Os Vizinhos do Areeiro e a Revisão da Carta Educativa de Lisboa

Educação Pública Em Resolução Perguntas à CML

85538_1

Os Vizinhos do Areeiro, juntamente com os Vizinhos das Avenidas Novas, os Vizinhos do Bairro de São Miguel e os Vizinhos de Arroios estiveram numa reunião com académicos do ISCTE e técnicos da CML sobre a revisão da Carta Educativa de Lisboa.
Está a mexer… e isto acontece, muito, por causa da pressão dos moradores e da petição que, há meses, aqui lançámos:
http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=FilipaParaTODOS
(de novo, se comprova a teoria: quando insistimos e persistimos, com tino e medida: conseguimos)
(a Carta não era revista há mais de 10 anos!)

Resumo da Joana Taborda Amores (primeira peticionária)

Boa noite, vizinhos! Dando continuidade ao post do Rui, venho então dar-vos a conhecer alguns dos tópicos abordados hoje pelos Vizinhos do Areeiro, em conjunto com os Vizinhos das Avenidas Novas, os Vizinhos do Bairro de São Miguel e os Vizinhos de Arroios, numa reunião com académicos do ISCTE e técnicos da CML no âmbito da revisão da Carta Educativa de Lisboa. Foi-nos perguntado quais eram os problemas com que nos deparávamos e quais eram as nossas propostas de solução. Tendo em conta as questões por nós expostas e tendo como objectivo final devolver as escolas da nossa zona à população residente, a revisão da carta vai estudar novo critério para cálculo da proximidade à escola (foram ouvidas várias sugestões) e ainda sugerir que os encarregados de educação sejam verificados pelas moradas fiscais dos alunos (para combater a fraude). Isto para que ajudemos a minorar os problemas que nos afectam: acesso equitativo à educação; equipamentos desadequados à população; constrangimentos na mobilidade e uma consequente desagregação do sentido comunitário, que tão bem tentamos preservar neste bairro.

A petição O Filipa é de Todos, que nasceu aqui, nos Vizinhos do Areeiro, e da qual sou a primeira peticionária, bateu-se, desde o primeiro instante, pela revisão da Carta Educativa, que tinha roubado equipamentos à nossa freguesia, não nos dando alternativas que não o ensino privado.

Por uma cidade melhor, por uma cidade com mais futuro, para podermos formar lisboetas conscientes, que aqui queiram criar raízes, vamos continuar a lutar, à nossa maneira, com cidadania, participação cívica e com correcção. Obrigada pelo apoio dado até agora. Vamos ter mais reuniões e, portanto, teremos mais notícias.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *