“Corte de árvores na Praça de Londres e na Guerra Junqueiro adiado por seis meses ” [O Corvo]

Screen Shot 04-14-17 at 01.21 PM

“A reunião entre o vereador da Estrutura Verde, José Sá Fernandes, e os activistas que vinham contestando o planeado corte de freixos na Praça de Londres e na Avenida Guerra Junqueiro, realizada na manhã desta terça-feira (11 de abril), resultou na suspensão do processo. De acordo com elementos que estiveram presentes no encontro, ficou assente que o abate das 16 árvores não avançará, por agora, mas poderá acontecer dentro de seis meses. Isto se a avaliação que for realizada nessa altura assim o indicar. “O processo foi adiado, suspenso, e será agora sujeito a uma reavaliação, com a certeza de que ocorrerá um acompanhamento semestral”, diz a O Corvo Rui Martins, dirigente do Movimento Vizinhos do Areeiro, que havia lançado uma petição contestado o corte, juntamente com a Associação de Comerciantes “Bairro em Movimento”, o Fórum Cidadania Lx e a Plataforma em Defesa das Árvores.

Agora, o activista, que reconhece a “existência de problemas em algumas árvores”, tem esperança na inversão da decisão de proceder ao corte, senão de todas elas, pelo menos de algumas. É que, nota, “nem todas as árvores estão em mau estado”, logo não se justificará a sua eliminação. Em outubro, será feita uma avaliação final, para se saber que medidas tomar. “Com isto, ganha-se tempo e, depois, veremos o que dizem os relatórios mais actuais, pois os últimos conhecidos são já de 2014”, afirma Rui Martins, fazendo notar, porém, que “diversos procedimentos legais” não terão sido cumpridos neste caso. Na reunião, ficou a saber-se que, além da Praça de Londres e da Avenida Guerra Junqueiro, “também a Avenida de Paris tem previstos cortes de árvores”. Um outro activista, presente na reunião com Sá Fernandes, salientou a O Corvo a inexistência de “fundamentação técnica precisa, para além de se dizer que as árvores estão doentes”. E fez notar que, com o adiamento, “atira-se a questão para depois das eleições autárquicas”.

O Corvo tentou confirmar a decisão da suspensão da operação com o assessor de comunicação do vereador, mas ainda não o conseguiu até ao momento.”

Texto: Samuel AlemãoScreen Shot 04-14-17 at 01.21 PM

Fissuras na Rua Sarmento Beires (junto à construção do novo Parque do Vale da Montanha) [Actualização]

Screen Shot 04-12-17 at 08.14 PM

“Nos últimos dias, o aterro sobre o qual está construída a Rua Sarmento Beires abriu algumas fendas no betuminoso.
Os movimentos de terra que, assim, se podem perceber, estão perto do talude das obras, mas não lhe são imediatamente adjacentes.
Pedimos que monitorizem a situação, com a urgência que puderem, dado que estas fendas podem indiciar que algo de novo e grave se está a começar a passar aqui nestes solos.
Este talude é muito alto, com mais de 15 metros, com uma inclinação que deverá rondar os 75 graus.”

Enviada ao Gabinete do Vereador Manuel Salgado a 12.04.2017

Actualização de 11.05.2017
Sobre estas fissuras para as quais os Vizinhos do Areeiro alertaram a CML (e que parecem ter-se agravado nos últimos dias) a Câmara Municipal de Lisboa já enviou um técnico inspeccionar o local que vai propor um conjunto de medidas à autarquia.

Abate de Freixos na Avenida Guerra Junqueiro [Respondido]

(enviada à Junta de Freguesia do Areeiro):
Vai ser feito mais um arboricídio na Freguesia do Areeiro:
Como se pode ver em
A totalidade (?) dos 16 freixos com mais de 60 anos que sobreviveram ao grande massacre de meados de 2015:
vai ser agora abatida.
As razões não parecem plausíveis mas pedimos à Junta informações adicionais assim como a data prevista e a justificação para a razão pela qual se pede a dispensa dos prazos (que súbita urgência é esta?)
Por outro lado, qual é a participação da Junta de Freguesia do Areeiro neste processo que conduziu em 2015 dado que a manutenção do arvoredo é uma competência sua?

Já somos três grupos de “Vizinhos” em Lisboa: Areeiro, Alvalade e Penha de França !

A partir do modelo de cidadania local, não-partidária e sem assumir a forma de “movimento autárquico de cidadãos” são já três os grupos de cidadãos que num modelo de Democracia Participativa de proximidade e informal estão (muito) activos em Lisboa.
Em breve, mais se seguirão…
Todos seguem o modelo das “subscrições públicas” na sua vertente propositiva às autarquias (Juntas de Freguesia e Câmara Municipal de Lisboa) e, na sua vertente reactiva, utilizando os meios disponíveis em cada autarquia (Assembleias de Freguesia, Assembleias Municipais, Petições, contactos com o Executivo, contactos com vereadores, gabinetes e departamentos da CML, Polícia Municipal, Sapadores Bombeiros, Na Minha Rua, EMEL, etc)

Vizinhos do Areeiro:
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/

Vizinhos de Alvalade:
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.de.Alvalade/

Vizinhos da Penha de França:
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.da.Penha.de.Franca/

16712025_10155239517829050_8236103060437560276_n17103490_10155298140859050_6565600668324428206_n17155919_10155318963509050_834408722158814514_n

Participação colectiva dos Vizinhos do Areeiro à Consulta Pública da “Implementação das Zonas de Estacionamento e Paragem de Duração Limitada na Freguesia do Areeiro” [Parcialmente Resolvido]

Screen Shot 03-28-17 at 02.11 PM

Implementação das Zonas de Estacionamento e Paragem de Duração Limitada na Freguesia do Areeiro em Consulta Pública:
Participação colectiva dos Vizinhos do Areeiro:

“No Geral:
A1. O mecanismo das Consultas Públicas carece de maior explicação no que concerne à sua eficácia, à forma como são incorporadas as sugestões dos cidadãos (se são e quais são) e, sobretudo, quanto à natureza e processo no site http://www.cm-lisboa.pt/participar/lisboa-em-debate
A2. a EMEL deve produzir e publicar – actualizando numa base diária – as infrações de estacionamento num mapa (sem identificar os veículos autuados) e fazer esse mapa evoluir ao longo do tempo mantendo um registo histórico que permita observar e reagir a alterações súbitas e pontuais
A3. os dados já reunidos através da aplicação towit.io devem ser considerados como uma fonte para a actuação da EMEL
A4. Deveria existir uma descrição, em texto, breve e clara, de todas as alterações introduzidas – em relação à situação actual – por forma a induzir maior transparência das mesmas junto dos cidadãos.
A5. Qual é o fundamento técnico para a necessidade de subdividir o estacionamento na freguesia em 8 (!) zonas? (actualmente são 5)
A6. Tendo em conta que o Dístico de Residente só pode ser emitido para duas zonas e que estamos em presença de uma proposta para a multiplicação das mesmas, entendemos que esse número (2) deve ser aumentado na mesma proporção por forma a repor a mesma situação (passando, por exemplo, de uma zona contígua para duas zonas, por dístico de residente). A atualização dos dísticos não devem implicar custos extra e acrescidos para os moradores, a não ser no valor da 2° zona adjacente atribuída.
A7. Qual foi a participação da Junta de Freguesia no desenho destas zonas de estacionamento?
A8. Como será processada a transferência de zonas (1 ou 2) onde estão hoje os dísticos para as novas zonas (8)? Se as duas zonas deixarem de ser adjacentes isso vai levar a prejuízo por parte dos moradores, logo a regra da confinância deve terminar. Cada detentor de dístico vai receber uma carta da EMEL onde escolhe a sua confinante? (deverá ser assim, porque algumas irão mudar, a prevalecer a divisão em 8 zonas)

Na Especialidade:
B1. Observamos um número excessivo de zonas: 8. Em particular discordamos da divisão entre 04 G, H E: o Bairro dos Actores (04H) sendo esta última uma das zonas com maior saturação de estacionamento e esta divisão não vai contribuir para a resolução deste problema dos moradores (sendo indiferente ao pico do mesmo: estacionamento nocturno por não moradores)
B2. As zonas são demasiado pequenas para as necessidades de estacionamento dos moradores: recorde-se que a maioria do edificado é da década de 1940 e 1950 sem garagem e que existem aqui algumas das vias comerciais de estacionamento mais saturadas de Lisboa (Guerra Junqueiro, Praça de Londres, João XXI e Avenida de Roma). Observamos, contudo, que a redução das deslocações intrabairro em automóvel de algumas centenas de metros ou poucos quilómetros pode ter uma consequente redução do trânsito e que esta redução pode levar a uma melhor percepção do número de lugares que faltam para residentes em cada uma das zonas (já que os dísticos serão a única forma de saber quantos carros há) — o que aumentará a pressão para criar alternativas e aferir da sua necessidade.
B3. A zona da Praça de Londres junto à Igreja São João de Deus é uma zona de grande carência de estacionamento: deveria ser uma Zona Vermelha. E deveria ser estabelecido um protocolo com a Empark no sentido de reduzir o custo do estacionamento a frequentadores do completo (igreja e casas mortuárias)
B4. Existem vários lugares de estacionamento mal desenhados em toda a freguesia do Areeiro com a consequente perda de lugares de estacionamento viárias (p.ex. em torno do Jardim Fernando Pessa e perto da Praça Afrânio Peixoto). Esta “implementação” não parece resolver este problema.
B5. Em Arroios há exemplos de zonas que não correspondem exactamente ao perímetro da freguesia. No caso das zonas propostas para o Bairro do Arco do Cego (04F) e dos Actores (04H) estas zonas poderiam incorporar ruas nas freguesias adjacentes.
B6. Sugerimos que sejam consideradas Zonas de Acesso Automóvel Condicionado alguns logradouros do Areeiro (Pç Pasteur, Paris, Luís de Camões, nomeadamente) por forma a funcionarem como zonas de estacionamento reservado a moradores da freguesia.
B7. Uma das desvantagens desta alteração reside no pesadelo logístico da alteração de zonas de *todos* os residentes que já têm dístico e cuja emissão se tinha tornado semiautomática com o envio de referência multibanco para casa — é a oportunidade ideal, porém, para aumentar a duração dos dísticos para três anos, conforme proposto anteriormente na petição http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=EMELvalidadedistico que baixou em meados de março à 8ª Comissão da AML (“Comissão Permanente de Mobilidade e Segurança”).
B8. Transformação das zonas verdes em amarelas e das amarelas em zona vermelha
B9. Alteração da TARIFA AMARELA para VERMELHA em todo o Bairro Arco do Cego, uma vez que se trata de um Bairro residencial com poucos ou mesmos nenhum serviço. Caso contrário continuará a ser uma zona de estacionamento escapatória às zonas vermelhas que estão nos seus limites (estacionamento junto à igreja, casas mortuárias).
B10. Implementação de zonas de tomada e largada de crianças nas zonas envolventes à Escola Filipa de Lencastre

Subscrevem:
Rui Martins
Rui Santos
Inês Sá Nogueira Cabral
Susana Beirão
Luisa Pico Costa
Cláudia Casquilho
Margarida Soares
Magda Cardoso de Matos
Elsa Santos Alípio
Isabel Athayde E Mello
Conceição Gomes da Silva
Duarte Amado
Maria Julieta Mendes Martins
Isabel Casquilho
Leonilde Ferreira Viegas
Catarina Rodrigues
Teresa Raposo
Maria Teresa Inglês Agostinho
Mónica Janelas
Cátia Mendes
Anabela Nunes
Cristina Milagre
Fernando Mora de Oliveira
António Franco
Susana Sousa

Actualização de 27.04.2017
A 28 março 2017 questionámos a Junta de Freguesia sobre a duplicação das zonas EMEL no Areeiro e se esta iria prejudicar os moradores:
Resposta do Presidente da Junta de Freguesia do Areeiro: “Na minha opinião não irá prejudicar os residentes dado que ficam com outra zona adjacente, e esta subdivisão irá terminar com os estacionamentos de moradores que não vivem naquela zona restrita. Fizemos saber junto da EMEL que esta entidade deveria reforçar as zonas exclusivas para moradores”
Em Assembleia de Freguesia de 27.04.2017 reiterámos que se há duplicação na mesma área e a menos que a freguesia duplique de tamanho leva a uma redução efectiva para metade do espaço de estacionamento, logo de lugares possíveis e que uma zona alternativa já havia (não é, portanto, nenhuma novidade, tendo os Vizinhos sugerido duas zonas para compensar esta redução).
O Presidente Fernando Braancamp respondeu que a resposta da Junta a redução de estacionamentos seria o reforço das zonas exclusivas a moradores (nos logradouros) e que esta redução iria no sentido de favorecer o interesse dos moradores, procurando garantir que os moradores consigam estacionar o mais perto possível das suas casas. O logradouro do Fernando Pessa vai, por exemplo, entrar neste tipo de zona reservada.

Actualização de 03.05.2017

À questão dos Vizinhos do Areeiro sobre “Participação coletiva dos Vizinhos do Areeiro à Consulta Pública da “Implementação das Zonas de Estacionamento e Paragem de Duração Limitada na Freguesia do Areeiro””
O Vereador Manuel Salgado esclareceu em 3 de Maio de 2017 que:
“Tratando-se de uma participação apresentada no âmbito da discussão pública relativa à implementação das Zonas de Estacionamento e Paragem de Duração Limitada na Freguesia do Areeiro, a mesma merecerá resposta em sede de decisão daquele procedimento, por parte da Câmara Municipal de Lisboa.
Sem prejuízo da resposta que seja dada, no âmbito da referida discussão pública, às várias questões concretas suscitadas, informa-se que a implementação de zonas de tomada e largada de passageiros, junto às escolas do Bairro do Arco do Cego, está assegurada, respondendo, assim, ao solicitado pelo Movimento Cívico dos Vizinhos do Areeiro. “

Protesto sobre as intervenções no arvoredo realizadas no Logradouro Autoparque Madrid e na Rua Brás Pacheco [Fechado]

As intervenções no arvoredo realizadas no Logradouro Autoparque Madrid e na Rua Brás Pacheco em Fevereiro não padeceram da radicalidade de outras podas (Av de Paris e Guerra Junqueiro, ou, mais recentemente, INE) mas exibem vários excessos e erros que estas experiências passadas deveriam ter evitado…

Em particular registamos nas fotos em anexo o corte de troncos saudáveis com um diâmetro superior a 10 cm assim como a execução de “rolagens” uma prática em que se faz a amputação total de Ramos saudáveis e que deveria ter sido já completamente abandonada em Lisboa estando inclusivamente listada como “proibida” no artigo 10º do “Regulamento Municipal do Arvoredo” ponto g): “Efectuar rolagem de árvore, em quaisquer circunstâncias”.

Assim sendo os subscritores apresentam este protesto à Junta de Freguesia do Areeiro e à Câmara Municipal de Lisboa (entidades referenciadas nos cartazes que anunciavam a intervenção).

Subscrevem:
Rui Martins
Isabel Gameiro
Vitor Manuel Teixeira
Raquel Leite
Rosa Casimiro
Maria Cortez Caetano
Jorge Pedroso
Paula Amoroso
Luis Seguro
Pedro Vazão de Almeida
Duarte Amado
Ana Monteiro
Maria Lourdes Alves Gouveia
Filipa Ramalho Rickens
Tânia Rodrigues
Vasco Ribeiro
José Vieira Mesquita
Jorge Oliveira
Cátia Mendes
Mira de Lacerda
Cris Milagre
Maria Helena Caveiro
Isabel Primoroso
Luisa Galvão
Fernando Albuquerque
Manuela Viegas

Reclamação feita a 11.04.2017:
https://vizinhosdoareeiro.wordpress.com/2017/04/11/notas-da-reuniao-dos-vizinhos-do-areeiro-com-o-vereador-sa-fernandes-espacos-verdes/

