Questões enviadas por e-mail à Câmara Municipal de Lisboa e à Junta de Freguesia do Areeiro para a Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19 de Junho de 2017

Espaço Público Estacionamento e EMEL Perguntas à CML Perguntas à JFA
Rui Martins:
Alguns pontos e notas prévios:
a)
A 17 de Abril de 2016 pedimos esta Sessão com a presença:
” Os subscritores gostariam, igualmente, que estivessem também presentes nessa Sessão Pública, a direcção do Agrupamento de Escolas, a associação de pais, assim como representantes do RSB, da Protecção Civil, da PSP e Polícia Municipal”
b)
A data escolhida não é a melhor (vários moradores responderam indicando que estava fora)
A antecedência entre a marcação e a reunião foi de apenas 1 semana (deveria ter sido 2)
A divulgação deixou muito a desejar: distribuição de flyers e nem os mupis da Junta (a 16 junho) tinham esta nota
c) Agradecimentos à CML e JFA:
zonas de tomada e largadas de passageiros junto à escola:
https://vizinhosdoareeiro.wordpress.com/2017/03/28/participacao-colectiva-dos-vizinhos-do-areeiro-a-consulta-publica-da-implementacao-das-zonas-de-estacionamento-e-paragem-de-duracao-limitada-na-freguesia-do-areeiro/
(Obrigado!)
remoção de parte desta absurda “floresta de pilaretes”:
https://vizinhosdoareeiro.wordpress.com/2016/10/26/floresta-de-pilaretes-no-bairro-do-arco-do-cego/
(Obrigado!)
reversão (parcial) dos sentidos de trânsito da Xavier Cordeiro:
https://vizinhosdoareeiro.wordpress.com/2017/01/25/peticao-rua-xavier-cordeiro-pedido-de-reuniao-aos-deputados-da-assembleia-municipal-de-lisboa/
(Obrigado!)
e a falta de passadeiras e os pilaretes em curvas impossíveis:
https://vizinhosdoareeiro.wordpress.com/2016/09/28/questoes-quanto-ao-estacionamento-e-circulacao-pedonal-e-de-veiculos-no-bairro-do-arco-do-cego/
(Obrigado!)
d)
Alojamento Local: há existe neste Bairro. Legal e Ilegal
63 só na airbnb a 19.06.2017
58 na Imovirtual (Areeiro)
(há dois meses era 71 vs 40)
Rui Martins:
1
Petição aberta e para entregar à AR:
“A área geográfica diminuta que serve o Agrupamento dá origem a situações que, não sendo ilegais, contornam a lei, como a utilização de encarregados de educação falsos. Pretende-se uma escola pública acessível e próxima das moradas efectivas dos alunos e encarregados de educação de facto.
As crianças que vivem na freguesia do Areeiro também têm direito a frequentar a escola que é mais próxima da sua residência, não sendo empurradas para áreas limítrofes.
Os peticionários propõem:
1) a revisão do mapa que distribui os alunos pela escolas de Lisboa;”
(é muito importante rever este mapa por forma a retirar trânsito automóvel do Bairro)
2
Brito Aranha: Que pinturas novas (bandas vermelhas) são estas? Estão no CE?
3
Existem vários sinais verticais sem nº no Bairro. Serão marcados?
Os estacionamentos são demasiados estreitos e insuficientes em quantidade em metade do Bairro.
Há planos para corrigir?
4
Porque redistribuíram as floreiras? Quando as replantam? Porque NUNCA as regaram?
5
Há planos para enterrar os cabos de comunicações entre os prédios do Bairro?
Margarida Soares:
6
Rua Gomes Leal (p.ex. mas há mais…) Moradora diz que “CML diz que é responsabilidade da Junta. Junta diz que é responsabilidade da CML”
Mas todos os dias há carros circulando em direcção contrária.
Estão previstas soluções além das (previstas) marcações no betuminoso? As setas continuam a lançar a confusão devido ao reflexo do Sol…
Pedro Vilela:
7
Com a proliferação circulação de bicicletas e automóveis nos dois sentidos de algumas ruas do bairro, ex a brito aranha pergunto, a ciclovia em sentido contrario na Visconde Valmor se a CML contratou algum seguro de responsabilidade civil para os utentes destas vias partilhadas , já que é a CML que está a criar e incentivar a sua utilização não respeitando as condições de segurança dos seus utilizadores , bem como não está a cumprir o código da estrada.
8
Sinalização excessiva e inadequada:
todos sabemos que o bairro é um bairro 20 com esta nova organização. Para quem sai do bairro a CML colocou um sinal de fim de parque ( penso ) de grande dimensões que tapa o sinal imediatamente a seguir que dista cerca de 1 mt do anterior.
O 2 sinal tem a indicação de fim de zona 20 , com a indicação de perigo de bicicletas. enfim uma aberração de sinalética, afinal é um bairro 20 onde quem sai perde os seus direitos , desta forma o que teriam somente de colocar seria um sinal de stop eventualmente com o fim de zona 20. o sinal de P não está lá a fazer nada. muito menos o da bicicleta, afinal colocaram as faixas verdes ,mas quer dizer que não tem de se preocupar quem sai com os carros, com as motos …. ficam as imagens. isto é repetese ao longo do bairro. que quer sinalizar o bairro não o faça no gabinete , venha ao terreno
Mariana Fernandes:
9
Qual a entidade que promoveu esta obra e qual o motivo para a mesma?
10
Quem elaborou o projecto?
11
Quantas vezes foram ao bairro para conhecer as suas ruas, e os sentidos das mesmas. Para saber de onde chegam e partem os carros que ali têm que aceder?
12
Qual a necessidade de alterar o anterior sentido das ruas?
13
Este plano foi aos Bombeiros?
(depois já sabemos que foi)
14
Qual a razão para esta obra ter levado mais de dois anos e até hoje não estar definitivamente implementada a sinalética?
15
Estamos a falar de um Bairro, onde está inserido um serviço público, ao qual acedem diariamente, milhares de pessoas. Estamos a falar de um estabelecimento de ensino que abriga crianças desde o Jardim de Infância até ao 12º Ano. Se tivermos uma média de 25 crianças por turma, e uma média de 5 turmas por ano (estimando por baixo) estamos a falar, de 1300 crianças. Se considerarmos que talvez 80% venham de fora do bairro, e se mesmo assim, apenas metade cheguem a escola de carro, seriam cerca de 500?!?!?!?! Se isto acontece, o acesso tem que ser fácil e rápido. Como era. Antes desta obra. Esta obra, criou estacionamento condicionado, curvas impossíveis de executar, por qualquer carro convencional, e criou o caos na orientação de quem lá entra. (O que têm a comentar? Que soluções estão previstas?)
16
Do ponto de vista da segurança, eu preferia ter um passeio curto, do que a probabilidade de um pneu me passar por cima do pé. Porque cada vez que há uma esquina, o automóvel sobe, ou antes não sobe, porque o passeio está ao nível da estrada.
(estes lancis vão permanecer assim?)
17
Todas as intervenções que estão a executar nomeadamente na Visconde Valmor, Defensores de Chaves, Avenida da República, etc.… estão a provocar um congestionamento geral neste Bairro, provocando filas intermináveis dentro do mesmo, de manhã e a tarde, nas horas de entrada e saída. Ou seja, pergunto, qual a articulação desta Junta com a da sua fronteira – Avenidas Novas. Como justificam o facto do Departamento de Trafego da CML, não ter obrigatoriamente, uma palavra a dizer sobre isto. Porque sei que não tem, e que não foi informado disto sequer
(Confirmam?)
18
A consequência disto neste momento é que, ruas, como a Brito Aranha, e as que lhe dão acesso, por onde nunca passava ninguém, neste momento, são utilizadas como escapatória. Este é o reflexo, da não existência de nenhum estudo prévio sobre o funcionamento do Bairro, antes desta ideia peregrina. Basta ir aos locais, frequentá-los a pé. Atravessá-los de automóvel. Falar com as pessoas. Com a Igreja, com a direcção da Escola…… Nada disto foi feito.
(Como ficarão os sentidos na Brito Aranha?)
(Estas entidades foram envolvidas?)
19
Porque é que não fui informada do que iria acontecer? Porque é que não recebi na minha caixa do correio essa informação? Transformar os Bairros de Lisboa em guetos, dificultando a circulação nos mesmos, está mais do que provado, que para além de agravar o trânsito no resto da cidade, transforma os mesmos em locais perigosos, pouco frequentados. Não há vantagem em criarem-se locais de estadia quando os mesmos não são utilizados, por não serem local de passagem, por não serem próximos de comércio ou locais de lazer. Temos neste momento, um Bairro, com mais transito do que tinha, com mais barulho do que tinha e com mais poluição do que tinha. Tudo porque a circulação não é fluída.
(Porque é que a comunicação foi tão deficiente?)
Fernando Seabra:
20
(Existe um excesso de) colocação de pilaretes e floreiras,
(vão corrigir? Quando?)
(há alternativas, desde bancos, a floreiras longitudinais e novas árvores)
21
(É preciso melhorar o) estacionamento e circulação de veículos automóveis no Bairro do Arco do Cego, na Filipa de Vilhena, na Visconde Valmor (um caos) e na Defensores de Chaves, está entre as principais prioridades a discutir e a tornar efectivo após essa Sessão de Esclarecimento.
(vão corrigir? Quando?)
Actualização de 7.3.2018
 

 

3:22:45 “Zona 20, Bairro do Arco do Cego: após tantos anos de degradação sofreu recentemente obras visíveis e dispendiosas: a população contesta-as dizendo que era apenas necessário repavimentar as vias, todas esburacas e mais nada. Não foi assim. Reinventou-se um bairro com características próprias consolidadas há mais de 90 anos (…)  instalou-se aqui um agrupamento escolar com crianças vindas de longe, muitas com moradas falsas. Diminuiram-se transportes públicos e aumentou a circulação particular exterior ao Bairro” (…) “aqui no Bairro criou-se uma Zona 20 mas a circulação continua a favorecer o automóvel e a velocidade  de 30, 40 ou 50 sem nenhuma medida restritiva” (…) “todas as esquinas em que bombeiros têm que passar foram assinaladas com a palavra “bombeiros” só que os automobilitas – gente finória – deram-lhs logo a volta e passaram a conduzir à bombeiro pondo em perigo a segurança dos peões. Sugeria que para atenuar um pouco estas zonas de esquina perigosas para além da palavra “bombeiros” seja também pintadas de vermelho (…) “as lombas redutoras de velocidade foram eliminadas. Numa obra posterior, por falta de coordenação entre elas, a segunda anulou a primeira. Nesta lomba (Magalhães Lima) foi retirada a lomba e o sinal 20 e é agora uma porta aberta para acelerar. (…) foram colocados muitos pilaretes e bem, mas muitos foram abaixo e isto quer dizer alguma coisa porque é um barómetro da situação”  (…) “o Areeiro não tem estruturas desportivas adequadas à terceira idade” 3:28:22 “a terceira idade também é lisboeta e precisa de um ginásio” (…) “com a reforma fomos deslocados para o Centro Intergeracional do Areeiro ” 3:29:30

Vizinhos do Areeiro Ladislau Ferreira

“Sobre o Bairro do Arco do Cego quero dizer o seguinte: defendi muito a intervenção que foi feita e a intervenção que foi feita que já não tinha há muitas décadas uma intervenção tão profunda como aquela que aconteceu. Sabemmos que não foi um processo linear e que houve várias melhorias e decisões que foi preciso tomar. Na reunião descentralizada de há dois anos atrás o magno problema é que o projecto não englobava o escoamento de águas e que havia o risco de as águas voltarem para as habitações (…) não tenho dúvidas de que a intervenção qualificou muito o bairro. Aliás, há pouco, uma intervenção referia o que se está a passar com os valores da habitação aqui [Rui Martins quando citei a vivenda de 80 m2 por 1.3 milhões de euros]  e que corre dos investimentos que aqui foram feitos. Deu-se  um grande avanço em problemas que eram muito mais profundos (…) deveríamos aguardar um pouco e ver que passos daremos a seguir para resolver problemas que também damos como reais (…) há problemas mais difíceis e que resultam da falta de civismo: não podemos ter um polícia atrás de cada condutor” 3:33:14 (…) “podemos reforçar o stock de pilaretes do presidente da Junta e fornecer-lhe os novos pilaretes que estamos a instalarcom betão e viga de ferro dentro que são bastantes mais amigáveis dos automobilitas agressivos” (…) “queremos um bairro que seja usado como atravessamento da população exterior ao Bairro” (…) “mas temos ao mesmo tempo que assegurar questões como a da passagem de veículos de determinada dimensão”

Fernando Medina, Presidente da CML

“o Bairro está melhor. Há muito menos acidentes. Na esquina do meu bairro via-os constantemente.” (…) “a marca dos bombeiros é um projecto muito interessante feito pela Protecção Civil da CML para dar a percepção às pessoas para dar ideia às pessoas da necessidade de passagem dos bombeiros e das ambulâncias até financiado pela União Europeia” (…) “tem que ser melhor explicado”

Vereador José Sá Fernandes

Reunião Descentralizada da CML de 07.03.2018

https://www.youtube.com/watch?v=5sr7cjhNHZM

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *