Contador de Peões em Confinamento no Areeiro (Comparações e Conclusões ao Momento)

No Actual Confinamento:
Entre 18.01.2021 e 13.02.2021
na Av Padre Manuel Nóbrega
foram contados em média 19 peões
na Av de Roma (parte Areeiro)
foram contados em média 54,25 peões

No Anterior Confinamento:
Entre 18.01.2021 e 13.02.2021
na Av Padre Manuel Nóbrega
foram contados em média 32,66 peões
na Av de Roma (parte Areeiro)
foram contados em média 79,4 peões

No Google Street View nas imagens captadas em 2009, 2014, 2018 e 2019
na Av de Roma foram contados em média 165 peões.

Comentários dos Vizinhos do Areeiro:

1
Estes números resultam de contagens cidadãs feitas em varandas nos dois arruamentos de referência para o Areeiro: em duas das avenidas mais comerciais e com ligações mais densas entre meios de transporte público (Metro, CP e Carris): Avenida de Roma e Avenida Padre Manuel da Nóbrega

2
Estas contagens foram feitas uma vez por dia, entre as 1730 e as 1900 (hora de ponta do tráfego pedonal). Os valores de 2009, 2014, 2018 e 2019 foram obtidos a partir do Google Street View)

3
Infelizmente não fizemos este tipo de contagens de peões na rua no Areeiro (Lisboa) antes da actual crise pandémica COVID-19 mas, contudo, acedendo aos dados históricos e meramente como comparação mas tendo em conta que os carros do Google Street View passam a meio da manhã e meio da tarde na Av de Roma contámos, nos 4 anos aqui registados uma média de 165 peões. Como a contagem que fizemos foi, uma vez, entre as 17h30 e as 19h00 e isso corresponde aos períodos em que o carro da Google é muito provável que esse número (165) corresponda, mesmo, ao tráfico pedonal num fim de tarde antes da actual crise sanitária.

4
A primeira conclusão que podemos tirar (com os dados limitados que temos) é que os cidadãos do Areeiro confinaram, de facto, reduzindo severamente as suas saídas no primeiro período de confinamento (Abril e Maio de 2020) com uma redução de mais de 50% das saídas normais (dados para a Avenida de Roma: parte Areeiro)

5
A segunda conclusão possível é que a comparação com a média do actual confinamento e os dados médios de pré-crise sanitária indicam uma redução de cerca de 3/4 da circulação pedonal no primeiro confinamento. Comparando com o segundo e actual a redução ainda é maior: 4/5 dos cidadãos ficaram em casa.

6
A comparação entre os dois períodos de confinamento (Abril e Maio de 2020) indica uma redução de sensivelmente metade: os cidadãos estão agora a confinar mais do que no período anterior de 2020

7
O pico registado no primeiro dia (18.01.2021) que distorce a média (para cima) corresponde ao primeiro dia útil do novo confinamento pelo que pode resultar de um período de adaptação dos cidadãos

8
Os dias da semana em que menos se confina são os dias de semana: o que se explicará por quem vem de fora da freguesia para trabalhar e mais que nos fins-de-semana

9
A partir de 12.02.2021 registou-se um aumento da presença de peões nestes dois arruamentos: provavelmente devido às notícias que, desde há alguns dias, dão sinais da redução da pressão nos internamentos e falecimentos de doentes COVID no SNS. Este aumento de circulação nas ruas parece também coincidir com a melhoria geral do tempo (temperatura e pluviosidade)

10
A visibilidade da PSP e da Polícia Municipal (que tem actividade na área da sensibilização para o cumprimento das regras de confinamento) é nula: Embora passem de carro (por vezes no novo carro eléctrico cedido pela Junta de Freguesia) não se viu, uma única vez, nem neste período de confinamento nem no anterior, policiamento a pé, ou mesmo, uma acção de fiscalização no território da freguesia (houve na Av da Igreja, no Saldanha e na Alameda

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *