Transferência do terminal de veículos pesados de transporte de passageiros situado na Avenida Padre Manuel da Nóbrega [Actualizado]

screen-shot-01-12-17-at-01-16-pm
Os subscritores desta mensagem apelam à Câmara Municipal de Lisboa que equacione a transferência do terminal de veículos pesados de transporte de passageiros situado na Avenida Padre Manuel da Nóbrega.
Não faz sentido a existência de uma tal estrutura dentro de uma zona residencial, com rotas que atravessam ruas interiores (como a Vítor Hugo), tendo em conta o ruído que provocam, a degradação do piso e a poluição que trazem a esta comunidade.
Já existem em Lisboa três grande terminais de autocarros (Praça de Espanha, Campo Grande e Gare do Oriente). Tendo em conta que a maioria destas carreiras seguem pela Av. Calouste Gulbenkian, através de um percurso urbano denso (mais típico de uma Carris) até à Pc. Espanha/Sete Rios, zonas essas já servidas por metro e comboio respectivamente sugerimos a transferência para os terminais da Pc Espanha e Sete Rios. Contudo, as carreiras que seguem para norte, poderiam beneficiar de uma transferência para a Estação do Oriente

Sem mais e apelando à melhor compreensão da autarquia:

Subcrevem:
Rui Martins
Mira de Lacerda
Luisa Pico Costa
Ines Domingos
Cátia Mendes
Luis Seguro
José Vieira Mesquita
Qju Nunes
Vasco Ribeiro
Fernando Borges
Claudia Arriegas
Maria Lourdes Alves Gouveia
Rita Costa
Joao Paulo Trindade
Filipa Ramalho Rickens
Jorge Oliveira
Teresa Raposo
Manuela Melo
Maria Cortez Caetano
André Figueiredo
Almeida Serra
Filipa Antunes
Isabel Barreto
André Carvalho
Isabel O. Sousa
Laura Maia E Silva
Margarida Paiva
Fernando Mora de Oliveira
Ana Monteiro
Isabel Athayde E Mello
John Burney
José Pedro S. Carvalho
Anabela Lança
1 amigo em comum
Rahyara De Sousa
Rosa Branca Graça
Susana Beirão
Pedro Correia
Nuno Fox
Fernando Simoes
Maria Susana Beirão
Alexandre Cardoso
Maria Nicolau de Almeida
Marta Campos
Isabel Primoroso
Filipa Fernandes Figueiredo
Mary Millicent

Actualização de 15.02.2017:
“Encarrega-me o Senhor Vereador, Arq. Manuel Salgado de acusar a recepção do e-mail mencionado em epígrafe e informar que o assunto foi encaminhado para Direcção Municipal de Mobilidade e Transportes”

Actualização de 24.04.2017:
“Exmo. Senhores
Vizinhos dos Areeiros,
Na sequência do V. e-mail, sobre o assunto acima mencionado, informo que a Direção Municipal de Mobilidade e Transportes está a estudar a estratégia da rede de interfaces de Lisboa, no âmbito da reestruturação da rede de carreiras suburbanas da Área Metropolitana de Lisboa – AML, de acordo com a Lei nº 52/2015 de 9 de junho.
No âmbito destes estudos, que carecem de articulação entre a AML e os operadores, está a ser equacionada a possibilidade de desativação do terminal de Roma/Areeiro com a concentração destes terminais noutros interfaces de transportes públicos da cidade. Porém de momento, ainda não é possível uma decisão definitiva.
Agradecemos a exposição dos moradores sobre este assunto, que será tida em consideração e ponderada no decorrer do desenvolvimento deste trabalho.
Sem outro assunto de momento, apresento os meus melhores cumprimentos,
Manuel Salgado
Vereador”

Sugestão para Linha Amarela e Preocupações quanto a vibrações junto ao Areeiro

images

Enviada ao Metropolitano de Lisboa:

“Tendo em conta que a freguesia do Areeiro é servida por várias estações do Metropolitano Campo Pequeno, Areeiro, Alameda e Olaias e que na Linha Verde (Areeiro) as composições circulam desde 2012 com apenas 3 carruagens: O movimento de cidadãos “Vizinhos do Areeiro” propõe à Administração da Carris/Metro que a circulação passa a incorporar, em composições alternadas, 3 e 6 carruagens, com indicação nos painéis informativos de que estas não têm paragem na estação de Arroios nem na de Areeiro. Este método já foi usado no passado, com sucesso, e permitiria normalizar a circulação de composições sem criar um aumento exponencial dos custos nem obrigar ao encerramento das estações que não comportam mais do que 3 carruagens.

Por outro lado, o encerramento da estação de Arroios e a passagem (temporária) de seis carruagens nesta linha fez aumentar o ruído e as vibrações nas habitações na Avenida Almirante Reis (designadamente as situadas perto da estação de Areeiro). Que iniciativas de correcção ou mitigação planeia o Metropolitano implementar por forma a reduzir este impacto, com consequências na qualidade de vida dos moradores e na estabilidade estrutural dos edifícios?”

Subscrevem:
Rui Martins
Mira de Lacerda
Ines Domingos
Maria Julieta Mendes Martins
Luz Cano
Filipe Guedes Ramos
Jorge Oliveira
Anabela Nunes
Maria Joao Gouveia
José Eduardo Pereira
Margarida Moita Dos Santos
Susana Castelão
Gabriel Osório de Barros
Rui Moura
Ana Markl
Bruno Marques Horta
Isabel Casquilho
Joao Paulo Trindade
Luis Seguro
Rui Leal Miranda
Clara Ribeiro
Filipa Leitão de Aguiar
Isaias Santos
Mary Millicent
John Burney
Maria Oliveira
Rosario Barata
Belicha Geraldes
Ana de Sá
Qju Nunes
Teresa Raposo
José Vieira Mesquita
Antonio Marta
Cristina Leal
Helena Rodrigues
Daniela Santos
José B. Leal
Sílvia Baptista
Pedro Dias
Ruy Redin
Maria Graça
Virginia Pato
Dina Anastacio
Zé Pedro Leitão

 Actualização de 15.10.2017:
A Estação de Arroios fechou o que possibilita a circulação de composições maiores e os relatos de trepidação diminuíram (talvez com a reparação do material circulante).