Estacionamento Selvagem em torno do Pavilhão do Casal Vistoso

É frequente – em eventos patrocinados pelo municipio – assistir ao estacionamento caótico na rua de acesso ao
Pavilhão Municipal Casal Vistoso: os autocarros e carrinhas que transportam utentes a estes eventos estacionam em segunda fila, com motores ligares e usando e abusando da sinalização sonora
Porque é que estes veículos não utilizam o parque da Sarmento Beires para estacionar depois de largar as crianças? Porque é que não desligam os motores, cujo ruído se propaga para dentro dos apartamentos?
De considerar, também, o desvio de tráfego não local para o descampado acima do pavilhão, sem entrar na João da Silva, que devia ter um só sentido, abrindo-se uma rua para permitir a circulação à volta do pavilhão com o sentido único e uma outra saída.

Subscrevem
Rui Pedro Martins
Jorge Oliveira
Nuno Dinis Cortiços
Cláudia Casquilho
Fernando Faria
Elvina Maria Reis Rosa
Anabela Nunes
Madalena Matambo Natividade
Luis Seguro
Ana Miguel
Nuno Miguel Cabeçadas
Ana Costa
Rogério Martins
Patrícia Matos Palma
Cristina Azambuja
Victor Serra
Francisco Tellechea
Leonilde Ferreira Viegas
Mira de Lacerda
Pedro Pinto
Fátima Mayor
Francisco Lopes da Fonseca
Antonio Viegas
Emilio Santos Pinto
Essi Silva Ribeiros
Teresa Sarmento
Ana Sampedro
Margarida Seguro
Maria Jose Diegues
Belicha Geraldes
Pedro Correia
Jacinto Manuel Apostolo
Maria Isabel Silva Nunes
Fernando Anjos
Elisabete Carvalho
Ilda Cruz
Isabel Belo Brito
Teresa Sotto Mayor Carvalho
Rui Janeiro
Lezíria Couchinho
Teresa Aroso
Paula Barroso
Beatriz Granja
Isabel Tomas Rodrigo
Alexandre Ferreira Lima Bastos
Costa Antonio
João Ribafeita
Manuela Melo
José Vieira Mesquita
Isabel Petronilho Almeida
Cristina Neves
Maria Luisa Ferreira
Joana Rocha
Filipe Oliveira
Andreia Cunha Dias
Suzete Reis
Miguel Andretta Moraes
Mafalda Sequeira
Fernando Barroso de Moura
Isabel Primoroso
Gerson Antunes Costa
Antonieta Soares Ribeiro
Célia Simões Soares
Rita Martins
Nuno Saraiva Rego
Ana Martins
Sara Portugal

 

Descentralizada de 2019

1:37:17: “O Pavilhão desportivo municipal do Casal Vistoso é um equipamento com óptimas condições. Durante a semana permite que muita miudagem e população em geral possam usufruir da piscina do pavilhão multiusos e de outros equipamentos desportivos. Realizam-se competições regulares (…) e as Olissipiadas da cidade (…) situa-se no centro de uma urbanização cercada de edifícios de grande altura onde o acesso se faz por uma rua estreita e sem saída. Em dias de eventos, os autocarros e veículos ligeiros que levam os atletas, visitantes e os dos próprios moradores tentama aceder e circular nesta rua provocando um autêntico caos. Os carros ficam bloqueados, os autocarros sem espaço de manobra. O ruído entra pelas habitações. Os moradores não conseguem aceder à entrada das suas garagens. Apesar dos dois estacionamentos públicos junto ao pavilhão (da EMEL) de alguma forma o estacionamento é feito frequentemente na via pública prejudicando o estacionamento de quem vive nesta rua. Gostaria de sensibilizar os senhores vereadores para a resolução deste problema” (1:39:03) (…) “em caso de acidente muito dificilmente uma ambulância ou um carro de bombeiros conseguirá entrar neste arruamento. É necessário que, em todos os eventos, exista fiscalização que condicione a entrada de veículos no arruamento e os oriente para os dois parques de estacionamento. Não existe fiscalização e os automóveis preferem estacionar na via pública do que utilizarem os dois parques de estacionamento” (…) sugiro que se complete a Rua João da Silva, em torno do pavilhão, de forma a torná-la numa rua de sentido único e aberta nas duas extremidades, facilitando assim a vida aos moradores e utentes porque a rua de que estamos a falar é estreita e sem saída”

Jorge Oliveira

1:42:28: “relativamente à questão do estacionamento foi pedido o reforço da fiscalização da envolvente do Pavilhão para minimizar um pouco esse impacto. A sua sugestão de completar a rua merece ser avaliada e peço aos serviços da direcção municipal de mobilidade que olhem para essa possibilidade e a avaliem e peço também para avaliar a necessidade de os autocarros chegarem hoje onde chegam e poderão ficar um pouco mais atrás, na entrada do Bairro peço também à direção municipal de mobilidade que avalie essa possibilidade”

Vereador Miguel Gaspar

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *