Resultados do Barómetro de Segurança Areeiro 2019

A freguesia do Areeiro tem (Censos 2011) 20131 habitantes mas o valor actual deverá ser inferior aos 19 dada a erosão demográfica dos últimos anos devido ao aumento dos preços na habitação, a despejos, à conversão de habitação em Alojamento Local e ao falecimento de moradores. Já em 2011, com efeito, 5101 moradores tinham mais de 65 anos (em 40,6% estavam em situação de dependência de serviços ou familiares) e este padrão demográfico tem um forte impacto no tipo de criminalidade e percepção de segurança dos moradores.

Em termos de leitura dos gráficos preferimos que cada qual tire as suas próprias conclusões mas gostaríamos de destacar que perto de 5% dos moradores que responderam ao inquérito tiveram o seu veículo furtado e que, muitos mais (19,4%) o tiveram vandalizado (o que é consiste com uma vaga recentes deste tipo de ocorrências) assim como de assaltos na rua, em percentagem idêntica e que, também, confere com casos semelhantes na zona das Olaias e da Padre Manuel da Nóbrega e Praça Francisco Sá Carneiro. Os relatos de casas assaltadas (que ocorrem em vagas em Lisboa) são ainda mais significativos o que reforça a necessidade de repetição da campanha dos Vizinhos com os autocolantes “feche a sua porta”. Em termos de quantidade de crimes, regista-se a percepção de que o Areeiro ainda é uma zona segura (a maioria dos crimes foram de baixo valor) mas registamos que perto de 10% dos respondentes já foram assaltados mais que uma vez e isso merece reflexão e parece traduzir-se num agravamento recente que decorre das alterações produzidas a partir de 2018 na actividade de consumo e venda de estupefacientes no Bairro Portugal Novo. Destacamos ainda que muitos moradores ainda não têm portas blindadas e que 41,1% não apresentou participação na PSP (o que é essencial para que se possa reclamar mais meios policiais) mas que, espantosamente, em 83,7% não houve qualquer retorno da queixa apresentada (o que pode explicar a baixa taxa de participação de crimes).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *