“A alegria de plantar uma árvore” [Revista da Imprensa]

Árvores do Areeiro
O programa “A sua Árvore em Lisboa” é um êxito, agora foi a vez do Parque Urbano da Quinta da Montanha, ao Areeiro, juntar algumas dezenas de pessoas na plantação de mais cem espécies, apesar da chuva e do estado da terra. No total, só ao abrigo do programa já foram plantadas cerca de mil durante este ano.
  •  

A chuva incessante que durante toda a manhã caiu e o estado lamoso da terra, pesada no cavar, não demoveu algumas dezenas de pessoas inscritas em mais uma jornada do programa “A sua em Lisboa”, desta feita empenhadas em plantar cem novas árvores no Parque Urbano da Quinta da Montanha, ao Areeiro, e na Guerra Junqueiro. Foi no dia 17 de março.  

Chegámos à Quinta da Montanha pouco passava das dez e as gentes plantavam com afinco, dia chuvoso logo denunciado pelas vestes impermeáveis e longas, ainda assim apenas nalguns, os chapéus, as galochas e outras soluções improvisadas para salvar o calçado, como sacos de plástico bem amarrados. A terra pesava mas as enxadas não se faziam rogadas, ou os braços que lhes davam vida, saliente-se, que pareciam movidos pelos sorridentes rostos daqueles voluntários e padrinhos das novas espécies plantadas. 

Crianças não faltavam, são já um marco, afinal o desafio é para que as famílias se juntem em jornada tão especial. Misto de ação cívica com intervenção pedagógica, prontamente agarrada por um numeroso grupo do movimento Vizinhos do Areeiro. 

José Sá Fernandes, vereador da Estrutura Verde não estava, mas isso não significava ausência. Em tarefas de plantio na Guerra Junqueiro não demorou a juntar-se ao grupo, botas já enlameadas para além do q.b., roupa molhada mas olhar determinado, também ele denunciando essa contagiante alegria de plantar. 

No bom caminho

“O objetivo é que haja uma árvore plantada por cada lisboeta, ainda não estamos lá mas vamos a caminho”, diz, explicando que as cerca de mil árvores já plantadas neste ano ao abrigo do programa engrossam  o esforço que os serviços da autarquia têm vindo a fazer na transformação de uma Lisboa cada vez mais verde, “isto é muito bonito”. 

Rui Martins, dos Vizinhos do Areeiro, explica que “a vida verde da cidade é um ponto fundamental” na ação cívica do movimento. “Esta é uma causa consensual no nosso coletivo, a defesa das árvores”.

Desta feita foram plantados pinheiros masos (Pinus pinea), oliveiras (Olea europaea Sylvestris), freixos, (Fraxinus angustifólia), choupos (Populus alba, Populus nigra e Populus nigra Italica), ciprestes (Cupressus sempervirens), alfarrobeiras (Ceratonia síliqua) e um salgueiro (Salix alba). 

Foi mais uma edição do programa, que novamente fez esgotar as inscrições, outras virão e atempadamente serão divulgadas neste sítio. 

A chuva não dá tréguas, como que a desafiar vontades, a terra não ajuda e empapa, resistente. Intransigente.  Mas a alegria de plantar uma árvore alimenta forças e renova vontades, com gentes assim empenhadas Lisboa está, mesmo, no bom caminho”

http://www.cm-lisboa.pt/noticias/detalhe/article/a-alegria-de-plantar-uma-arvore

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *