradores pedem que se:
1. limpe o local dos numerosos detritos entre a mata e os passeios públicos
2. removam os contentores com rodas que (únicos na freguesia) que aqui estão e que servem de ponto de “abastecimento” a esta comunidade
3. instalem novos candeeiros na Rua Manuel Gouveia
4. garanta que os candeeiros da Margarida Abreu estão sempre ligados (há dias em que não estão)
5. remova todo o matagal e ervas altas que existem neste local dando apoio a esta colónia e cobertura a inúmeras concentrações de detritos e dejectos humanos.
6. removam os tags nas paredes destes arruamentos.
7. resolva o facto de todos os dias se fazerem aqui fogueiras com risco de propagação aos matos, propriedades e veículos estacionados aqui perto.
8. verifique uma intervenção de técnicos de serviço social da CML e da JFA junto da comunidade referida
9. seja instalado nesta zona um abrigo para animais (gatídeos) que está aprovado pela CML há mais de um ano

Subscrevem 52 moradores
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/1838075116505287/

Actualização
“Registamos um aumento do nº de Sem Abrigo nas ruas, aqui, no Areeiro. Há uma duplicação e, por vezes, uma triplicação. Algo se está a passar. Dizem-me que poderá ter sido o facto de terem sido expulsos da Gare do Oriente. Será isso? Será também uma consequência do aumento dos preços das rendas? Queremos saber o que pensa a CML deste assunto e se é verdade se está a acontecer alguma coisa no número de Sem Abrigo na cidade”

“Os nómadas da rua Margarida de Abreu: junto ao parque de estacionamento que será construído perto da Gago Coutinho vive um grupo nómada que faz ali fogueiras junto às casas e no meio do descampado, a CML e a Junta fazem o que podem em limpeza mas  há ali um problema (…) há algum plano para lidar com esta situação?”

Vizinho do Areeiro Rui Martins

“Há uma grande mobilidade desta população nómada dentro da cidade. E alguns dos fenómenos relacionam-se com deslocações do Parque das Nações (…) está relativamente estabilizado nos úlitmos meses: de maio para janeiro 2018 temos cerca de 250 pessoas. Houve uma redução nos últimos dois anos mas é um número que nos continua a preocupar bastante. Temos um plano municipal para responder às pessoas de situação sem abrigo e que tem uma resposa de curto prazo, de emergência ao nível dos centros de acolhimento. Primeiro ao nível de equipas de rua que são de várias organizações e da própria CML que tem uma destas equipas (…) temos que intervir para mejprar as condições e capacidade dos centros de acolhimento (…) temos um programa que é o “Casas Primeiro” que está a trabalhar já com 80 casas e vamos acrescentar mais 50 nos próximos 2 meses” (…) “depois temos de partir para as outras questões, de saúde mental, de dependências, de emprego. O núcleo de apoio a pessoas Sem Abrigo da CML tem referenciadas os locais que referiu, sobretudo, na zona da Bomba da BP. Na noite de ontem estiveram no local e identificaram 4 cidadãos romenos.” 1:07:50

Vereador Ricardo Robles

Reunião Descentralizada da CML de 07.03.2018

https://www.youtube.com/watch?v=5sr7cjhNHZM

Pedido de Disponibilização do Plano de Emergência para o Areeiro [Resposta Incompleta]

Screen Shot 10-20-17 at 09.51 AM

Enviada ao Executivo da Junta de Freguesia do Areeiro:
“Venho por este meio requerer a publicação do Plano de Emergência do Areeiro (com excepção dos Contactos que são, por essência, confidenciais) que não pode ser encontrado em nenhum lugar do site da Junta.
Questiono também se o Plano já foi actualizado por forma a incorporar o território da antiga freguesia de São João e se
a Junta tenciona realizar acções de formação a voluntários (agentes locais) durante o mês de Novembro.
Requiro esta informação no prazo legal de 10 dias no âmbito do art. 61 do CPA”
Resposta (incompleta) de 06.11.2017:
“Em referência ao assunto em epígrafe, encarrega-me o Senhor Presidente da Junta de Freguesia do Areeiro, de informar que estamos em fase de reuniões com a Protecção civil para o novo Plano de Emergência.”
(pedimos a conclusão da resposta)

Sugestões para o Plano de Emergência do Areeiro

Screen Shot 10-20-17 at 09.51 AM

Os subscritores apelam à Junta de Freguesia do Areeiro que reforce a preparação do território na área da Protecção Civil e, em particular, desenvolvendo e divulgando o Plano de Emergência Local (idêntico aos que existem em freguesias vizinhas) agilizando a resposta a catástrofes e que incorpore um forte componente de voluntariado e educação cívica e colocando os membros da comunidade local como os primeiros agentes de socorro.
Sugerimos que:
1. Este colectivo de voluntários seja dividido em grupos especializados de Operações, Logística e Comunicações e incorporar moradores e trabalhadores no Areeiro enquadrando-os consoante as suas competências e características pessoais.
2. Estes grupos poderão ser responsáveis pela distribuição de alimentos e apoio logístico de primeira necessidade, prestação de informações de emergência à comunidade e promoverão a segurança de pessoas e bens, sempre sob a coordenação de um responsável indicado pela autarquia.
3. O grupo de Logística pode ser também responsável pela reunião de apoios e transporte dos mesmos até locais onde ocorram situações de emergência (p.ex. incêndios florestais)
4. Que se reforce (muito) a amplitude deste plano (a existir) e, sobretudo, a sua divulgação.
Os subscritores apelam a que esta proposta seja acolhida, completa ou adaptada, com a maior brevidade possível”

Subscrevem:
70 moradores
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/1835014773477988

Alerta de Segurança: Bairro dos Actores

transferir (1)

“Rapaz com bom aspecto, alto, cabelo loiro/branco espetado de bloco e algo mais na mão observava prédios e campainhas dos mesmos (o meu e o do lado). Não era de nenhum serviço nem estava a fazer contagens. Quando regresso pouco tempo depois uma campainha do meu prédio estava marcada com uma X. Fiquei alerta!
Cerca de 2 horas mais tarde duas mulheres de etnia cigana tocam em todas as campainhas do prédio. Alguém abre pensando ser o senhor do correio. Como estava em alerta surpreendo-as nas escadas. Pergunto o que querem! Ficam atrapalhadas. Perguntam por alguém que não mora ali para disfarçar. Acabam por sair à pressa no carro estacionado mesmo à porta do prédio. O carro tinha um homem ao volante que nunca saiu. Chamada a policia referem que tivemos muita sorte. Estavam com este modus operandi a preparar assalto com toda a certeza. Não esperavam ser surpreendidas.
Nunca abram a porta do prédio sem saberem quem é e muita atenção a marcas nas campainhas. Não é mito. É mesmo uma forma de comunicarem que casas podem ou não ser assaltadas”
(enviado por morador)

Apelo à intervenção da CML, PSP e Polícia Municipal no Jardim da CGD (Rua do Arco do Cego) – Oh Pereira e Bomba Galp [Actualização]

Screen Shot 10-11-17 at 01.23 PM

Multiplicam-se os fenómenos de baixo civismo na Rua do Arco do Cego, perto do Jardim da CGD: Todas as noites e, especialmente ao fim-de-semana, centenas de clientes da “Casa de Pasto” Oh Pereira” e da Bomba da Galp deixam copos de plástico, garrafas de cerveja e latas de alumínio às centenas nos espaços verdes em frente (já na Freguesia do Areeiro). Assim sendo e porque a situação se arrasta há meses sem qualquer sinal de melhoria apesar de repetidos contactos com a CML, Polícia Municipal e proprietários os Subscritores desta mensagem à CML pedem a esta que:
1. Instale no Jardim da CGD duas das novas papeleiras de 120 L no lugar das de menor capacidade
2. Que os proprietários da Bomba da Galp e do Oh Pereira sejam convidados pela CML a participarem, de manhã e ao abrirem as portas na remoção do lixo proveniente da sua actividade no jardim em frente
3. Que a CML avalie a instalação, neste jardim, de protecções aos muros, como aquelas que foram instaladas no Jardim do Arco do Cego
4. Que a CML reveja a capacidade para venda de álcool da Bomba da Galp
5. Que a Polícia Municipal reforce a sua actividade de fiscalização neste local [alterado]
6. Que a PSP e Polícia Municipal estejam atentas às situações de excesso de ruído e de manobras anómalas (especialmente com motas e motociclos) nas ruas perto deste local) [novo]
Que a autarquia avalie uma alteração (em último recurso) dos horários de fecho da Oh Pereira (24:00) e do sector de retalho da Bomba da Galp (23:45)

Subscrevem:
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/1832238590422273/

Actualização de 13.10.2017
Primeira resposta da CGD:
Quanto à sujidade no Jardim da CGD (onde estão os 12 Cavaleiros): “A Caixa Geral de Depósitos e a Culturgest neste caso somos também lesados. Já notificámos o nosso Gabinete de Segurança para avaliar a situação.”

Actualização de 05.01.2017
Quanto à possibilidade da instalação de contentores especializados de recolha de plástico responde a CML:
“As pessoas usavam as tampas das papeleiras como mesas e quando retiramos as tampas, passaram a mandar os copos para o chão na mesma, ficando as papeleiras vazias ou com outro tipo de resíduos”

Actualização de 16.01.2018

Enviada à CML:
“Rua do Arco do Cego, frente ao jardim dos cavaleiros na sede da CGD: todas as noites de sextas, sábado e domingo, centenas de jovens estão aqui com copos de cerveja comprados no Oh Pereira e garrafas compradas na bomba da Galp fazendo barulho, acrobacias de moto, consumindo álcool no jardim, deixando centenas de copos e garrafas no chão e no jardim e urinando no monumento (o cheiro a urina podre é aqui constante).”

Resposta da CML:
“Com referência ao assunto no ponto 10, cumpre informar que para o estabelecimento comercial denominado “Oh Pereira”, sita na Rua do Arco do Cego, n.º 59, corre termos nesta divisão um processo de restrição definitiva de horário de funcionamento.
O processo encontra-se na fase de elaboração de relatório final e respetiva proposta de decisão,  encontrando-se a ser ponderada a seguinte restrição de horário de funcionamento: De domingo a quinta-feira – encerramento às 23:00h;  Sextas-feiras, Sábados e vésperas de feriados às 24:00h.
Prevê-se a elaboração do relatório final ainda durante a 1ª quinzena de janeiro.”

Actualização 07.03.2018

“Fizemos também um Abaixo Assinado contra a situação decorrente da actividade da casa de pasto Oh Pereira, até mais sobre a Bomba da Galp. Tinha a ver com o consumo de álcool na via pública e que é um problema que não é só do Areeiro mas de toda a cidade. É algo que provoca ruído nocturno, dejectos, resíduos urbanos, copos de plástico. A CML não tem poderes para intervir a 100% nesta área mas algo tem que ser feito. As queixas sobre o que passa ali são numerosas e é algo chocante ver que aquele estabelecimento se orientou para a rua: tudo o que eles têm é para a rua, para os clientes que consomem na rua. Neste momento há uma colonização privada do espaço público”

Vizinho do Areeiro Rui Martins

“Em relação ao Oh Pereira: nós estivemos atentos, reduzimos o horário. A única coisa que temos eventualmente a possibilidade de fazer é a limitação da venda para fora (…) não podemos limitar o consumo do alcool na via pública e há ali uma mistura de factores (…) podemos ir mais além. Há um conjunto de medidas de restrição que podemos agravar foi um pouco o que aconteceu no Arco do Cego (…) devemos defender a limitação e eliminação dos copos descartáveis. É uma matéria que nós, CML, devemos avançar para o Legislador. Só aí teríamos um enorme contributo para aquilo que é a sujidade criada por este tipo de estabelecimentos” 1:00:50

Vice-Presidente Duarte Cordeiro
Reunião Descentralizada da CML de 07.03.2018

https://www.youtube.com/watch?v=5sr7cjhNHZM

Actualização 20.03.2018
"Agendada: 20 de Março de 2018
Debatida e votada:
Resultado da Votação:
Passou a Deliberação:
Publicação em BM:
Esta Recomendação tem origem no Relatório da 8ª Comissão Permanente sobre a Petição 18/2017 - Jardim dos Cavaleiros (Anfiteatro Exterior da sede da CGD)

Recomendação

O Relatório aprovado pela 8ª Comissão Permanente sobre a Petição 18/2017 - Jardim dos Cavaleiros (Anfiteatro Exterior da sede da Caixa Geral de Depósitos) apurou as seguintes conclusões:

São manifestos os problemas de insalubridade, ruído e conflitualidade na apropriação do espaço público, causados pela enorme presença de pessoas a consumir álcool na zona em questão, Rua do Arco do Cego, “Jardim dos Cavaleiros” e Anfiteatro adjacente;
Estes problemas parecem ter-se agravado na sequência das obras realizadas no espaço público na Rua do Arco do Cego que aumentaram a zona pedonal adjacente aos estabelecimentos em causa e das medidas implementadas de limitação de horário relativamente aos estabelecimentos adjacentes ao Jardim do Arco do Cego, onde o problema era semelhante;
O Programa de Governo da Cidade 2017-2021, estabelece como objectivos tornar a cidade de Lisboa cada vez mais atractiva para viver, melhorando a qualidade de vida e o ambiente urbano, pelo que deverão ser encontradas soluções que permitam mitigar os focos de conflitualidade, assegurando a compatibilização do direito ao descanso dos residentes e a qualidade do ambiente urbano, com as actividades económicas e de lazer.
Assim, a 8ª Comissão propõe ao plenário da Assembleia Municipal que aprove recomendar à Câmara que:

1 – Analise a possibilidade de introduzir limitações horárias aos estabelecimentos em causa, compatibilizando as necessárias actividades económicas com o direito ao descanso dos residentes em área residencial, tendo em conta medidas semelhantes já implementadas em estabelecimentos próximos;

2 – Interceda junto da CGD de forma a garantir a limpeza adequada, regular e suficiente do espaço privado de utilização pública, anfiteatro e jardim, por forma a manter o mesmo em condições de ser fruído pela população em geral e com reconhecimento pela sua importância histórica;

3 – Em conjunto com a CGD, estude e implemente medidas de mitigação da insalubridade registada ao nível das escadas de ligação entre o anfiteatro e o estacionamento superior, decorrentes da acumulação de urina e outros dejectos, medidas que poderão passar por melhorar a iluminação pública do local ou pela implementação de medidas físicas de encerramento das escadas no período nocturno;

4 – Através da Polícia Municipal e no âmbito das suas competências, promova a adequada fiscalização e controle de horário dos estabelecimentos que vendem bebidas alcoólicas na área em questão;

6 – Interceda junto da PSP para que de uma forma regular e visível promova o reforço das acções de fiscalização e vigilância no âmbito das suas competências na manutenção da ordem pública, actuando também no que se refere ao consumo de álcool por menores;

7 – Procure sensibilizar os proprietários dos estabelecimentos em causa para que tomem medidas, no âmbito da sua actividade, para diminuírem os respectivos impactos negativos referidos nesta petição.

8 - Informe periodicamente esta Assembleia sobre a evolução da implementação das soluções encontradas de modo a realizar um conveniente acompanhamento.

A 8ª Comissão propõe ainda ao plenário da Assembleia que promova diligências junto das Juntas de Freguesia das Avenidas Novas e do Areeiro, no respeito pela sua autonomia, no sentido de ser providenciado um especial cuidado ao nível da higiene urbana dos espaços em questão, Rua do Arco do Cego e zonas adjacentes, bem como na manutenção dos diversos equipamentos de mobiliário urbano, existentes no espaço público.

Lisboa, 15 de março de 2018

O Presidente da 8ª Comissão

António Proa

O Deputado Municipal Relator

João Valente Pires"

http://www.am-lisboa.pt/302000/1/009300,000424/index.htm


Atualização de 10.04.2014:
Representante da Petição 18/2017 – Jardim dos Cavaleiros (Anfiteatro Exterior da sede da CGD)
Encarrega-me a Srª Presidente da Assembleia Municipal de Lisboa, Arqª Helena Roseta de informar V. Exas. que a apreciação da Recomendação 015/03 (8ª CP), resultante do Parecer da 8.ª Comissão Permanente sobre a petição 18/2017 – Jardim dos Cavaleiros (Anfiteatro Exterior da sede da CGD), está agendada para a sessão de  3ª feira, dia 20 de Março, que se iniciará pelas 15h e terá lugar no Fórum Lisboa, na Av. de Roma 14P.
Junto enviamos o relatório da Comissão Permanente e Recomendação que será apresentada e debatida na referida sessão.
 Anexo1_OficioCGD Anexo1_OficioGALP Anexo1_OficioPSP Anexo1_Oh Pereira Folha de Rosto relatório da 8ª CP relativo à petição 18-2017 Anexo1_Oficio CML”