Aplicação Areeiro Mais: primeira avaliação

screen-shot-01-31-17-at-10-17-pm

  1. acesso web (https://areeiromais.jf-areeiro.pt/geomarkers/map.php): muito bem! (podia ser apenas telemóvel https://play.google.com/store/apps/details?id=com.areeiromais.jfa&hl=pt_PT)
  2. no écran de registo aparece ainda o form para introdução de registo: é desnecessário: o utilizador acabou de se registar
  3. na inputbox de “descrição” não é fácil fazer aparecer o botão de submit (no Android)
  4. por cada ocorrência recebe-se uma mensagem de registo, mas as ocorrências não estão numeradas… Seria muito importante terem uma numeração. Quem submete mais do que uma como saberá a qual encerramento se refere? Esta é a maior lacuna da aplicação.
  5. falta um campo para “urgência” na introdução de ocorrências
  6. no mapa da aplicação aparecem referências a empresas. Pode ser confundida com uma forma de publicidade
  7. devia ser possível introduzir ocorrência além de por mapa, escrevendo a rua e o nº de porta, sem uso exclusivo do mapa (que não tem detalhe suficiente, aliás). Além do nº de ocorrência esta é também uma lacuna importante (mas menos)
  8. nem todas as competências da junta aparecem tipificadas, apenas algumas (espaço público, zonas verdes, higiene urbana, outros)
  9. para abrir ocorrências há que clicar no mapa duas vezes: devia ser possível com o botão direito do rato
  10. quando se submetem ocorrências com duas fotos a aplicação parece bloquear nas duas rodas dentadas e há que voltar atrás e submeter apenas com uma foto (ocorreu duas vezes seguidas)
  11. Não é claro em que ciclo ocorre a limpeza das ocorrências já resolvidas (ao fim de quantos dias?)
No geral, a aplicação é rápida (via browser), funcional, útil e permite uma visualização rápida e fácil de todos os pendentes já submetidos em que fase estão (com agregação) e qual a sua concentração na freguesia: Muito Bem Junta de Freguesia do Areeiro.

TowIt: Apelo ao uso desta mobile app pela EMEL e Polícia Municipal de Lisboa

screen-shot-01-25-17-at-01-02-pm

Embora Portugal seja o maior utilizador global da aplicação móvel TowIt
https://play.google.com/store/apps/details?id=io.towit&hl=pt que reporta violações às leis de estacionamento e condução perigosa e que usa dados crowdsourced para resolver estes problemas nem a Câmara Municipal, nem a Polícia Municipal (agora com competências nesta área) nem sequer a EMEL usam os dados desta aplicação para o bom cumprimento das suas missões.

A aplicação funciona através de fotografias, tiradas no momento e da confirmação da placa de matrícula que são enviadas para a aplicação global. A partir daqui, e com georeferenciação, os dados são enviados automaticamente para as autoridades municipais registadas. De notar que os dados ficam apenas disponíveis a quem captou a fotografia e às autoridades por forma a respeitar a privacidade dos proprietários dos veículos em estacionamento ilegal. A aplicação foi desenvolvida por uma pequena equipa de cidadãos canadianos e está a ser avaliada actualmente pela polícia de Toronto para remover das vias automóveis em situação de estacionamento especialmente graves (que bloqueiam vias – 2ª fila – ou sobre passeios públicos).

O movimento de cidadãos “Vizinhos do Areeiro” apela à CML, Polícia Municipal e EMEL que passem a participar da rede global da TowIt por forma a terem uma acção mais rápida e eficaz no combate ao estacionamento ilegal e, sobretudo, ao estacionamento em 2ª fila e ao estacionamento em passeio público.

Subscrevem:
Maria Lourdes Alves Gouveia
Vasco Ribeiro
Jorge Oliveira
Qju Nunes
Margarida Braz Pinto Coimbra
João J Martins
Rui M. Sousa
John Burney
Joana Duarte
Teresa Silva
Rahyara De Sousa
Pedro Dias

Reenviada a 05.10.2017

20 Perguntas sem resposta da Câmara Municipal de Lisboa

Aguardamos resposta dentro do prazo legal determinado pela Lei n.º 42/2014, de 11 de julho que aprova o novo Código do Procedimento Administrativo a estas 20 perguntas:
31 de Agosto de 2016
REPAVIMENTAÇÃO E DESENHO DAS VIAS DO BAIRRO DO ARCO DO CEGO
7 de Setembro de 2016
PEDIDO DE REFORÇO DE POLICIAMENTO NA FREGUESIA DO AREEIRO (LISBOA) À 5ª DIVISÃO DA PSP DE LISBOA
9 de Setembro de 2016
PETIÇÃO POR UM REGULAMENTO MUNICIPAL DO GRAFITO – ASSINE E DIVULGUE, POR FAVOR!
17 de Setembro de 2016
SUBSTITUIÇÃO DE MONUMENTO A FRANCISCO SÁ CARNEIRO NA PRAÇA DE MESMO NOME
23 de Setembro de 2016
ONDE ESTÃO OS PINÁCULOS COM O ESCUDO DE LISBOA DAS DUAS TORRES DA PRAÇA DO AREEIRO?
28 de Setembro de 2016

QUESTÕES QUANTO AO ESTACIONAMENTO E CIRCULAÇÃO PEDONAL E DE VEÍCULOS NO BAIRRO DO ARCO DO CEGO

3 de Outubro de 2016

PEDIDO DE EXTENSÃO DE FECHO PARA ESTABELECIMENTO “OH PEREIRA” (R. ARCO DO CEGO): LIXO, RUÍDO E FALTA DE CIVISMO (ENVIADO À CML COM CC DA PM E DA JFA)

20 de Outubro de 2016

ESCULTURA ADULTERADA AO REMOVER GRAFITO

24 de Outubro de 2016

SACOS DE LIXO EM VÁRIOS ARRUAMENTOS DA FREGUESIA DO AREEIRO: PEDIDO DE FISCALIZAÇÃO À POLÍCIA MUNICIPAL

26 de Outubro de 2016

FLORESTA DE PILARETES NO BAIRRO DO ARCO DO CEGO

4 de Novembro de 2016

FREIXOS NA PRAÇA DE LONDRES USADOS COMO APOIOS A DECORAÇÕES DE NATAL

4 de Novembro de 2016

EXISTE UM PLANO DE REPLANTAÇÃO DE ÁRVORES PARA O AREEIRO?

12 de Novembro de 2016

PARQUE DO VALE DA MONTANHA (QUESTÕES AO VEREADOR JOSÉ SÁ FERNANDES)

28 de Novembro de 2016

PEDIDO DE RECUPERAÇÃO DE ESTACIONAMENTOS NO BAIRRO DO ARCO DO CEGO

8 de Dezembro de 2016

PROPOSTA À CML DE REVISÃO DOS CONTRATOS COM A EMPARK

15 de Dezembro de 2016

SUGESTÃO À CML PARA SISTEMA DE RECOLHA DE RESÍDUOS URBANOS

23 de Dezembro de 2016

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO NO CRUZAMENTO ENTRE A PRAÇA DE LONDRES E A AVENIDA DE PARIS

28 de Dezembro de 2016

SUGESTÃO DE CAMPANHA DE DIVULGAÇÃO DO “RECOLHA A PEDIDO” DE RESÍDUOS “VOLUMOSOS” EM LOCAIS ESPECÍFICOS ONDE OCORREM SITUAÇÕES RECORRENTES DE “SACOS DE LIXO” EM CANDEEIROS, PORTAS E CALDEIRAS DE ÁRVORES

4 de Janeiro de 2017

LISBOA LIVRE DE BEATAS: SUGESTÕES

12 de Janeiro de 2017

TRANSFERÊNCIA DO TERMINAL DE VEÍCULOS PESADOS DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS SITUADO NA AVENIDA PADRE MANUEL DA NÓBREGA

 vizinhosareeiro

18 perguntas sem resposta da Junta de Freguesia do Areeiro

Aguardamos resposta dentro do prazo legal determinado pela Lei n.º 42/2014, de 11 de julho que aprova o novo Código do Procedimento Administrativo a estas 18 perguntas:vizinhosareeiro


8 de dezembro de 2016:

1. “Desde há algum tempo que a Praça Pasteur se tornou um foco infeccioso de lixo, copos de plástico e garrafas de cerveja: a fonte são as lojas “Late Night Shop” das redondezas, o destino a falta de civismo de alguns jovens e a solução pode passar pelo abate daquela sebe, frente à Av. de Paris que cria um recinto propício a estas actividades”
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/1689416024704531/