Pedido de reforço da presença de agentes da Polícia Municipal em patrulhamento a pé na Freguesia do Areeiro

Screen Shot 09-21-17 at 01.15 PM

Os subscritores apelam à Câmara Municipal que reforce a presença de agentes da Polícia Municipal que, em patrulhamento a pé, possam dissuadir do aumento recente de incidentes de pequena criminalidade e assaltos a residências e lojas e o fenómeno (crescente) dos tags/grafitos feitos durante a noite em propriedade privada e municipal.
Apelamos igualmente, a que a CML e a Junta de Freguesia do Areeiro usem os seus melhores ofícios para que a PSP reforce o patrulhamento a pé e em veículos (motos e carros) nesta freguesia para dar resposta a este surto recente de criminalidade.

Subscrevem:

Rui Martins
Pedro Mendonça
José-António Rodrigues
Pedro Gomez
Patrícia Matos Palma
Isabel Tomas Rodrigo
Clara Ribeiro
Margarida Braz Pinto Coimbra
Luisa Castro Correia
Maria Julieta Mendes Martins
Vitor Martins
Isabel Potier
Teresa Veiga
Pedro Tito de Morais
Luis Seguro
Maria Cortez Caetano
Sofia Pinheiro
Jacinto Manuel Apostolo
Pedro Stichini Vilela
Fátima Mayor
Rui Almeida
Elsa Felizardo
Santi Taxeiro
Catarina Coelho
Vitor Manuel Teixeira
Inês Santos
Leonilde Ferreira Viegas
Luís Pereira Dos Reis
Mira de Lacerda
Jorge Oliveira
Anabela Nunes
Dulce Amaral
Beatriz Maia
Margarida Leal
Cláudia Casquilho
José Vieira Mesquita
Teresa Sotto Mayor Carvalho
Nuno Dinis Cortiços
Teresa Raposo
Erika Bayan
Carla Caló
Ana Bravo
Mariana Bettencourt
Alexandre Ferreira Lima Bastos
Mariana Maurício
Maria João Morgado
Ana Costa
João J Martins
Denise Mendes
Catarina Rebelo
Maria Teresa Rodrigues
Jorge Martins
Susana Beirão
Cátia Mendes
Elvina Maria Reis Rosa
José Bação Leal
Suzete Reis
Maria João Gracio
Jorge Santos Silva
Pedro Pinto
José Amador
Thaisa Boleta
Cristina Azambuja
Patricia Alves
Mafalda Toscano Rico
Ruy Redin
Pedro Hebil
Luis Chastre
Cláudia Estrela Malaco
Raquel Vasconcelos
Mariana Horta Salgueiro
Júlio Reis Silva
Cristina BraulaReis Penha Coutinho
António Gomes
Cristina Milagre
Rui Dias
Pedro Osório de Castro
Zélia Brito
Carla Silva
Eduardo Ferreira
Inês Simão
Ana Oliveira
Diogo Barahona Bello
João Ribafeita
Sampedro Ana Paula
Rita Martinez
Alexandra Barreto
Gonçalo Magalhães Carvalho
Rute Pereira
Zélia Pereira
Clara Melo
Rosa Branca Graça
Andreia Cunha Dias
Nuno Matos
Isabel Primoroso
Ana Coelho
Rita Martins
Sandra Jacob
Maria Paula Luis
Isabel Da Costa Correia
Filomena Videira
Ilda Cruz
Jorge Palos
Candida Pinto
Rogério Martins
Maria Estima
Filipa Sousa
Isabel O. Sousa
Irene Coelho
Vanessa Rebelo de Sousa
Bruno Beja Fonseca
Eva Falcão
Helena Martins
Teresa Villas
Francisca Villas
Alexandra Cordeiro
Filipa Macedo
Ana Assunção
Ruben Lino
Clarinda Sousa
Filipa Magalhães Carvalho
Eduardo Pessoa Santos
Pedro Barata
Rosarinho Quina
Jose Leonidio Cardoso Trindade
Cláudia Almeida
Dulce Marques Ferreira