12 de dezembro de 2016:

2. Poderiam remover os restos de bancos no Jardim da Praça de Londres: https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/1691509974495136/

3. Parece que a CML tem um “projecto” de redisposição dos pilaretes na Vitor Hugo que atende ao nosso pedido https://vizinhosdoareeiro.wordpress.com/2016/12/05/reservas-de-estacionamento-na-rua-vitor-hugo-de-novo/

13 de dezembro de 2016:

4. Poderão responder a este pedido de um morador: https://www.facebook.com/groups/avenidaderoma/permalink/10154504092201130/ referente a um buraco na calçada que apareceu, perto da AML, há 2 dias?

21 de dezembro de 2016:

5. No vosso site listam a “Rua Alberto” como estando na freguesia. Ela está mesmo (Portugal Novo) mas a grafia correcta é Al-Berto.

22 de dezembro de 2016:

6. Por favor tomem em consideração este pedido (repintura da passadeira junto à Igreja São João de Deus): https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/1696197634026370/

24 de dezembro de 2016:

7. Praça Afrânio Peixoto:
renovada recentemente pela Junta de Freguesia do Areeiro numa obra de grande qualidade encontramos aqui, contudo, (como na Pasteur) um bebedouro desactivado há longos meses… Para a da Pasteur há planos para a sua reactivação daqui a uns meses e para a Afrânio Peixoto? https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/1696851860627614/

26 de dezembro de 2016:

8. Por favor, tomem em consideração este relato de uma moradora:
“Maria Cortez Caetano Mas há ruas que não varridas há duas semanas. A rua Cervantes e o logradouro, é uma delas….”
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/1697504377229029/

27 de dezembro de 2016:

9. pedido de reposição de calçada junto à praça de táxis da Monteiro Torres:
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/1698303637149103/
(embora não tenha havido resposta da JFA, esta reposição foi feita em janeiro de 2017)

2 de janeiro de 2017:

10. pilarete derrubado na Monteiro Torres:
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/1700714453574688/

11. motocicletas em lugar de estacionamento na Domino’s Pizza da Afonso Costa:
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/1700546786924788/

3 de janeiro de 2017:

12. Esta situação (abatimento de piso em passadeira na Av de Paris) está – novamente – merecedora da vossa melhor atenção:
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/1701216623524471/
em particular a repintura da passadeira (que penso ser vossa competência)

5 de janeiro de 2017:

13. Jardim Fernando Pessa: bica (novamente) sem água…
(enviada à Junta de Freguesia do Areeiro) https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/1701609130151887/
(sem resposta, mas reparado na segunda semana de janeiro)

14. Calçada com danos na Praça de Londres:
à vossa melhor atenção:
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/1702101510102649/

6 de janeiro de 2017:

15. (reservas de estacionamento junto ao Pavilhão do Casal Vistoso)
penso que seria importante responderem a esta moradora:
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/1702253773420756/
nada deixa mais frustrado um cidadão que a ausência de qualquer resposta por parte de uma entidade pública.

16. Rua Brito Aranha: https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/1702266686752798/ pergunta-se “Era boa ideia perguntar à junta de quem foi a iniciativa, quais os objectivos e quais os planos a longo prazo para estas árvores.”
Poderão responder?

7 de janeiro de 2017:

17. Rua Desidério Beça (Bairro do Arco do Cego):
um segmento de calçada que está carente dos bons ofícios dos serviços da Junta de Freguesia do Areeiro…
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/1703094120003388/

11 de janeiro de 2017:

18. As obras no Bairro do Arco do Cego terão sacrificado cerca de 50 lugares de estacionamento.
As exigências (justas) do Regimento de Sapadores Bombeiros deverão sacrificar – em breve – mais uma dúzia.
E a somar sobre isso tudo eis que as floreiras que estavam junto ao Filipa foram colocadas em lugares de estacionamento na Rua Cândido Guerreiro acabando com mais 6 lugares.
A Junta de Freguesia do Areeiro está a par desta alteração e aprovou a mesma?
https://www.facebook.com/groups/Vizinhos.do.Areeiro/permalink/1704891143157019/